Posts do momento

Há uma explicação estúpida para todos os níveis de ignorância

0 0
A estupidez generaliza-se por ser tratada como especial.



A estupidez geral


Dizem que nós humanos apenas usamos um décimo dos nossos cérebros. Haverá mais convincente demonstração da nossa estupidez? Como sabemos que é só um décimo? Como é que achamos que um décimo é pouco? Um décimo pode ser, comparado com outras espécies ainda mais estúpidas do que nós que são obrigadas a usar 100%, só para terem uma única hipótese de sobreviver, sensacional.

Quando se é novo pensa-se que tudo é uma questão de estudo e de explicação. Mas não é assim. O problema é a enorme variedade de explicações incompatíveis. Infeliz ou felizmente há uma explicação estúpida para todos os níveis de ignorância, que são muitos.

A inteligência é o contrário da sabedoria: é a dúvida. É saber quais são as coisas das quais se pode (e não apenas se deve) duvidar. A inteligência é saber receber de neurónios abertos o prazer de nunca poder saber ao certo.

Quanto mais se vive e se pensa mais se vê que a estupidez se cola à certeza. Quando a certeza dá jeito, simplifica e elogia quem a tem (como acontece em todos os racismos): é um sinal infalível de vistas curtas, egoísmo e vaidade.

A estupidez era considerada como uma ligeira e aleatória deficiência: compreendida, aceite e descontada.

Hoje é vista como uma espécie de inocência: como se a cegueira fosse uma prova física da falta de facciosismo no que toca à escolha das melhores cores e luminosidades.

A estupidez generaliza-se por ser tratada como especial.

Sim, é. Mas é, sobretudo, estúpida.

PUBLICO

Partilhe este artigo

Portugal Glorioso 124 400 gostos
pessoas partilharam isto
Post Anterior
Prev Post
Post Seguinte
Next Post
comentários FB
0 comentários Blog

0 comentários

Enviar um comentário