Posts do momento

Salgueiro Maia: o herói de Abril que recusou mordomias e privilégios

1 1


No dia 1 de Julho de 1944 nasceu Salgueiro Maia, em Castelo de Vide. Foi um dos principais capitães intervenientes na Revolução do 25 de Abril de 1974. Comandou a coluna que saiu de Santarém em direcção a Lisboa, ocupou o Terreiro do Paço e cercou o quartel do Carmo, onde se havia refugiado Marcelo Caetano. Foi este impoluto militar que escoltou Marcelo Caetano ao avião que o transportaria para o exílio no Brasil.

A 25 de Novembro de 1975 sai da Escola Prática de Cavalaria, comandando um grupo de carros às ordens do Presidente da República. Será depois transferido para os Açores só voltando a Santarém em 1979 onde ficou a comandar o Presídio Militar de Santarém.

A 24 de Setembro de 1983 recebe a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade e, a título póstumo, o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito. Também a titulo póstumo, recebe em 1992 e em 2007 a Medalha de Ouro de Santarém.

Ao longo da sua vida, recusou sempre mordomias, privilégios e outras prebendas com que a maior parte dos chamados "Capitães de Abril" se banquetearam. Para este honroso militar, bastou-lhe o dever cumprido.

Com o posto de Tenente-Coronel, faleceu a 4 de Abril de 1992 e contava apenas 48 anos, praticamente na flor da idade; O Criador teima em chamar os BONS cedo demais.

* * * *

"A SALGUEIRO MAIA" Por Sophia de Mello Breyner Andresen
Aquele que na hora da vitória, respeitou o vencido.
Aquele que deu tudo e não pediu a paga.
Aquele que na hora da ganância, perdeu o apetite.
Aquele que amou os outros e por isso, não colaborou com a sua ignorância ou vício.
Aquele que foi "Fiel à palavra dada à ideia tida"
Como antes dele, mas também por ele, Pessoa disse.

Veja o poema no facebook! clique AQUI.

Partilhe e deixe o seu comentário

◄ - ►
Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post
comentários
1 comentários

1 comentários blogger

  1. Estará sempre connosco, pelo menos aqueles que amam realmente o nosso PORTUGAL.
    Obrigado Salgueiro Maia.

    ResponderEliminar