Quem são as figuras no Padrão dos Descobrimentos

Tem esculpidas 33 figuras relativas aos Descobrimentos, sendo a figura central o Infante D. Henrique (O Navegador. Filho de D. João I e impulsionador da aventura marítima deste povo), o qual, com 9 metros de altura, está à proa com uma caravela nas mãos.

Quinto filho de D. João I e Dona Filipa de Lencastre, Henrique nasceu em 1394, vindo a morrer no ano de 1460.

Em duas rampas laterais estão outras 32 figuras de heróis e navegadores portugueses ligados aos Descobrimentos (Séc. XV e XVI). De realçar (Lado OESTE) as figuras do poeta Luís Vaz de Camões(6) com um exemplar dos Lusíadas, e do pintor Nuno Gonçalves(7) com uma paleta.

Altura: 56m; Largura: 20m; Comprimento: 46m;

Lado Este


  1. D. Afonso V de Portugal (Rei);
  2. Vasco da Gama (navegador/descobridor do Caminho Marítimo para a Índia);
  3. Afonso Baldaia (navegador);
  4. Pedro Álvares Cabral (navegador/descobridor do Brasil);
  5. Fernão de Magalhães (Navegador/Viagem de Circum-navegação);
  6. Nicolau Coelho (navegador);
  7. Gaspar Corte-Real (navegador/Península Labrador);
  8. Martim Afonso de Sousa (navegador);
  9. João de Barros (Cronista/Historiador);
  10. Estêvão da Gama (capitão);
  11. Bartolomeu Dias (navegador/descobridor do Cabo da Boa Esperança);
  12. Diogo Cão (navegador);
  13. António de Abreu (navegador);
  14. Afonso de Albuquerque (Vice-rei da Índia/governador);
  15. São Francisco Xavier (missionário/evangelizador);
  16. Cristóvão da Gama (capitão).

Lado Oeste


  1. Infante D. Pedro, Duque de Coimbra (filho do rei João I de Portugal);
  2. Dona Filipa de Lencastre (Rainha, Mãe dos Infantes, mulher de D. João I);
  3. Fernão Mendes Pinto (escritor e aventureiro do Oriente);
  4. Frei Gonçalo de Carvalho (Dominicano);
  5. Frei Henrique de Coimbra (Franciscano);
  6. Luis Vaz de Camões (poeta épico, o maior de Portugal);
  7. Nuno Gonçalves (pintor);
  8. Gomes Eanes de Zurara (cronista);
  9. Pêro da Covilhã (viageiro);
  10. Jácome de Maiorca (cosmógrafo);
  11. Pêro Escobar (navegador/piloto);
  12. Pedro Nunes (matemático);
  13. Pêro de Alenquer (navegador/piloto);
  14. Gil Eanes (navegador);
  15. João Gonçalves Zarco (navegador);
  16. Infante D. Fernando, (o Infante Santo, filho do rei João I de Portugal).

A obra

Da autoria do arquitecto Cottinelli Telmo (1897 – 1948) e do escultor Leopoldo de Almeida (1898 – 1975), o Padrão dos Descobrimentos foi erguido pela primeira vez em 1940, de forma efémera e integrado na Exposição do Mundo Português. Construído em materiais perecíveis, possuía uma leve estrutura de ferro e cimento, sendo a composição escultórica moldada em estafe (mistura de espécies de gesso e estopa, consolidada por armação ou gradeamento de madeira ou ferro).

Em 1960, por ocasião da comemoração dos 500 anos da morte do Infante D. Henrique, o Padrão é reconstruído em betão e cantaria de pedra rosal de Leiria, e as esculturas em cantaria de calcário de Sintra. Em 1985 é inaugurado como Centro Cultural das Descobertas. O arquitecto Fernando Ramalho remodelou o interior, dotando o Padrão de um miradouro, auditório e salas de exposições.

Características técnicas:
Altura: 56m; Largura: 20m; Comprimento: 46m; Fundações: 20m
Figura central (Infante): 9m; Figuras laterais (32): 7m
https://padraodosdescobrimentos.pt/conjunto-escultorico/
Com tecnologia do Blogger.