Posts do momento

Afinal onde moras? - Miguel Esteves Cardoso

104 104
Um dos grandes problemas da nossa sociedade é o trauma da morada. Por exemplo, há uns anos, um grande amigo meu, que morava em Sete Rios, comprou um andar em Carnaxide. Fica pertíssimo de Lisboa, é agradável, tem árvores e cafés. Só tinha um problema. Era em Carnaxide. Nunca mais ninguém o viu. Para quem vive em Lisboa, tinha emigrado para a Mauritânia!




Acontece o mesmo com todos os sítios acabados em -ide, como Carnide e Moscavide. Rimam com Tide e com Pide e as pessoas não lhes ligam pevide. Um palácio com sessenta quartos em Carnide é sempre mais traumático do que umas águas-furtadas em Cascais. É a injustiça do endereço.

Está-se numa festa e as pessoas perguntam, por boa educação ou por curiosidade, onde é que vivemos. O tamanho e a arquitectura da casa não interessam. Mas morre imediatamente quem disser que mora em Massamá, Brandoa, Cumeada, Agualva-Cacém, Abuxarda, Alformelos, Murtosa, Angeja. Ou em qualquer outro sítio que soe à toponímia de Angola.

Para não falar na Cova da Piedade, na Coina, no Fogueteiro e na Cruz de Pau. (...)
Ao ler os nomes de alguns sítios - Penedo, Magoito, Porrais, Venda das Raparigas, compreende-se porque é que Portugal não está preparado para entrar na Europa.
De facto, com sítios chamados Finca Joelhos (concelho de Avis) e Deixa o Resto (Santiago do Cacém), como é que a Europa nos vai querer integrar? Compreende-se logo que o trauma de viver na Damaia ou na Reboleira não é nada comparado com certos nomes portugueses.

Imagine-se o impacte de dizer "Eu sou da Margalha" (Gavião) no meio de um jantar.
Veja-se a cena num chá dançante em que um rapaz pergunta delicadamente "E a menina de onde é?", e a menina diz: "Eu sou da Fonte da Rata" (Espinho). E suponhamos que, para aliviar, o senhor prossiga, perguntando "E onde mora, presentemente?", Só para ouvir dizer que a senhora habita na Herdade da Chouriça (Estremoz).

É terrível. O que não será o choque psicológico da criança que acorda, logo depois do parto, para verificar que acaba de nascer na localidade de Vergão Fundeiro?
Vergão Fundeiro, que fica no concelho de Proença-a-Nova, parece o nome de uma versão transmontana do Garganta Funda. Aliás, que se pode dizer de um país que conta não com uma Vergadela (em Braga), mas com duas, contando com a Vergadela de Santo Tirso ? Será ou não exagerado relatar a existência, no concelho de Arouca, de uma Vergadelas?

É evidente, na nossa cultura, que existe o trauma da "terra". Ninguém é do Porto ou de Lisboa. Toda a gente é de outra terra qualquer. Geralmente, como veremos, a nossa terra tem um nome profundamente embaraçante, daqueles que fazem apetecer mentir. Qualquer bilhete de identidade fica comprometido pela indicação de naturalidade que reze Fonte do Bebe e Vai-te (Oliveira do Bairro).

É absolutamente impossível explicar este acidente da natureza a amigos estrangeiros ("I am from the Fountain of Drink and Go Away..."). Apresente-se no aeroporto com o cartão de desembarque a denunciá-lo como sendo originário de Filha Boa. Verá que não é bem atendido. (...) Não há limites. Há até um lugar chamado Cabrão, no concelho de Ponte de Lima !!!

Urge proceder à renomeação de todos estes apeadeiros. Há que dar-lhes nomes civilizados e europeus, ou então parecidos com os nomes dos restaurantes giraços, tipo : Não Sei, A Mousse é Caseira, Vai Mais um Rissol. (...)

Também deve ser difícil arranjar outro país onde se possa fazer um percurso que vá da Fome Aguda à Carne Assada (Sintra) passando pelo Corte Pão e Água (Mértola), sem passar por Poriço (Vila Verde), e acabando a comprar rebuçados em Bombom do Bogadouro (Amarante), depois de ter parado para fazer um chichi em Alçaperna (Lousã).

Miguel Esteves Cardoso
(publico)


Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
104 Comentários Blogger
Comentários Facebook
Mais comentários

104 comentários blogger

  1. Sem esquecer a ligação da Buraca á Pontinha....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da Picheleira à Buraca passando pelo Rego

      Eliminar
  2. Ranholas páh... Ranholas...
    Sempre que vou a Sintra tenho de merir quando passo por essa bela localidade!
    :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E na "Picha"... também existe!

      Eliminar
    2. Sim a "Picha" em Castanheira de Pera que é logo seguida da Venda da Gaita! E não é piada, é geografia!

      Eliminar
  3. E a quem trabalhar na escola em Bufarda, pedir uma fatura na feira do livro de Lisboa, rodeada de alfacinhas finérrimos? Como disse? Perguntam enquanto taparão discretamente o nariz, sem dúvida :)

    ResponderEliminar
  4. Morar na "campa do Perto" - Maia também não deve ser fácil.

    ResponderEliminar
  5. Então e Colo do Pito (Castro Daire)

    ResponderEliminar
  6. Sem esquecer a Coina, a venda das raparigas....sei lá.E cá no norte tb há sítios e nomes com uma conotação a modos que!

    ResponderEliminar
  7. o grande tema - toponímia de ruas - tambem deve ter grande interesse...

    ResponderEliminar
  8. Está muito bom.
    E ainda lhe faltou o Fole Da Gaita e Picha, ficam perto da lousã.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, mas é no concelho de Pedrógão Grande. Que tal uma visita aos Pesos (Cimeiros e Fundeiros), a muito pouca distância (nem meia dúzia de quilómetros) temos a Venda da Gaita, logo a seguir a Picha, não muito longe temos a Racha e para terminar temos a Derreada (que também são duas - Derreada Cimeira e a Derreada Fundeira). Por fim, no mesmo concelho, para completar o humor do nome de todas estas povoações, temos a Graça. Portugal é mesmo único!

      Eliminar
    2. há ainda nessa zona o Senhor Dos Aflitos que só por ironia tem à entrada uma pequena capela forrada a azulejo muito semlhante ao que poderia ser um urinol publico, para aliviar os ditos "aflitos"!!!!

      Eliminar
  9. Mata cães ( Torres Vedras ) a zona do pais com maior numero de localidades com nomes estranhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Matacães é o nome correcto...

      Eliminar
  10. Tambem se esta muito bem em Porto de Vacas ( pampilhosa da serra)!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço (pois também sou do concelho da Pampilhosa da Serra - Machio, para ser mais preciso). E... por esta altura, um belíssimo local para se passar umas férias!

      Eliminar
  11. Posso ajudar! A-da-Gorda, Barbuda, Sarilhos Pequenos e também os há Grandes!

    ResponderEliminar
  12. hehehe adorei... mas não é so em Portugal... em Jersey os Portugueses dao nomes ás ruas.... eis se não quando me dizem que o meu escritório ficava perto da C»na da Velha........

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vivi em Jersey alguns meses e não me recordava destes detalhes maravilha.
      Viveu onde? St.Helier?!

      Eliminar
  13. Venda da Porca e S. Lourenço de Manporcão

    ResponderEliminar
  14. Em contrapartida há quem more no Paraíso, São Pedro do Sul.

    ResponderEliminar
  15. Caro Miguel, eu já não sofro desse trauma que me apoquentava há cerca de um ano, pois comprei um apartamento as portas de Lisboa numa urbanização nova por acaso com um nome um tanto ou quanto a dar para o pcp, pois chama-se urbanização da atalaia, na extinta freguesia da Damaia e atual freguesia Das Aguas Livres, e é engraçado pois nalgumas situações mais"sociais" dizia que morava em Alfragide Norte por causa do estigma de ser freguesia da Damaia, esta cronica encaixa que nem um luva na minha realidade.

    ResponderEliminar
  16. Eu gosto de dizer que sou da Venda das Raparigas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz a lenda, que havia naquele sitio uma TABERNA, que na gíria do povo também se diz VENDA, cujo proprietário tinha duas ou três filhas e que o ajudavam na VENDA.
      Acresce, que ainda hoje aquela estrada faz parte E.N.2 e que, antes das auto-estradas, todo o transito que vinha do centro e norte, passava por lá. Ainda hoje.
      Eu que não uso auto-estradas, passo por lá sempre que vou Viseu-Lisboa-Viseu. Além disso as bifanas do Bigodes continuam a saborosas.

      Eliminar
  17. E o que dizer de Vale da Porca, próximo de Macedo de Cavaleiros !

    ResponderEliminar
  18. A crónica é brilhante. Não seria de esperar outra coisa do Miguel Esteves Cardoso. Mas é também típica de quem mora, na capital, e como ele refere, pensa que tudo o resto é longíssimo, na parvónia, na província como tanto gostam de referir! Aliás, este complexo também se aplica aos moradores do Porto cidade em relação aos concelhos da área metropolitana e outros!

    ResponderEliminar
  19. Caro Miguel, Aqui no concelho de Cascais há uma povoação com um nome tambem óptimo Pau Gordo. Onde mora? No Pau Gordo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também há o Pai do Vento!

      Eliminar
    2. Também há o Pai do Vento!

      Eliminar
    3. canyr é pau gordo ou pau grosso? Esta ultima existe perto do Estoril :D

      Eliminar
  20. Benlhevai no concelho de Vila Flor, Bragança

    ResponderEliminar
  21. Morar em Pirescoxe que pertence a Santa Iria de Azóia, interessante no mínimo :-D

    ResponderEliminar
  22. E que tal " VENDA DA GAITA " - Tomar.
    Bom sitio para viver om montar negòcio, é que fica mesmo à beira da estrada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedrógão Grande, para ser mais preciso e mesmo à beira da Estrada Nacional n.º 2. Ao lado fica a Picha e... o:"Café da Picha" fica mesmo na Estrada Nacional n.º 2.

      Eliminar
  23. E ainda a terra onde ninguém se senta "Pixa".

    ResponderEliminar
  24. Foros da Catrapona; juntinho aos Redondos, em Fernão Ferro !!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É Picha. E tem uma associação de melhoramentos. Gente boa, com orgulho em ver a terra crescer!!!

      Eliminar
    2. Tem razão Anónimo. São gente muito orgulhosa do nome da sua terra!

      Eliminar
  25. E não menos honroso passar por Carrapichana , Serra da Estrela .... lololol

    ResponderEliminar
  26. Em Estremoz parq além da herdade da chouriça também há a Venda da Porca e S.Lourenço de Mamporcão. :)

    ResponderEliminar
  27. Perto de Sines, temos a localidade da Bêbada sede nacional oficiosa dos AA do Alentejo litoral

    ResponderEliminar

  28. Água Todo o Ano

    Freguesia: Tramaga
    Concelho: Ponte de Sor
    Distrito: Portalegre
    GPS: 39.227390, -8.043389
    Código Postal Água Todo o Ano

    7400-601 Tramaga

    ResponderEliminar
  29. Bom mesmo é morar na Rua do Caralho Em Covão do Lobo. Vagos - Aveiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que é Rua do Carvalho - Mas é fácil apagar o "v"

      Eliminar
    2. Parece que é Caralho mesmo, e a palavra não é utilizada como calão no sentido de orgão genital. Nos barcos antigos, nos mastros existia um elemento chamado caralho de dificil acesso e perigoso, daí o termo utilizado pelos marinheiros, vê lá se queres ir para o caralho! Hoje em dia o caralho é outro....

      Eliminar
  30. não esquecer o vale do inferno para os lados de louresou os casais dos 1000 homens a caminho da batalha

    ResponderEliminar
  31. Murfacem, Cova e Corvina na Trafaria

    ResponderEliminar
  32. E Alguidares de Baixo, Albergaria dos doze, Raiva, Pé de Moura, Pedorido, Roçomil, Catapeixe, no distrito de Aveiro?

    ResponderEliminar
  33. Em Moimenta da Beira:
    Toitam
    Carapito
    Penso
    e...
    A de Barros..

    :-)

    ResponderEliminar
  34. Poucos devem saber que a actual Amadora, há bem pouco tempo não era mais que a Porcalhota

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amadora á muitos anos que tem este nome e não Porcalhota, além que os mais antigos ainda chamamos Porcalhota, porque um pouco mais baixo onde existia a Sorefame entre outras fábricas na altura é o Bairro das Cruzes de onde é o Jorge Jesus treinador do Benfica


      Eliminar
    2. Porcalhota refere-se a uma zona da Amadora.

      Eliminar
  35. Mais dois lugares com nomes de sonho!
    - Uma aldeia no distrito de Santarém: Casais da Bufinha
    - Uma zona da cidade de Santarém: Rego de Mansos

    ResponderEliminar
  36. Talvez nunca ouviram falar da Cabeça do Carvalho que fica no concelho de Soure

    ResponderEliminar
  37. Ainda falta o classico Anais em ponte de lima, direito a tabuleta na auotestrada.

    ResponderEliminar
  38. E que tal Alfaquiques e Ribeira de Rio de Cões na freguesia de São Joao das Lampas - Sintra ;-)

    ResponderEliminar
  39. Eu cresci na Fonte da pipa a seguir as Galinheiras. Pertence ao concelho de Loures.

    ResponderEliminar
  40. Boas. Uma visão de Arquitectura.

    A cidade de Lisboa é constituída por uma malha de retalhos. Por estranho q pareça a malha corresponde às quintas existentes na cidade na planta de Lisboa de 1700.

    As quintas deram origem a bairros.

    Os bairros oferecem descontinuidades entre si.

    O urbanismo integrado com vias estruturais e continuidades entre zobas/bairros é praticamente inexistente em Lisboa e na maior parte das cidades antigas da Europa, excepto as reconstruídas após guerras/catástrofes.

    Acima de tudo são essas descontinuidades que fazem as diferenças. Os nomes são apenas um reflexo dessas diferenças.

    Só é possível mudar esta realidade com coragem e consciência colectiva do problema que acarreta.

    A manutenção desta realidade assenta no pressuposto da memória do lugar e q o indivíduo deve estar associado a mesmo.

    Facilmente propostas de alteração destas realidades são associadas a regimes extremistas, fora do entendimento das diferenças sociais que acarretam na dura essência do problema.

    São conhecidos os problemas associados a distâncias entre bairros na história do mundo, como por exemplo a distância entre bairros em Londres dum lado para o outro do rio e os problemas sociais que acarretam. Por isso se constroem tantas pontes, como em Democracia estabilizadas - ex. Paris.

    A política está intrinsecamente ligado ao Urbanismo. Infelizmente os interesses da Banca também, por razões triviais.

    A refletir

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Problemas sociais que acarretam as áreas suburbanas.... Hum... Isto assumindo que, nas áreas metropolitanas estes problemas não existem...

      Eliminar
  41. A caminho da Pampilhosa da Serra, depois de se passar Pedrogão Grande... esbarra-se com a Venda da Gaita a caminho da Picha :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo ao lado. E... já agora o nome da minha terra: Machio. A cerca de 13 kms. da Pampilhosa da Serra. E lá perto temos o Trinhão, a Maria Gomes. Já do lado de Oleiros, temos a Gaspalha, a Frazumeira, os Quartos (de Aquém e de Além) e ainda a Madeirã.

      Eliminar
  42. Há uma terra que se chama picha, não sei onde fica, mas existe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. també no distrito de faro há uma localidade que se chama Coiro da Burra e outra Bate Cú.

      Eliminar
    2. Pedrógão Grande

      Eliminar
  43. Não esquecer que os brasileiros também são bons a dar nomes às localidades. Já tive a experiência de viver em Cabeçudas - Itajai estado Santa Catarina. Também existe outros lugares com nomes como: Itapipoca, Bombinhas, .....

    ResponderEliminar
  44. Então e se formos para a Beira Baixa temos a localidade da "Pixa".
    "Onde moras? Eu, sou da Pixa"

    ResponderEliminar
  45. Também há dois lugares chamados - Deixa o Resto e Sempre Vai

    ResponderEliminar
  46. azabujo, brogal.

    ResponderEliminar
  47. Que chatice! E eu que pensava que morar em Carnaxide era Altamente, pois, quando para lá fui morar disseram-me na altura que Carnaxide era a maior freguesia da Europa, a terceira freguesia mais antiga do país. Era o máximo morar em Carnaxide… sentia-me o maior! Agora não sei, talvez pondere mudar para o Restelo talvez o rimar não seja tão pejorativo….e depois ainda posso contar com umas idas ao “Careca”, ou os passeios de fim de tarde de passagem pelos Pasteis de Belém….

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixe-se estar em Carnaxide que é boa terra, arejada e muito bem lavada.

      Eliminar
  48. Vila Nova do Coito, Almoster, Santarém :)

    ResponderEliminar
  49. Pois eu sou mesmo alfacinha de gema, ali da Alfredo da Costa, mas não me envergonho nada do nome da minha terra verdadeira, aquela que me viu crescer e que dá pelo nome de : Pai das Donas! - Segundo reza a estória: “As ”Donas" de Pai das Donas"

    Havia noutro tempo - claro, não é da minha lembrança, nem nada parecido - os “Cavaleiros” no Sardal, o “Lavrador” da Deguimbra e as “Donas” de Pai das Donas, porque lá só viviam duas senhoras solteiras e que eram as senhoras donas, que, noutro tempo, ninguém tinha dom. Hoje tudo tem dom. Mas noutro tempo só tinha dom aonde eu pertencia. Então, elas eram umas senhoras...donas de Pai das Donas. Só viviam elas lá. Iam à missa a Côja. Há ali uma igreja no Senhor da Ribeira. Então, o padre, quando ia para dizer a missa, para se pôr o altar, perguntava:
    - “Estão os ”Cavaleiros“ do Enxudro? O ”Lavrador“ da Deguimbra? E as ”Donas“ de Pai das Donas? Já não vou para o altar!”
    Ele não ia dizer a missa enquanto não estivessem. Sem elas lá estarem o padre não dizia a missa.

    ResponderEliminar
  50. Baixa da Banheira

    ResponderEliminar
  51. Por isso ee que somos portugal cheio de luz, dinâmicas diversas e encantamentos.

    ResponderEliminar
  52. eu gosto muito de "Deixa o Resto", ao pe de Sines

    ResponderEliminar
  53. Muito bom!
    Eu sou estrangeiro e rio-me tanto com os nomes das localidades. Vivo na Ericeira e gosto do lugar e do nome. Mas quando vou à Guimarães, farto-me de rir com a placa "Cabeçudos". Tenho pena das mães que lá tiveram seus filhos em parto natural. :)

    ResponderEliminar
  54. Keep calm que podemos ir todos à Califórnia de automóvel. Califórnia no Concelho de Loulé.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou ir a Cuba no Alentejo!

      Eliminar
  55. No concelho de Vila Verde também há algumas freguesias com nomes interessantes: Geme, Anais, Pico de Regalados, Atães, Corvos, Covas, Godinhaços, Gomide, Nevogilde, Penascais, Portela das Cabras, Marrancos, Turiz, Escariz, etc.

    ResponderEliminar
  56. Deixa o Resto - fiquei sem palavras :)

    ResponderEliminar
  57. Cabeça da Cabra perto de Porto Covo e Cova da Zorra em S.Luis.

    ResponderEliminar
  58. E também temos a Perna Seca, a Pernancha e um bocadinho mais à frente a Perna Molhada, no distrito de Santarém. Portugal no seu melhor, mesmo.

    ResponderEliminar
  59. DEGOLADOS no concelho de Mação, perto de Abrantes. Eu é que não moraria lá ....

    ResponderEliminar
  60. Purgatório, entre Messines e Albufeira, também é um espectáculo.

    ResponderEliminar
  61. Cabeça Gorda e Penedo Gordo, concelho de Beja.

    ResponderEliminar
  62. Fernando Louro13 julho, 2014 19:12

    E Degolados, Concelho de Campo Maior

    ResponderEliminar
  63. Nem é preciso ir tão longe!!! Pergunte a um seu amigo jornalista se considera o Lumiar (onde gostaria de colocar a sua criança a estudar num colégio de referência) Lisboa!!!! O problema não está nos nomes...apenas na presunção!!! Quando gostamos do que somos, nome algum nos envergonhará!!!!

    ResponderEliminar
  64. Não esquecer que mesmo junto ao Triângulo Erótico da Bairrada temos a Palhaça com o Nariz ao lado!!!

    ResponderEliminar
  65. Ainda ninguém se lembrou que temos uma localidade chamada Amor.

    ResponderEliminar
  66. Ainda ninguém falou de Enxabarda (Concelho do Fundão)

    ResponderEliminar
  67. E o antigo Coiro da Burra em Estoi, Algarve?
    Agora tem um nome sem identidade, salvo erro, Mimosa...

    ResponderEliminar
  68. Monte Gordo, Algarve. Ou como dizem agora, Allgarve.

    ResponderEliminar
  69. E ainda Há a Aldeia de Além

    ResponderEliminar