Posts do momento

Viva Portugal, a corrupção e o resto da canalha!

0 0

Joaquim Oliveira (29%), António Mosquito (27%) e Luís Montez (14%), em conjunto com BES e BCP, 
serão os novos accionistas do grupo Controlinveste. (CM)

As negociatas ruinosas da banca que todos pagamos. Devedores perdoados?


A mesma banca (BES e BCP) que o governo tem vindo a financiar com o dinheiro dos nossos impostos e dos nossos descontos, vai perdoar uma dívida de 190 milhões de euros a Joaquim Oliveira para salvar o seu grupo de comunicação social. Um grupo para onde vai entrar também com 14% do capital, o genro de Cavaco Silva. O tal Luís Montez que estava cheio de dividas mas continua a ter muitos milhões para investir e comprar património nacional em saldo.

O descaramento é ilimitado, a banca continua a servir para branquear as transferências do dinheiro público para os privados. Os nossos impostos continuam a ser usados para ajudar e mesmo para salvar os incompetentes da ruína. Os negócios ruinosos da banca, podem aparentar irresponsabilidade ou incompetência, mas como são apoiados pelo estado, não há perigo. Há sempre muitos milhões dos contribuintes que pagam a irresponsabilidade e a incompetência, neste país do regabofe.

Controlinveste: 190 milhões de dívida convertidos em 30% de capital. (2013)
BES e BCP, mãos largas, perdoam...

"Joaquim Oliveira (29%), António Mosquito (27%) e Luís Montez (14%), em conjunto com BES e BCP, serão os novos acionistas do grupo Controlinveste. O acordo para reestruturar a área de media do Grupo Controlinveste deve ficar fechado até ao fim desta semana.
A nova sociedade (que poderá ser uma nova holding) terá a participação do BES e do BCP, que convertem 190 milhões de euros de dívida em 30% do capital (15% para cada entidade financeira). O grupo terá que gerir um remanescente de dívida bancária de 40 milhões de euros.

Joaquim Oliveira permanece como o maior acionista individual, mas vê a sua percentagem consideravelmente reduzida passando dos atuais 100% para apenas 29% do capital. No grupo, entram dois novos acionistas; o empresário angolano, António Mosquito, que deverá injetar 15 milhões de euros, o que lhe dará 27% da nova sociedade, e o português Luís Montez que ficará com 14%. Ontem os vários intervenientes estavam a ultimar o modelo de gestão da futura sociedade que vai controlar, entre outros, o ‘Diário de Notícias’, ‘Jornal de Notícias’ e TSF. Contactada, a Controlinveste optou por não fazer comentários." CM

A ESTRANHEZA DAS NEGOCIATAS


Deixem ver se percebo:
- O Joaquim Oliveira pede emprestado quase 300 milhões de euros para comprar os jornais DN, JN e a TSF, aos bancos BCP e BES!
- O Joaquim não consegue pagar, nem os juros.
- Os bancos perdoam quase 2/3 da divida!
- Outra parte convertida em capital, ficando o Joaquim com uma parte!!!!
- O BCP recebe uma ajuda do governo (isto é de todos nós) de 3 mil milhões de euros! para tapar os buracos do BCP.

Conclusão:
- O Joaquim comprou uma grande empresa, com muita influência política.
- O Joaquim não meteu um tostão seu, na compra, os bancos pagaram por ele.
- O Joaquim Oliveira não pagou a dívida.
- Os bancos faliram.
- Não faz mal, a malta paga!?
- E Joaquim Oliveira continua sócio da empresa, com uma participação qualificada!!!!!!
Ah, esqueci-me de explicar que o Joaquim Oliveira, é dono da SportTv, que manda no futebol, e nenhum banco empenhou as acções dele!!!


Um retrato fiel do nosso país

"Joaquim Oliveira, que nunca fez nada pelo seu país, a não ser viver à custa dele foi nomeado cidadão honorário de Penafiel. O seu irmão António Oliveira, jogador profissional e treinador de futebol com alguns títulos registados, foi completamente ignorado. Viva Portugal, a corrupção e o resto da canalha." por Marinho Neves (jornalista)


As teias de influencia de Joaquim Oliveira


OS INTERESSES NESTE GRUPO


Quem detém os direitos televisivos dos jogos de futebol em Portugal?
A Olivedesportos e a PPTV, duas empresas de Joaquim Oliveira, detêm os direitos de transmissão televisiva dos jogos dos campeonatos profissionais de futebol em Portugal, cedendo-os depois à Sport TV. Um jogo por jornada da Liga é transmitido em canal aberto (actualmente pela RTP) e é precisamente esse encontro semanal que está agora a concurso. A Olivedesportos também detém os direitos do Mundial de futebol, da Liga dos Campeões (a RTP transmite um jogo por semana), da Liga Europa (a SIC tem direito a um jogo por jornada) e da Taça de Portugal (cedidos à TVI).

Quem é o dono da Olivedesportos?
É Joaquim Oliveira (...)

Por que é que os direitos pertencem todos à mesma empresa?
Joaquim Oliveira começou por explorar a publicidade estática nos estádios de futebol. A actividade da Olivedesportos foi depois alargada aos direitos televisivos. Hélder Varandas, presidente da empresa de consultoria Favvus, explica que o dono da Olivedesportos aproveitou a "dependência dos clubes em relação a estas receitas" para negociar contratos plurianuais, ficando com os direitos de todos os jogos na mão. Estes contratos entre as empresas de Joaquim Oliveira e os clubes de futebol têm vindo a ser sucessivamente renovados. A necessidade de dinheiro fresco tem levado os clubes a anteciparem receitas, vendendo os direitos televisivos com grande antecedência.

Mas a Olivedesportos é só um intermediário?
Sim. Grande parte dos jogos é transmitida pela Sport TV, um canal codificado criado em 1998, pela Olivedesportos, RTP e Portugal Telecom. Actualmente é detido pela Zon e Olivedesportos.

O que se passa em Portugal é igual ao que se passa no resto da Europa?
Não. Na maioria dos países europeus também é só um operador a deter os direitos de todos os jogos, mas os clubes negoceiam a venda dos direitos em bloco. Ou seja, é a Liga de clubes que lança um concurso para a venda de todos os jogos do campeonato. Em Portugal, tal como em Espanha, cada clube negoceia individualmente os seus jogos.

Esta venda individual traz vantagens aos clubes?
Os especialistas garantem que não. "Comparando com outras ligas da mesma dimensão, a Olivedesportos paga pouco. Podia pagar mais", afirma Hélder Varandas, apontando como explicação para este facto a "capacidade de negociação frágil dos clubes". Estima-se que Joaquim Oliveira pague anualmente 42 a 45 milhões de euros aos clubes, um valor que é inferior a outras ligas da mesma dimensão da portuguesa, como a turca (260 milhões anuais), holandesa (100 milhões) e grega (54 milhões). A liga inglesa é a mais rentável neste capítulo, recebendo anualmente 1179 milhões de euros, sendo seguida pela italiana (911 milhões), francesa (668 milhões), alemã (412 milhões) e espanhola (240 milhões).

Quando a venda de direitos televisivos é colectiva, os clubes recebem todos o mesmo?
Não. Normalmente, há uma parcela fixa para cada clube. Depois, cada um recebe mais duas parcelas, uma calculada segundo a audiência dos seus jogos e outra mediante a classificação final no campeonato. Isto significa que os clubes mais bem classificados e com mais adeptos recebem mais do que os outros. Publico
Fonte Zita Paiva

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
0 Comentários Blogger
Comentários Facebook

0 comentários blogger

Enviar um comentário