Posts do momento

Temos Gás Natural e ninguém diz nada...!?

14 14
Chegou-me via e-mail o seguinte:

Num altinho de Cabeça Gorda (acho que se chama assim), que fica entre Runa e Matacães a 3Km de Torres Vedras, por volta de 1974 , esteve a ser queimado durante mais de 2 meses gás natural. Ao fim de dois meses os técnicos mandaram selar o poço . Na sequência disto, o Sr.Armindo ,presidente da Junta de Freguesia de Matacães, suicidou-se. Um dos técnicos que esteve na análise deste poço já me confirmou que o gás lá encontrado dava para o nosso país pelo menos para mais de 2OO anos.

O pai do Sr. Herman José foi um dos técnicos alemães que por lá andou. É pena já ter falecido para poder ele confirmar a história. Talvez o nosso humorista que tem boa memória consiga confirmá-la se é que alguma vez o pai lhe falou nisso. Talvez porque na altura da descoberta há quem diga que a Sacor é que mandou selar (Sacor depois GALP)

MAS.....o que mais me admira é ter aparecido há meia dúzia de meses um(a) advogado(a) da Dª Isabel dos Santos com interesse em comprar uns bocadinhos de terreno mesmo encostadinhos à dita serra que pertenciam ainda à minha bisavó . E o engraçado é que dizem que a Dª Isabel já comprou uma quinta encostada a esses terrenos . Que coincidência..ou há coisas que andam de dia e não se vêem.





MAPA DE PETRÓLEO E GÁS AS LICENÇAS EM PORTUGAL:

Naturalmente, fui procurar alguma veracidade deste caso e encontrei, entre várias informações, o seguinte: Instituto Superior Técnico Caracterização de Formações da Bacia Lusitaniana (zona emersa) para a produção de gás natural (não convencional) - Clicar no RELATÓRIO

Em resumo: 8 CONCLUSÕES
Concluiu-se, em primeiro lugar, que o gás natural, a par do petróleo, é uma importante fonte de energia. É um recurso abundante, mais limpo que os demais combustíveis fósseis e é bastante competitivo no mercado energético. A prospecção e produção deste recurso no nosso país constitui uma enorme mais valia económica, tecnológica e social. Este facto materializa-se na redução da dependência energética do exterior, criação de mais-valias para o estado (contratos de concessões, royalties, entre outros), criação de emprego, introdução de valências industriais e o incentivo à formação de quadros qualificados para desempenhar as tarefas necessárias às operações deprospecção e produção.

Concluiu-se também que, para além de prospecção de gás natural convencional, fará sentido, na zona emersa da bacia Lusitaniana, realizar trabalhos mais aprofundados de prospecção deshale gas e tight gas. À partida, quando se apresentam evidências de um recurso convencional, como é claro nos poços estudados, aplicando a teoria do triângulo de recursos, sabe-se que existem também em muito maiores quantidades recursos não convencionais mas mais difíceis de produzir. No caso específico do shale e tight gas, sabe-se que as litologias dos reservatórios mais conhecidos internacionalmente são litologias que não são estranhas à bacia Lusitaniana. Este facto é saliente quando se compara com a bibliografia, resumidamente na Tabela 13.

Todas as litologias descritas da Bacia, nas formações estudadas (Brenha e Candeeiros), enquadram-se perfeitamente no triângulo onde se “balizam os reservatórios de shale e, por conseguinte, não é possível ignorar a possibilidade de existência de reservatórios com tais características. Em relação aos mapas criados, existe uma conclusão que se destaca, após ser realizada a normalização dos volumes de vazios pela área: A zona 2, situada no concelho de Alenquer, é a zona com maior índice de vazios por área, o que significa que, quando interceptada por um poço vertical, é a zona que terá um maior índice de vazios exposto ao referido poço e, como tal, será provavelmente a área mais interessante a prospectar, sob este ponto de vista.

Embora o volume de vazios seja um bom indicador da qualidade do reservatório existem inúmeros outros parâmetros a ser considerados, mas para os quais não dispomos de informação, como por exemplo o factor de expansão do gás, pressão, temperatura, entre outros.
A produção de um qualquer bem está sujeita à lei da oferta e da procura. O caso do gás não é diferente. As flutuações de preço, quer pela conjuntura internacional quer do ponto de vista da sazonalidade, são factores que afectam a produção ao ponto de a poderem tornar não rentável. Este facto só é passível de ser contornado com uma capacidade de armazenamento para posterior venda, quando o mercado se tornar mais favorável. A produção de gás na bacia Lusitaniana tem como ponto forte a possibilidade de comportar tal armazenamento. Este armazenamento pode ser realizado em diapiros salinos que estão amplamente disseminados pela bacia Lusitaniana, oferecendo uma maior estabilidade à eventual produção.
Finalmente, sugere-se um estudo mais aprofundado às potenciais rochas-mãe existentes na bacia Lusitaniana, pois nelas jaz o potencial de poderem ser simultaneamente rochas reservatório de shale gas e shale oil.

Também encontrei esta situação que poderá ser um grande entrave para a exploração directa do nosso GÁS. Clique: AQUI

Será que os interesses comerciais da REN, são superiores ao INTERESSE NACIONAL?

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
14 Comentários Blogger
Comentários Facebook

14 comentários blogger

  1. Para a pergunta final do texto..... Claro que é, qual a dúvida?? A dúvida é como se há-de mudar este estado de coisas..

    ResponderEliminar
  2. ADENDA:
    Hoje, (26-09-2006 ) será assinado o contrato definitivo para a transferência dos activos de transporte e armazenagem de gás da Galp Energia para a REN, que ficarão repartidos por três novas empresas: a REN - Gasodutos, a REN -Atlântico e a REN - Armazenagem.
    A REN - Gasodutos fica com o transporte de gás natural em alta pressão; a REN - Atlântico com a recepção, armazenamento e regaseificação de gás natural no terminal de Sines; e a REN - Armazenagem com a concessão do serviço público do armazenamento subterrâneo de gás natural nas cavidades situadas no Carriço, Pombal.

    Era então primeiro-ministro o Sr. Engº José Sócrates

    ResponderEliminar
  3. Cheira-me a dedo do Sotrac's

    ResponderEliminar
  4. E quem serão os 3 Pres Cons Admin das 3 RENs?
    Deixem-me adivinhar...

    ResponderEliminar
  5. Lembro-me que há mais de 65 anos já se faziam prospecções naquelas áreas.

    ResponderEliminar
  6. Tanta prospeção e gás que é bom nem cheira-lo. Será um mito urbano?

    ResponderEliminar
  7. Não me admira nada que haja negociatas ! Quando a Assembleia da República, rejeita uma proposta para os deputados estarem em regime de exclusividade, está tudo dito !.... e outras

    ResponderEliminar
  8. Não é novidade que existe petróleo e gás em Portugal... já foi furado e encontrado. MAS... e esse é um grande mas... as quantidades não são comercialmente rentáveis para justificar a montagem de toda uma infra-estrutura. QUanto a esse gás dar para 200 anos... boatos e mitos é coisa que não falta por aí. OUTRA NOTA - o gás dessa região nada tem que ver como Shale-gás do mapa apresentado ou da tal tese referida. O gás dessa região é gás em reservatóriso porosos... e não gás aprisionado em xistos, o qual teria de ser produzido recorrendo ao "fracking" que assusta tanta gente. NOTA FINAL - o gás que está a ser procurado (ainda não foi encontrado !!!) no ALgarve não é o mesmo da região oeste. CONCLUSÃO - tudo isto são questões técnicas complexas, sobre as quais é bem mais fácil especular do que investigar...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo das 13:20 do dia 23.
    Que óptimo, termos sido esclarecidos por quem sabe.Compreendo que haja especulações aqui e ali naturalmente, aliás como noutras matérias que nos garantem sermos possuidores e depois ....Nem por isso.
    Agradeço o seu esclarecimento sobre o caso. Como pode confirmar no artigo a base do mapa não foi feito por nós. Tem por isso alguma credibilidade ou talvez não. Já li há tempo que, é perfeitamente viável encontrar-se gás e petróleo no nosso território. Infelizmente ou talvez não, pelos vistos poderá não ser comercializável.
    Novamente agradeço a sua comparticipação neste artigo tão visionado conta neste momento 9 489 visitas.
    Obrigado
    FT

    ResponderEliminar
  10. Tanto disparate de quem não sabe do que fala. Porque não pega nas perninhas e pergunta aos técnicos dessa empresa para lhe explicarem um bocadinho de geologia. Será que eles não querem lucros.
    Devia ser processado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 09:43
      Porque é que V.Exa. não nos brinda com os seus doutos saberes a respeito da matéria?
      Faça um artigo sobre o tema, que nós publicamos em letra de forma.
      O Blogue tem endereço...
      Cumprimentos

      Eliminar
  11. http://geology.com/energy/world-shale-gas/

    ResponderEliminar
  12. Isto é um horror. Pesquisem o que é "shale gas" e o processo usado para o extrair. São usadas toneladas de água sob pressão com químicos carcinogénicos para provocar terramotos subterrâneos para quebrar a rocha e libertar as bolsas de gás. Esse fluídos altamente prejudiciais para a saúde humana e ambiente depois tendem a poluir lençóis de água subterrâneos além de os contaminar com os gases que se tenciona extrair, o que é um horror para pessoas que dependem destes depósitos de água subterrâneos. https://www.youtube.com/embed/dzx7UXzK_z4

    http://www.gaslandthemovie.com/

    ResponderEliminar
  13. O GÁS DE XISTO OU GÁS NATURAL, É ALTAMENTE POLUENTE!!!! MAIS QUE O CARVÃO MINERAL!
    A ÁGUA A CENTENAS DE KILOMETROS TORNAR-SE-Á IMPOTÁVEL, ANIMAIS E ORGANISMOS AQUATICOS DEIXARAM DE EXISTIR! SE TÊM DUVIDAS PROCUREM POR AQUELES QUE FAZ ANOS A QUEIXAREM-SE POR TAMANHO ESQUEMA. DE QUE VALE TER COMBUSTIVEL BARATO SE EM POUCO TEMPO A AGUA ATINGIRÁ VALORES MAIORES.

    ResponderEliminar