Posts do momento

«Maria Luís Albuquerque é mais um caso de promiscuidade e nepotismo»

1 1  ● API
Paulo Morais denuncia mais um caso de promiscuidade e nepotismo, protagonizado pela protagonista do Swatgate, Maria Luís Albuquerque.



Maria Luis Albuquerque e o crime BPN


Algo muito estranho se passou... Rejeitaram proposta de compra do BPN, por 121 milhões! Jaime Pereira dos Santos esteve a ser ouvido na Comissão de Inquérito ao BPN. O porta-voz do NUCLEO ESTRATÉGICO DE INVESTIDORES (NEI), grupo que se propôs a adquirir o BPN ao Estado, afirmou hoje no Parlamento que a entidade chegou a oferecer 100 milhões de euros a pronto pagamento para comprar o banco.

"Primeiro apresentámos uma proposta formal de 106 milhões de euros e depois melhorámos, numa segunda proposta, para 121 milhões de euros. Na única reunião que tivemos com a senhora secretária de Estado do Tesouro e das Finanças [Maria Luís Albuquerque],(...)

Depois de já ter escolhido o BIC (leia-se Isabel dos Santos a Princesa de Angola) para encetar as negociações finais da compra do BPN, Maria Luís Albuquerque explicou no Parlamento que a proposta do NEI não era credível, algo que deixou Pereira dos Santos perplexo. Pereira dos Santos queixou-se de uma atitude de diferente comportamento entre o NEI e os outros concorrentes à compra do BPN (BIC e Montepio). "Mira Amaral tinha uma atitude imperial. Entrava e saía das Finanças quando queria", lançou, dizendo que recebeu ameaças para deixar o NEI.

MAS HÁ MAIS...
Mais uma vez a exemplar Ministra das Finanças a negociar contra os portugueses e a proteger os larápios? Comprometeu-se a pagar todas as despesas com o processo BPN?
"BIC exige 100 milhões de euros ao Estado por causa do BPN. O Estado já deve ao BIC (leia-se Isabel dos Santos a Princesa de Angola) mais do dobro do que recebeu.

Exige a Portugal cerca de 100 milhões de euros de reembolsos relacionados com o acordo de privatização do BPN celebrado com a atual ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.
A compra do BPN custou 40 milhões de euros ao BIC (leia-se Isabel dos Santos, a Princesa de Angola) e vai ficar cara ao Estado português tudo porque este se comprometeu a restituir ao grupo luso-angolano todas as verbas que pagar no contexto de processos judiciais. Mais um que se demitiu por tentar defender o interesse nacional - Lourenço Soares demitiu-se, por discordar completamente deste contrato que considerou ruinoso para os interesses do estado.
fonte, Zita Paiva

Partilhe este artigo

Facebook/Portugal Glorioso

127 mil pessoas gostam disto

Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post
Comentários-Facebook
1 Comentários-Blogger

1 comentários blogger


  1. Já é tarde para esta ""républica" ser arrrasada.

    A corja é toda igual.

    ResponderEliminar