Posts do momento

Quem são as figuras no Padrão dos Descobrimentos

0 0

É um ex-libris de Lisboa. Foi um projecto provisório dos arquitectos Cottinelli Telmo (1897-1948) a que Leopoldo de Almeida (1898-1975) e Leitão de Barros deram forma em ferro e gesso. Encomendado para a Exposição do Mundo Português de 1940, foi este molde desmantelado e feita esta réplica em betão revestido a pedra lioz em 1960, ano das comemorações dos 500 anos da morte do Infante D. Henrique.

Localizado à beira do rio Tejo e mesmo debruçado sobre este, tem 52 m de altura e ascensor que nos leva até ao 6º andar e depois uma subida em escadas até ao terraço onde se desfruta de uma vista panorâmica fantástica do Tejo, a outra “banda” e a Praça do Império / Jerónimos.

Na cave ou piso baixo, tem uma sala de exposições temporárias e conferências.
O monumento tem a forma da proa de uma caravela estilizada c/ o escudo de Portugal e a espada da Casa Real de Avis esculpidos sobre a entrada.


Lado Leste...  



Lado Oeste   


Tem esculpidas 33 figuras dos nossos heróis ligados aos descobrimentos, sendo a figura central o Infante D. Henrique (O Navegador – filho de D. João I e impulsionador da aventura marítima deste povo), o qual, com 9 m de altura, está à proa com uma caravela nas mãos. Em duas rampas laterais estão outras 32 figuras de heróis e navegadores portugueses ligados aos descobrimentos dos sécs. XV e XVI.

De realçar as figuras do poeta Luís de Camões com um exemplar dos Lusíadas e do pintor Nuno Gonçalves com uma paleta.
No pavimento do terreiro de acesso, frente ao edifício, está desenhada uma Rosa-dos-Ventos em mármores e calcário liós, branco, vermelho e preto, com 50 m de ø, a qual foi uma oferta da República da África do Sul. Tem um planisfério de 14 m e um mapa central com naus, caravelas, galeões e sereias e o traçado das rotas dos descobrimentos e expansão portuguesa. O desenho é do arq. Cristino da Silva (1896-1976).

As 33 Figuras são:

Oeste - Do lado esquerdo (visto de frente e de trás para a frente/proa)
Infante D. Pedro, Duque de Coimbra (filho do rei João I de Portugal); Dona Filipa de Lencastre (Rainha, Mãe dos Infantes, mulher de D. João I); Fernão Mendes Pinto (escritor e aventureiro do Oriente); Frei Gonçalo de Carvalho (Dominicano); Frei Henrique de Coimbra (Franciscano); Luiz Vaz de Camões (poeta épico, o maior de Portugal); Nuno Gonçalves (pintor); Gomes Eanes de Zurara (cronista); Pêro da Covilhã (viageiro); Jácome de Maiorca (cosmógrafo); Pêro Escobar (navegador / piloto); Pedro Nunes (matemático); Pêro de Alenquer (navegador / piloto); Gil Eanes (navegador); João Gonçalves Zarco (navegador); Infante D. Fernando, (o Infante Santo, filho do rei João I de Portugal). Ao centro e na proa o Infante D. Henrique


Leste - Do lado direito (visto de frente e da frente/proa para trás)
Afonso V de Portugal (Rei); Vasco da Gama (navegador / descobridor do Caminho Marítimo para a Índia); Afonso Baldaia (navegador); Pedro Álvares Cabral (navegador / descobridor do Brasil); Fernão de Magalhães (navegador / Viagem de Circum-navegação); Nicolau Coelho (navegador); Gaspar Corte-Real (navegador / Península Labrador); Martim Afonso de Sousa (navegador); João de Barros (Cronista / Historiador); Estêvão da Gama (capitão); Bartolomeu Dias (navegador / descobridor do Cabo da Boa Esperança); Diogo Cão (navegador); António de Abreu (navegador); Afonso de Albuquerque (Vice-rei da Índia / governador); São Francisco Xavier (missionário / evangelizador); Cristóvão da Gama (capitão).
por Emanuel Jardim

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários blogger
comentários facebook

0 comentários blogger

Enviar um comentário