Posts do momento

Temos Gás Natural e ninguém diz nada...!?

14 14
Chegou-me via e-mail o seguinte:

Num altinho de Cabeça Gorda (acho que se chama assim), que fica entre Runa e Matacães a 3Km de Torres Vedras, por volta de 1974, esteve a ser queimado durante mais de 2 meses gás natural. Ao fim dos dois meses os técnicos mandaram selar o poço. Na sequência disso, o Sr.Armindo, presidente da Junta de Freguesia de Matacães, suicidou-se. Um dos técnicos que esteve na análise deste poço já me confirmou que o gás lá encontrado dava para o nosso país pelo menos para mais de 2OO anos.

O pai do Sr. Herman José foi um dos técnicos alemães que por lá andou. É pena já ter falecido para poder ele confirmar a história. Talvez o nosso humorista, que tem boa memória, consiga confirmá-la se é que alguma vez o pai lhe falou nisso. Talvez porque na altura da descoberta há quem diga que a Sacor é que mandou selar (Sacor depois GALP)

MAS...o que mais me admira, é ter aparecido há meia dúzia de meses um(a) advogado(a) da drªIsabel dos Santos com interesse em comprar uns bocadinhos de terreno mesmo encostadinhos à dita serra que pertenciam ainda à minha bisavó. E o engraçado é que dizem que a Isabel dos Santos já comprou uma quinta encostada a esses terrenos.
Que coincidência..ou há coisas que andam de dia e não se vêem.



MAPA DE PETRÓLEO E GÁS AS LICENÇAS EM PORTUGAL






Naturalmente, fui procurar alguma veracidade deste caso e encontrei, entre várias informações, o seguinte: Instituto Superior Técnico Caracterização de Formações da Bacia Lusitaniana (zona emersa) para a produção de gás natural (não convencional) - Clicar no RELATÓRIO

Em resumo: 8 CONCLUSÕES
Concluiu-se, em primeiro lugar, que o gás natural, a par do petróleo, é uma importante fonte de energia. É um recurso abundante, mais limpo que os demais combustíveis fósseis e é bastante competitivo no mercado energético. A prospecção e produção deste recurso no nosso país constitui uma enorme mais valia económica, tecnológica e social. Este facto materializa-se na redução da dependência energética do exterior, criação de mais-valias para o estado (contratos de concessões, royalties, entre outros), criação de emprego, introdução de valências industriais e o incentivo à formação de quadros qualificados para desempenhar as tarefas necessárias às operações deprospecção e produção.

Concluiu-se também que, para além de prospecção de gás natural convencional, fará sentido, na zona emersa da bacia Lusitaniana, realizar trabalhos mais aprofundados de prospecção deshale gas e tight gas. À partida, quando se apresentam evidências de um recurso convencional, como é claro nos poços estudados, aplicando a teoria do triângulo de recursos, sabe-se que existem também em muito maiores quantidades recursos não convencionais mas mais difíceis de produzir. No caso específico do shale e tight gas, sabe-se que as litologias dos reservatórios mais conhecidos internacionalmente são litologias que não são estranhas à bacia Lusitaniana. Este facto é saliente quando se compara com a bibliografia, resumidamente na Tabela 13.

Todas as litologias descritas da Bacia, nas formações estudadas (Brenha e Candeeiros), enquadram-se perfeitamente no triângulo onde se “balizam os reservatórios de shale e, por conseguinte, não é possível ignorar a possibilidade de existência de reservatórios com tais características. Em relação aos mapas criados, existe uma conclusão que se destaca, após ser realizada a normalização dos volumes de vazios pela área: A zona 2, situada no concelho de Alenquer, é a zona com maior índice de vazios por área, o que significa que, quando interceptada por um poço vertical, é a zona que terá um maior índice de vazios exposto ao referido poço e, como tal, será provavelmente a área mais interessante a prospectar, sob este ponto de vista.

Embora o volume de vazios seja um bom indicador da qualidade do reservatório existem inúmeros outros parâmetros a ser considerados, mas para os quais não dispomos de informação, como por exemplo o factor de expansão do gás, pressão, temperatura, entre outros.
A produção de um qualquer bem está sujeita à lei da oferta e da procura. O caso do gás não é diferente. As flutuações de preço, quer pela conjuntura internacional quer do ponto de vista da sazonalidade, são factores que afectam a produção ao ponto de a poderem tornar não rentável. Este facto só é passível de ser contornado com uma capacidade de armazenamento para posterior venda, quando o mercado se tornar mais favorável. A produção de gás na bacia Lusitaniana tem como ponto forte a possibilidade de comportar tal armazenamento. Este armazenamento pode ser realizado em diapiros salinos que estão amplamente disseminados pela bacia Lusitaniana, oferecendo uma maior estabilidade à eventual produção.
Finalmente, sugere-se um estudo mais aprofundado às potenciais rochas-mãe existentes na bacia Lusitaniana, pois nelas jaz o potencial de poderem ser simultaneamente rochas reservatório de shale gas e shale oil.

Também encontrei esta situação que poderá ser um grande entrave para a exploração directa do nosso GÁS. Clique: AQUI

Será que os interesses comerciais da REN, são superiores ao INTERESSE NACIONAL?

Fernando Tavares

Partilhe e deixe o seu comentário

pessoas partilharam isto
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post
comentários
14 comentários

14 comentários blogger

  1. Para a pergunta final do texto..... Claro que é, qual a dúvida?? A dúvida é como se há-de mudar este estado de coisas..

    ResponderEliminar
  2. ADENDA:
    Hoje, (26-09-2006 ) será assinado o contrato definitivo para a transferência dos activos de transporte e armazenagem de gás da Galp Energia para a REN, que ficarão repartidos por três novas empresas: a REN - Gasodutos, a REN -Atlântico e a REN - Armazenagem.
    A REN - Gasodutos fica com o transporte de gás natural em alta pressão; a REN - Atlântico com a recepção, armazenamento e regaseificação de gás natural no terminal de Sines; e a REN - Armazenagem com a concessão do serviço público do armazenamento subterrâneo de gás natural nas cavidades situadas no Carriço, Pombal.

    Era então primeiro-ministro o Sr. Engº José Sócrates

    ResponderEliminar
  3. Cheira-me a dedo do Sotrac's

    ResponderEliminar
  4. E quem serão os 3 Pres Cons Admin das 3 RENs?
    Deixem-me adivinhar...

    ResponderEliminar
  5. Lembro-me que há mais de 65 anos já se faziam prospecções naquelas áreas.

    ResponderEliminar
  6. Tanta prospeção e gás que é bom nem cheira-lo. Será um mito urbano?

    ResponderEliminar
  7. Armando Reis21/04/14, 18:27

    Não me admira nada que haja negociatas ! Quando a Assembleia da República, rejeita uma proposta para os deputados estarem em regime de exclusividade, está tudo dito !.... e outras

    ResponderEliminar
  8. Não é novidade que existe petróleo e gás em Portugal... já foi furado e encontrado. MAS... e esse é um grande mas... as quantidades não são comercialmente rentáveis para justificar a montagem de toda uma infra-estrutura. QUanto a esse gás dar para 200 anos... boatos e mitos é coisa que não falta por aí. OUTRA NOTA - o gás dessa região nada tem que ver como Shale-gás do mapa apresentado ou da tal tese referida. O gás dessa região é gás em reservatóriso porosos... e não gás aprisionado em xistos, o qual teria de ser produzido recorrendo ao "fracking" que assusta tanta gente. NOTA FINAL - o gás que está a ser procurado (ainda não foi encontrado !!!) no ALgarve não é o mesmo da região oeste. CONCLUSÃO - tudo isto são questões técnicas complexas, sobre as quais é bem mais fácil especular do que investigar...

    ResponderEliminar
  9. Anónimo das 13:20 do dia 23.
    Que óptimo, termos sido esclarecidos por quem sabe.Compreendo que haja especulações aqui e ali naturalmente, aliás como noutras matérias que nos garantem sermos possuidores e depois ....Nem por isso.
    Agradeço o seu esclarecimento sobre o caso. Como pode confirmar no artigo a base do mapa não foi feito por nós. Tem por isso alguma credibilidade ou talvez não. Já li há tempo que, é perfeitamente viável encontrar-se gás e petróleo no nosso território. Infelizmente ou talvez não, pelos vistos poderá não ser comercializável.
    Novamente agradeço a sua comparticipação neste artigo tão visionado conta neste momento 9 489 visitas.
    Obrigado
    FT

    ResponderEliminar
  10. Tanto disparate de quem não sabe do que fala. Porque não pega nas perninhas e pergunta aos técnicos dessa empresa para lhe explicarem um bocadinho de geologia. Será que eles não querem lucros.
    Devia ser processado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo das 09:43
      Porque é que V.Exa. não nos brinda com os seus doutos saberes a respeito da matéria?
      Faça um artigo sobre o tema, que nós publicamos em letra de forma.
      O Blogue tem endereço...
      Cumprimentos

      Eliminar
  11. http://geology.com/energy/world-shale-gas/

    ResponderEliminar
  12. Isto é um horror. Pesquisem o que é "shale gas" e o processo usado para o extrair. São usadas toneladas de água sob pressão com químicos carcinogénicos para provocar terramotos subterrâneos para quebrar a rocha e libertar as bolsas de gás. Esse fluídos altamente prejudiciais para a saúde humana e ambiente depois tendem a poluir lençóis de água subterrâneos além de os contaminar com os gases que se tenciona extrair, o que é um horror para pessoas que dependem destes depósitos de água subterrâneos. https://www.youtube.com/embed/dzx7UXzK_z4

    http://www.gaslandthemovie.com/

    ResponderEliminar
  13. O GÁS DE XISTO OU GÁS NATURAL, É ALTAMENTE POLUENTE!!!! MAIS QUE O CARVÃO MINERAL!
    A ÁGUA A CENTENAS DE KILOMETROS TORNAR-SE-Á IMPOTÁVEL, ANIMAIS E ORGANISMOS AQUATICOS DEIXARAM DE EXISTIR! SE TÊM DUVIDAS PROCUREM POR AQUELES QUE FAZ ANOS A QUEIXAREM-SE POR TAMANHO ESQUEMA. DE QUE VALE TER COMBUSTIVEL BARATO SE EM POUCO TEMPO A AGUA ATINGIRÁ VALORES MAIORES.

    ResponderEliminar