Posts do momento

Esqueçam o BPN as PPP os Submarinos a Democracia e Portugal

15 15


Neste programa Negócios da Semana, foi explicado qual é a doença terminal que fulmina Portugal.

Não é a corrupção de luvas e de favores a pior chaga e mais dispendiosa forma de corrupção. É sim, a nova classe de políticos conhecidos como os políticos homens de negócios, que tomaram para si o poder legislativo, o poder regulador, fiscalizador, o poder de decisão... e possuem agora todo o poder, liberdade e impunidade para por e dispor do dinheiro público, do poder público, da economia, do país e dos cidadãos.

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários blogger
comentários facebook
Mais comentários

15 comentários blogger

  1. Estou muito feliz por ter encontrado este site onde posso falar para o meu Povo, meus caros compatriotas a situacao no nosso querido Pais e muito grave como todos sabemos, mas ouvindo falar o senhor Paulo Morais que esta bem informado da situacao em que se encontra a Nossa Patria., Nao tenho duvidas de que nao havera outra hipotese de corrigir os vigaristas que a estao a destruir, senao um levantamento do povo de norte a sul do Pais, incluindo as forcas armadas, e policia, toda a gente, e enforcar alguns desses corruptos na via publica, para exemplo dos outros. Vamos para a revolucao nao resta mais nada, vamos fazer como na Islandia, por essa escumalha no lixo, sem uma revolucao a serio nunca mais nos livramos deste lixo que se acumula em todas as esquinas, departamentos etc., Bem hajam aqueles que estao a ilucidar o povo desta situacao. Um abraco fraternal para todos os meus compatriotas, Que Deus nos ajude, VIVA PORTUGAL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E claro que é tempo de fazer uma limpeza no parlamento e não só, mas em quanto não tivermos as forças de segurança no lado do cidadão a limpeza tornasse bastante dificultada!!!

      Eliminar
  2. "Um estado governado por políticos e líderes gatunos é um estado “cleptocrata”. O termo “cleptocracia” é de origem grega e num conceito mais simples é toda uma região ou país governado e administrado de forma a beneficiar financeiramente somente os governantes, por meio de desvios de verba e lavagem de dinheiro." FAMILIAR ????!!!!
    OU ESTE QUE ESTÁ MAIS NA MODA..."Proveniente do grego, a palavra Plutocracia significa governo da riqueza, ou seja, trata-se de um sistema político em que o poder está concentrado nas mãos dos indivíduos que são detentores das fontes de riqueza da sociedade."
    A TERCEIRA REPÚBLICA FALIU !!!! VIVA A REVOLUÇÃO, VIVA A QUARTA REPÚBLICA !!!!

    João Paulo Gomes (Imigrante na Noruega)

    ResponderEliminar
  3. Olá,
    Críticas constructivas a assuntos de interesse nacional e alertas de corrupção a quem deveria estar a governar Portugal, ao invés de o "afundar" ainda mais, serão sempre bem recebidas !! Mas qual será ou serão as soluções aos problemas nacionais que enfrentamos de momento? Como é que se podem evitar que estes problemas voltem a acontecer? Quando é que nos iremos convencer de que o principal e mais preocupante problema que enfrentamos é o de que TODOS NÓS nos tornamos seres diferentes, quando aliciados pelo poder e por todos os beneficios que o rodeiam?
    Tudo e todos têem o seu preço, independentemente das consequências que resultarem desse resultado. A verdade é que, se houver alguém que prometa ou alicie alguem com uma determinada quantia monetária que esteja de acordo com os interesses do beneficiário, será muito dificil para o mesmo se preocupar/importar com o resultado dessa accão ... quer dai advenham guerras, assassinatos, fome, pobreza ou qualquer outro mal. Ou estarei errado?

    Concluindo e resumindo, de que adianta tudo o resto que não sirva à resolução do problema em si ? De que adianta, a sério mesmo ... em que é que adianta eu expressar a minha "revolta" contra um político, gestor, ou governante se outro que o substitua fizer exactamente a mesma coisa ou até pior ? De que adianta eu dizer que estou revoltado com um governante, por ter aceitado um suborno de milhões, quando "eu" mesmo aceito transferências bancárias da concorrência para denunciar segredos financeiros da empresa para a qual eu mesmo trabalho ?

    Somos todos uns hipócritas se formos a ver bem ... e apenas quando começarmos a mudar a nossa própria maneira de ser e darmos o exemplo, é que talvez e talvez apenas, é que poderá isto mudar um dia !!


    Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exmo. Sr. Alves,
      Achei interessante a exposição da sua tese "Em cada português, há um potencial vigarista", mas permita-me informar-lhe que não a subscrevo de todo, aliás acho até insultuosa a forma generalista como V. Exa. utiliza a primeira pessoa do plural. "Nós", nós quem? Se V.Exa. se integra nesse grupo, problema seu, mas deixe-me dizer-lhe que com 47anos, admito ter cometido alguns erros na minha vida, mas em tempo algum agi em benefício próprio sabendo que poderia prejudicar terceiros, nunca aceitei subornos nunca roubei o meu semelhante e há muitas coisas que para mim não têm preço.
      Não sou extraterrestre nem santo, e acredito que este é o género maioritario em Portugal.
      Naturalmente que para que as coisas mudem é necessário que as pessoas se revoltem, se sintam inconformadas, pois só a partir daqui é possível nascerem ideias e soluções para a mudança, até porque há sempre uma alternativa, a História ensina-nos isso e acredito que há muita gente nesse país que não precisa de um mercedes ou de uma casa que valha milhões, para ser feliz.
      A corrupção é um mal que grassa na sociedade portuguesa e sobretudo na classe política mas há cura para este vírus, ponha-se os olhos por exemplo no país onde vivo, a Noruega: Há mais de um século que este país apresenta níveis prácticamente inexistentes de corrupção. Terão estes vickings recebido a sabedoria e inteligència dos deuses nórdicos? Não !!!! Têm apenas uma longa expriência democrática cuja evolução neste tema, levou a uma situação de completo escrutínio da vida material dos cidadãos (incluindo políticos). Aqui, quem tem é obrigado a justificar porque que tem, não há sigilo bancário para o Estado e nas declarações de impostos, constam todos os saldos bancários e património imobiliário. A cadeia espera pelos vigaristas e corruptos.
      Por fim Sr. Alves, pergunto-lhe: como é que um português como eu (um potencial vigarista) se deslumbra com medidas como estas e se adapta tão bem a esta justiça social?
      Haja vontade de mudar o modelo político em Portugal, a democracia representativa não funciona, se para isso é necessária uma revolução ou um referendo, não sei...o tempo o dirá.

      João Paulo Gomes (Imigrante na Noruega)

      Eliminar
    2. Uma chapelada para o nosso imigrante João Paulo Gomes!!!
      Não posso estar mais de acordo.

      Eliminar
    3. Caro João Paulo Gomes e à resposta N.5:

      Em relação ao "Nós" eu referia-me ao ser humano em geral e ao povo português em particular. Como toda a regra, existem sempre excepções que lhe escapam .. o problema é, que essas excepções são escassas, não pertencem à maioria ( que por um lado é extremamente positivo, pois as chamadas "maiorias" nada mais são que frações de totalidades controladas por minorias !! ) e não são tão "contagiantes". Fico contente por o senhor não ser mais um dos que se associa à maioria dos "Em cada português, há um potencial vigarista", como bem lhe apelidou, mas quer acredite ou não ela cada vez mais aparenta ser ( erradamente como é óbvio ! ) a corrente maioritaria a ser acolhida, pelo simples facto de aparentemente ser mais facil e rapido de um alguem conseguir o que deseja. E vamos lá ver se nos entendemos, a minha intenção não foi a de expressar que todos os portugueses assim o são e dessa forma se comportam, mas antes, de afirmar que na generalidade a inclinação do ser humano é a de que tenha "um olho fechado" para as suas accões mas outro sempre aberto para as dos outros, para que assim puxe a "brasa à sua sardinha" ou se preferir, dar um jeitinho ou um ligeiro "desvio" ! E quer acredite quer não, o Português, querendo, é exímio nesta "arte" que se apelida de Política .. não fossemos nós outrora, senhores do mundo. Mas aqui é que está a raiz do problema: após todo esse imperialismo de escala gigantesca, deixamo-nos corromper por demonstrações de poder sem necessidade; orgulho; depravações morais ( como acontece em todos os periodos finais de um império !!! ); e uma péssima gerência do país pelos governantes da altura que fixaram as suas prioridades em outras questões contrárias às necessidades e aos interesses nacionais. Caro compatriota, eu digo "Nós" porque eu carrego em mim as decisões e atitudes dos meus antepassados ( toda a história passada, gravada pelos nossos antepassados ), quer as boas quer as más, pois isso é em PARTE, a essência de alguém se proclamar português e a razão de eu escrever o "Nós". Eu digo "Nós", porque em parte também eu ja contribui em certa medida, com asneirices e accões que denegriram os meus ( independentemente da sua escala ou gravidade comparadas com as de outros ). Eu digo "Nós", porque somos todos UM só, mas ao mesmo tempo somos TODOS diferentes, e cada um com a sua própria personalidade e força de vontade.

      A intenção do meu comentário, foi o de suscitar soluções/ideias aos problemas que enfrentamos no momento e de certa forma apresentar o meu descontentamento e tristeza, pois tenho a certeza absoluta de que somos um país de poucos mas muito bons, mas ofegados por organismos minoritários que estão a destruir Portugal com grande rapidez, apenas e exclusivamente para benefício deles mesmos. São estes os inimigos do país! Será preciso certamente que haja uma revolta para com eles e para com todo este sistema, mas uma revolta que faça com que o sistema mude para melhor e não para pior ( como seria o caso de uma revolta militar ... porque não se sabe quem controla e controlará o exercito !! ) e que evite acima de tudo que tudo isto suceda novamente.

      Quanto à Noruega e ao país em que reside actualmente, penso que poderíamos e deveríamos usar muitos dos sistemas que eles utilizam e aplicar as medidas transparentes governamentais e financeiras no nosso modelo, mas para isso, como tambem mencionou ( e eu referi no meu comentário anterior ) : "situação de completo escrutínio da vida material dos cidadãos (incluindo políticos)" ... terá de começar em cada um de nós e dando o exemplo dessa atitude ao nosso próximo ? Terá de começar pelo ideal de abolição ao consumismo e materialismo ilusório de que a nossa sociedade tanto apela e suscita em cada um de nós, ou não?

      Alves








      Eliminar
    4. Sr. Alves,
      Estamos naturalmente de acordo quanto á importancia do papel de cada um de nós como exemplos na sociedade mas também entendo que só isso não chega. Como V. Exa.já referiu, para muitos "a carne é fraca", logo a única maneira de condicionar a proliferação da corrupção é a existência de legislação que a contrarie, mas se o poder legislativo está nas mãos dos grandes gatunos, então só nos resta uma solução: mudar !!!
      Como era sua intênção promover debate de ideias, aqui vai a minha acha para a fogueira. Publiquei este texto, como comentário a um artigo neste mesmo blog, no dia 19/01 e no 25/1 tive conhecimento da criação de um projecto político que se pretende afirmar como partido cujo nome é +DP (mais democracia participativa). Foi com muita felicidade que descobri que a dama que defendo há anos é agora também tida como solução para mais gente (Segue em segundo comentário uma vez que ultrapassa o nr. de caracteres permitido).

      João Paulo Gomes


      .

      Eliminar
    5. Cont.
      "..Parece-me ser consensual que o diferendo entre cidadãos e classe política é a questão de fundo que atormenta o país, uma vez que esta última encontra-se mortalmente infectada pelo vírus da corrupção, representando o interesse próprio e privado e não o interesse público para o qual foi eleita. Posto isto, acho que devemos questionar se o actual modelo político "A Democracia Representativa".é o que se melhor adequa á realidade nacional pois se o descrédito na classe política é massivo e votar branco ou nulo nada adianta, apenas representa um cartão amarelo (mas com amarelos ninguém vai para a rua e neste caso, nem por acumulação) e ainda legitima o modelo, então pergunto eu : o que fazer para nos livrar-mos da canalha?
      A resposta que encontrei há 20 anos foi passar a fazer parte daquela que considero a maior força política em Portugal, a abstenção (infelizmente muito desorganizada).
      Amigos meus vêm nesta minha atitude, uma traição aos direitos conquistados em Abril, eu respondo-lhes que os fantasmas do passado já não me atormentam mas sim os do presente e só exercendo este direito de cidadania (abster-me) não só manifesto o meu "desencanto" pelas listas/candidatos que se propõem governar, bem como pelo modelo democrático que vigora (questão chave) e ainda assumo públicamente esta posição pois julgo que nos cadernos eleitorais, constará a informação junto ao nome de quem não vota(ou) ao passo que quem vota, manifesta a sua intenção política de uma forma secreta.
      Hoje, amadurecida esta posição, mais que nunca estou convicto que a mudança terá que passar pela adopção do modelo participativo, entendo que "A Democracia Participativa" e a única forma de arrancar o poder deliberativo das garras desta corja.Ora vejamos, na nossa dita democracia representativa, a malta vai ás urnas (os que vão) para deixar o seu voto mal esclarecido e pouco convicto, de 4 em 4 anos. A respectiva força politica ganhadora, governa a seu belo prazer durante esse período, sem qualquer participação ou possibilidade de intervenção por parte dos cidadãos, cometendo as maiores atrocidades, é isto portanto a democracia que temos ? Portugal tem agora a sublime oportunidade de se tornar o primeiro país do ocidente a adoptar uma nova democracia participativa e se este modelo não era viável no passado por questões basicamente logisticas, hoje temos poderosas ferramentas de comunição como a internet, que permitem a agilização deste processo participativo (sites governamentais).
      Pois que neste hipotético cenário se proponham as actuais listas politicas a eleições livres, que surjam novas, que elaborem os seus programas e que ganhe o "melhor". Que governe, mas no que toca ao poder deliberativo, esse fica entregue ao povo, até que para o bem e para o mal é sobre ele que as consequências caírão.
      Admito que a democracia representativa pode funcionar com sucesso (como é o caso do país onde vivo : a Noruega), mas não em Portugal, onde o "vírus" mostra toda a sua pujança e é sem extremismos mas também sem medo que ouso dizer: A TERCEIRA REPÚBLICA FALIU...VIVA A QUARTA REPÚBLICA".
      Um grande bem haja para o Portugal Glorioso e...até à volta do correio

      João Paulo Gomes
      ( Imigrante na Noruega)..."

      Eliminar
  4. Pois é meus amigos,estamos todos de acordo quanto ás medidas a tomar,e tenho a certeza que este povo de mansos em que nos transformamos se conseguiria unir, o unico(GRANDE) problema que nos iria separar logo de seguida, era sabermos qual o sistema que iriamos apoiar,esquerda ou direita,porque é nitido que muita gente fala a pensar no sistema que melhor defendesse os seus interesses e não os do pais .Senão vejamos,a esquerda? que nos andou a enganar e a iludir durante tantos anos,com o seu bloco sovietico?,quando se abriu as portas viu se que estava tudo podre e o sistema, tambem ele estava fortemente corrompido pelos dirigentes comunistas,ou apoiavamos este sistema democratico?..em que esta tudo corrompido?Fui militante comunista durante 37 anos,bem antes do 25 que ajudei a fazêr como militar,desiludime e afastei me,comecei a ficar farto de novos camaradas que apareceram no partido e que hoje o dominam a seu belo prazêr,fui votando conforme a minha inteligencia e consciencia me mandavam,NUNCA me considerei um carneiro para ir atras dos pastores,é que eu sêr enganado por escumalha que nunca fêz nada não me admira,sêr enganado por aqueles que eu conheço,mas tambem NUNCA fizeram nada a não sêr falar,é outra coisa bem diferente,mais, não votei neste governo,votei nulo,mas faz me confusão falar se deste governo como se tivessem sido eles que nos trouxeram á banca rota,não gosto destes partidos,mas não me esqueço que foram os SOCIALISTAS que nos trouxeram á treceira banca rôta em menos de 40 anos e agora falam como o nosso presidente da republica,foi o coveiro das pescas e da agricultura e agora manda nos cavar e pescar. sei é que um pais com 900 anos de historia devia dar lições de como se governa um pais e pior doque isso, nem conseguimos copiar o que outros fazem de bem.Por acaso ainda não viram que a podridão está ,como sempre esteve alias,é na justiça,são todos corruptos,ganham grandes ordenados e demais mordomias e só condenam a arraia miuda.Ze Tavares

    ResponderEliminar
  5. Não podia estar mais de acordo,parabens e abaixo a hipocrisia sr Alves.Ze Tavares

    ResponderEliminar
  6. Faço esta pergunta, quem neste momento nos pode ajudar? Não é a troika com certeza, pois é uma cambada de gatunos que se vêm juntar aos que por cá moram, em que nos veio ajudar? MILITARES SEJAM CORAJOSOS E PONHAM MÃOS À OBRA JÁ ONTEM ERA TARDE. VIVA PORTUGAL ENFORQUEM ESTES CORRUPTOS, OU ENTÃO SERÃO PRECISAS NOVAS BRIGADAS 25 DE ABRIL QUE SERIA O CAMINHO PIOR.

    ResponderEliminar
  7. Pergunto porque razão os canais abertos não nos dão a conhecer como é seu dever o que se passa neste País?

    ResponderEliminar
  8. As vossas palavras são muito bonitas mas mostra que não conhecem o Portugal real. Venha lá que revolução vier, que só mudará os que mamam. Leiam Eça de Queiroz ou Fernando Pessoa e percebem que os problemas de há 100 anos são identicos aos de hoje.
    Não é necessário revolução, o necessário é evolução. Mas isso nem na geração dos netos que ainda não tenho.
    Até lá ou até sempre, irá ser o mame (salve-se) quem puder

    ResponderEliminar