Posts do momento

Luís Pedro Nunes passa-se e arrasa praxes

31 31


Brutal intervenção de Luís Pedro Nunes no Eixo do Mal, sobre praxes a gozar com a tragédia do Meco! - "Estes grunhos (....)"

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários blogger
comentários facebook

31 comentários blogger

  1. Pelos comentários que vão passando no feicebuque, o problema não está nos grunhos merdosos, mas sim no Eixo do Mal, porque o Luís Pedro Nunes teve o despautério de chamar os bois pelos nomes !

    ResponderEliminar
  2. Eu não consigo é perceber como não acabam com a faculdade que cria estes imbecis, incultos de comentadores e jornalistas que todos os dias nos enchem a televisão com este tipo de coisas. A forma de falar deste "senhor" só demonstra a falta de educação. Pessoas que falam sobre a praxe em televisão não sabem o que é a praxe. Há praxistas e praxistas e não vale a pena generalizar. Antes de falar do que não sabem informem-se!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cala-te grunho.

      Eliminar
    2. As praxes são uma aberração !!!
      MERDA é pouco para tamanha sabujice.

      Eliminar
    3. Pelo menos têm a coragem de dar a cara, não são anónimos.

      Eliminar
    4. e porque é que os praxados, em maioria, não vão á tromba dos praxantes? Seria dente por dente...

      Eliminar
    5. Bom! quanto ao dizer merda na televisão, não tem nada de mais... nas cadeias de televisão por esse mundo já dizem merda à muito tempo.. Olhem os franceses estão sempre a dizer... enfim..Quanto às apraxes, eu fiz faculdade, como é de apraxe teria que fazer também, Pois caros internautas, simplesmente dei uma sova nesses gajos, não fiz praxe nenhuma, e depois todos me respeitavam porque tive colhões e enfrentei esses imbecis... um dos que dei a sova hoje fáz parte do governo , claro que não vou dizer quêm é.... acabem com essa MERDA.

      Eliminar
  3. O Pedro Nunes disse tudo o que penso. As universidades tem culpa. Dizer merda é um pormenor. Assino por baixo.

    ResponderEliminar
  4. todos os que fazem praxe deviam ser cozidos vivos em azeite.

    ResponderEliminar
  5. Critiquem as praxes, pela aberração que é na vossa opinião. Mas não a fazer e dizer pior do que aquilo que os ''praxantes'' supostamente dizem a quem é praxado e nos chamam imbecis, merdas, grunhos. Já não consigo aguentar com esta porcaria desta situação, quem quer criticar que o sabia fazer, que não seja com insultos e já agora sem atitudes fascistas a pedir que os estudantes que estão em praxe sejam expulsos das faculdades. Estou completamente farta e indignada com esta miséria humana do não saber respeitar as opções de certos estudantes. Se não há respeito já mais haverá entendimento.
    Eu sou praxista e sei que tudo o que eu disse aqui vai ser usado por qualquer pessoa para me atacar de alguma forma mas se algum anti-praxe que deseja que as praxes acabem e que sejam proibidas tivesse a brilhante ideia de falar com alguém e arranjar alguma solução para o que se passa em certas faculdades isso sim era respeitável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução, partindo do princípio que a praxe é absolutamente necessária, é a praxe social ou a praxe solidária como aconteceu recentemente em 'Évora. Assim, sim.

      Eliminar
    2. "Já mais"?!! Já se vê o que é os "praxistas" andam a fazer na universidade...

      Eliminar
  6. Qualquer dia, com alguma mestria de Photoshop, pegam na execução feita pelos jihadistas e "vestem-lhe" um traje académido e com uma legenda a dizer que isto é apenas uma praxe académica!
    Era ver os jornalistas com os olhos raiados de vermelho, falar palavras bem piores que merda...
    O que não se faz para ter protagonismo...

    ResponderEliminar
  7. http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=771809&tm=8&layout=122&visual=61

    ResponderEliminar
  8. Este senhor mede todos pela mesma bitola. Como é óbvio, é a forma mais fácil contudo, não é, de todo, a mais justa nem a mais correcta. Pessoas que sabem e pessoas que NÃO sabem... há por todo o lado e nas mais diversas áreas. A praxe não é uma excepção. Como é o caso do próprio senhor Luís Pedro Nunes que, além de não saber defender a sua posição sem insultar a outra parte, infelizmente, também não sabe comportar-se em televisão.
    O que é bastante irónico é este discurso de ofensas e faltas de respeito ter vindo de um senhor que diz "não ser capaz de se medir pelo mediano". Pelo mediano já não seria mau que ele se situasse... uma vez que, ontem, a sua intervenção não passou do medíocre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o dedo na ferida doi que se farta

      Eliminar
  9. quem acha que merda é forte, que exprimente se colocar na pele de um dos pais dos qur morrem por causa destas merdas...

    ResponderEliminar
  10. CALA-TE, burro és tu por nem sequer saberes do que falas... 99 % dos jovens que entram na praxe gostam da praxe, por isso não nos chames de burros quando nós experimentamos e gostamos!!
    Burro és tu e todo o jornalismo de merda que existe em Portugal...
    Respeitem mais os jovens, respeitem os miúdos que morreram, porque chamarem-nos burros é chamarem burros aos falecidos, e isso não vos admito, pois eles só estavam no lugar que desejavam estar, com as pessoas que amavam, a passar o melhor ano das suas vidas!!!
    Com todo o respeito, que não o merecem, burros são vocês, e merda é o que vocês dizem da boca fora!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E levantando-lhe o faldistório. lhe encaixou o pífaro leiteiro no vaso natural e esgaravatando, ficou consumada a desfloração.

      Eliminar
  11. A cima de tudo respeito! Acho que isso é o minimo que as pessoas devem ter.
    Não gostam? não querem? não concordam? muito bem, digam a vossa opinião mas sem ter de insultar os outros, porque graças a deus eu tive educação e sei que não se deve insultar as pessoas e que a minha liberdade acaba quando começa a do outro.
    So porque eu nao gosto de batatas e o outro gosta vou desatar a insultar? Por favor,acho que a maior parte das pessoas incluindo este senhor ja tinha idade para ter noçao das coisas.
    Passem bem.
    Beijo de uma praxista com orgulho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. cala-te grande burro so dizes é merda

      Eliminar
    2. Praxes...? Respeito..? Desde quando os praxistas respeitam a dignidade humana que cabe a cada um. O que falta é consciência e cidadania.

      Eliminar
  12. Houve um tempo em que as praxes foram proibidas, mas agora com o acordo ortografico tambem devem ter aparecido novas condicoes sociais (dux, praxista e praxante). Sera que da para por no curriculo?

    ResponderEliminar
  13. Praxe no meco! Engano os meninos que eu saiba não eram caloiros. O que se passou no meco foi outra coisa e que está muito mal contada. Em relação às praxes eu fui praxado e se o espírito da praxe for o correto, isto é o de dar a conhecer aos caloiros o espírito da universidade e ao mesmo tempo dar-nos a conhecer respeitando todos, não vejo nenhum mal na praxe, daí ser importante definir quem praxa pois nem todos o sabem fazer.

    ResponderEliminar
  14. A praxe é uma idiotice pegada. É a glorificação da acefalia, do efeito rebanho, da humilhação, da hierarquia bacoca, do seguidismo acrítico, do despotismo cego, enfim, dos merdas que nos governam como querem porque somos o burro do Guerra Junqueiro que nem as moscas já consegue enxotar. Já dizia Oliveira Martins, Portugal é um banco e uma granja, banco de corruptos falido e granja cerebral onde campeiam chupistas e praxistas incontrolados. Fiquem com as praxes os imbecis mas libertem do vosso estúpido ritual as pessoas inteligentes e os espíritos livres que são a única esperança deste país de trampa...

    ResponderEliminar
  15. Até pode chamar merdas às pessoas que participaram nesse tipo de piada. Mas há praxes em que não há nada disso, são boas e a maioria das pessoas recorda com emoção o ano em que foi praxada. Acho uma imbecilidade criticarem a praxe como se toda a gente fizesse isso. Isto são casos esporádicos. As outras pessoas não têm nada a ver com isto! Por um pagam todos??? A maioria das praxes é boa, sim. Logo, a praxe é algo bom.
    Se lhes mandam fazer isto, eles podem muito bem recusar! Ninguém lhes aponta uma arma! O mal está nesses jovens que aparecem nas notícias (más) que não têm personalidade para dizer que não e também nesses praxistas que são idiotas. Esses sim, deviam ser parados e não toda a gente!
    PS: fui praxada, mas não praxei por opção.

    ResponderEliminar
  16. Há coisas que têm de acabar sim, e parte muito dos "bons praxistas" denunciarem situações de "má praxe". Só eles estão no direito e no lugar certo para o fazer e se não o fazem o que acontece de mau nesse hemisfério também é da responsabilidade deles, infelizmente No fundo é sempre assim, vivemos em sociedade e não nos podemos "desresponsabilizar" pelo que acontece aos outros noutros lugares, porque de uma forma ou de outra tudo começa e acaba em cada um de nós, o bem e o mal...É a minha opinião...E força ao pessoal que se esforça por limpar a boa tradição académica!

    ResponderEliminar
  17. Praxes, praxes, praxes... estupidez exacerbada, isso sim! O que são praxes? O que têm que é tão tão tão necessário à vida? Necessário necessário era trabalharem para pagarem os estudos ou um tanto para verem o que é a vida. Tanta palermicezinha que inventam. Que tal estudar, aprender, e aprender a ser e a estar? Cresçam e apareçam e deixem-se de mordomias e insensatez... Se querem brincar, voltem ao jardim infantil. São adultos praticamente e fazem e metem-se em coisas que nem os pais sonham (Que pais? Que educação?...), tal como aconteceu no Meco, e agora os pais, sem eira nem beira de si próprios e filhos, querem encontrar um porquê, um quem, um como... Mas verdade seja dita que os filhos eram adultos e fizeram porque quiseram. Insurjamo-nos contra o que é desumano para que não aconteça desumanidade. Que depressa se acabe com tanta merdeza que escorre pelo país por tudo quanto é canto, sobretudo nos corações, cabeças e almas das gentes... Só decadência... Ergamo-nos!

    ResponderEliminar
  18. As praxes produzem o quê?
    Nada, apenas é uma forma de alguns fazerem a outros o que não conseguiriam na normal vida diária.
    Revela cobardia, insensatez e mediocridade de quem a pratica. Escondem-se por trás da integração e eu pergunto que integração? Integração é explicar regras, procedimentos e locais onde se praticam para que o jovem recém chegado tenha menos dificuldades.

    ResponderEliminar