Posts do momento

Se discordam dos Valores do Ocidente, voltem para os seus países de origem

6 6




Terrorismo - análise de Miguel Sousa Tavares: "Se os muçulmanos que vivem no Ocidente discordam dos valores do Ocidente, só têm uma coisa a fazer: é voltar para os seus países de origem".


Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários blogger
comentários facebook

6 comentários blogger

  1. Caro Joao Makieira Braz, as cruzadas foram defensivas...Comecaram na Peninsula Iberica para recuperar os territorios ocupados, se calhar dar uma vista de olhos a historia para verificar que os europeus nao estavam na ofensiva...A Jihad já e milenar... Esse discurso do Islao vitima ta mt batido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ignorancia deve pesar. A primeira cruzada foi feita contra os càtaros que eram cristãos. A segunda foi para conquistar Jerusalem. Conquistar palavra bem defensiva.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. A pessoas a viver ainda no pasado,e por mim podem la continuar .RUA FORA DE PORTUGAL

    ResponderEliminar
  3. Estranho conceito o seu!
    Com que então quem ataca fá-lo para se defender?
    Não sabia que as Invasões Francesas tiveram como finalidade defender a França de Portugal.
    Que raio de História é a sua?
    Sob o pretexto de enviar missionários católicos e juristas, o Papa Inocêncio III lançou a cruzada contra os albigenses, para vingar a morte de Pierre de Castelnau.

    ResponderEliminar

  4. FUI PRETERIDO POR UM SÏRIO
    (Carta aberta a Passos Coelho, a todos os passos e demais merdas deste païs).
    Passos, diz-me lä o que ë que tu fizeste nos ültimos quatro anos para que eu pudesse voltar para Portugal? Nada, näo foi ? Achas portanto que eu vim para a Noruega para fazer turismo, certo?Pois estäs enganado meu merdas, eu vim para aqui para trabalhar, tive que fugir do meu païs pontapeado no traseiro pelo teu antecessor...exacto, refiro-me ao presidiärio...mas esse ainda teve o descernimento de nunca enderecar püblicamente, convites aos portugueses para saïrem do païs mas tu fizeste-o, meu merdas.
    Quero-te tb dizer que quando aqui cheguei näo encontrei o Eldorado, se quis trabalho tive que o procurar, se quis casa tive que a pagar, nada me foi dado de mäo beijada mas encontrei um païs que me deu uma 2 oportunidade para recomecar a minha vida, um païs com politicos que governam para o povo, um pais que hä muito recebe refugiados de guerra dos quatro cantos do mundo mas tem arcaboiço financeiro para o fazer e tu näo tens !!! O que tu tens ë uma casa toda desarrumada com a tua ajuda e como bom lambe cüs que ës, aceitas as cotas de refugiados que a gorda Nazi te dä. Deixa-a expiar os pecados do seu povo mesmo sendo com o dinheiro proveniente dos juros das dïvidas soberanas, deixa-a !!! Agora näo venhas ë com a conversa da xenophobia porque esta merda näo tem nada a ver com xenophobia nem me venhas falar de umbigos !!! Quando quiseres falar de umbigos, lembra-te das criancas portuguesas que väo todos os dias para a escola com fome, essas näo olham para o umbigo, essas esfregam o umbigo, doi-lhes a barriga, estä vazia percebes meu palhaço.
    Por tudo isto e uma vez que te estäs perfeitamente cagando para o meu regresso, faco-te uma minha ültima exigëncia, a ti e a Portugal para bem dos Portuguese, vais mandar esta merda desta pequena minuta para o SEF, para que seja assinada a titulo de promissöria, pelo sïrio que vai entrar no meu lugar. Decidi näo ser eu a escrevë-la pois quando ë um anönimo a escrever as merdas ninguëm dä credibilidade e optei por retirä-la de um dicurso de um notävel politico Australiano (com as necessärias adaptacöes), aqui vai ö palhaço:


    "Nós aceitaremos as tuas crenças e não iremos questionar o porquê. Tudo o que pedimos é que tu aceites as nossas e vivas em harmonia e em paz connosco. A maioria dos portugueses acreditam em Deus e os princïpios cristäos foram o pilar da fundacäo desta nacäo.
    ESTE É O NOSSO PAÍS, A NOSSA TERRA, E O NOSSO ESTILO DE VIDA, e nós vamos permitir que tu tenhas a oportunidade de aproveitar tudo isto. Mas se alguma vez injuriares a nossa bandeira, as nossas crenças cristãs, ou do nosso estilo de vida, ficas desde jä convidado a tirar proveito de uma outra grande liberdade portuguesa: O DIREITO de PARTIR
    Nós não te forçámos a vir para aqui, tu pediste para estar aqui. Então, aceita o país que te aceitou"

    Joao Paulo Gomes (emigrante na Noruega)

    ResponderEliminar