Posts do momento

Maravilhas de Portugal - Sopa da Pedra

0
f

Ingredientes
Lt feijão encarnado
1 kg orelha e cabeça de porco
200 g entrecosto
250 g carne de vaca p/guisar
100 g toucinho entremeado
1 chouriço de carne
1 morcela
1 farinheira
1 couve lombarda
400 g batata(s)
2 cenoura(s)
2 cebola(s)
2 dente(s) de alho
q.b. sal
q.b. hortelã
q.b. coentros

Preparação
1. Prepare de véspera a orelha e cabeça de porco, raspando e limpando, e salgam-se juntamente com o entrecosto.
2. Coloque também o feijão de molho.
3. No dia seguinte lavam-se as carnes e os enchidos e põem-se a cozer em água e sal.
4. Separadamente, põe-se também o feijão a cozer em água.
5. À medida que forem cozendo, vai-se retirando as carnes sucessivamente, para não se espapaçarem uma vez que a carne de porco coze muito mais depressa que a de vaca, o mesmo acontecendo com a morcela em relação ao chouriço.
6. Logo que se retirarem todas as carnes, juntam-se cortadas em pedaços, a couve, as cenouras, a cebola, os alhos picados, e algum tempo depois as batatas também em pedaços.
7. Entretanto, escorre-se o feijão, do qual se retiram duas conchas que se passam no passe-vite.
8. Quando os legumes estiverem cozidos juntam-se-lhe os feijões inteiros e os passados. Deixa-se ferver tudo para apurar e rectifica-se de sal.
9. Cortam-se as carnes de porco e de vaca em bocados, os enchidos em rodelas e o toucinho em fatias.
10. Deitam-se as carnes na panela e, logo que levantar fervura, adicionam-se os enchidos e o toucinho, servindo-se imediatamente.

nota: empregando a farinheira deve pôr-se a cozer juntamente com as carnes, tendo em conta que o seu tempo de cozedura é muito rápido.
Temperando com coentros, devem deitar-se ao mesmo tempo que os legumes.
Se for o caso de se empregar hortelã, basta juntar um ramo ao mesmo tempo que os enchidos.
E para dar nome a esta rica sopa, põe-se em cada prato uma pedra redonda, tipo seixo rolado do rio, previamente bem lavada.
(Receitas.com)


A LENDA DA SOPA DA PEDRA
Tal como quase todos os costumes, tradições e também gastronomia regional, a Sopa da Pedra tem uma lenda associada...

Um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, não lhe quiseram aí dar esmola. O frade estava a cair com fome, e disse:
- Vou ver se faço um caldinho de pedra!
E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, para ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança.
Perguntou o frade :
- Então nunca comeram caldo de pedra? Só lhes digo que é uma coisa boa.
Responderam-lhe :
- Sempre queremos ver isso!
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :
- Se me emprestassem aí um pucarinho.
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
- Agora, se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas.
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele :
- Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor!
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Dizia o frade, provando o caldo :
- Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal.
Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :
- Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam!
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.
O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.
Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade :
- Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça.
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era uma regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:
- Ó senhor frade, então a pedra?
Respondeu o frade :
- A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.

(Câmara Municipal de Almeirim)

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários facebook