Ricardo Araújo Pereira escreve a José Sócrates

Carta a José Sócrates

Caro eng. José Sócrates,
Espero que esta o encontre bem.
 
Li com atenção as suas cartas e foi apenas por falta de tempo que não respondi mais depressa. Lembro-me de, no fim do liceu, ter mantido alguma correspondência com antigos colegas mas, por uma razão ou por outra, a troca de cartas foi-se tornando cada vez mais rara, até que parou completamente. Não gostaria de cometer esse erro outra vez. 

Parece-me importante manter o contacto com as pessoas do nosso passado, como antigos colegas e antigos primeiros-ministros.

portugal glorioso Ricardo Araújo escreve a Sócrates
fonte: visao.sapo.pt

Tenho pensado bastante nas observações que vai fazendo. Esta última carta sensibilizou-me especialmente, na medida em que criticava a cobardia dos políticos, a cumplicidade dos jornalistas, o cinismo dos professores de Direito e o desprezo das pessoas decentes. 

Como creio que sabe, não pertenço a nenhuma das categorias citadas, e por isso fui deixado de fora do seu olhar crítico, pelo que lhe agradeço.

As críticas que faz ao funcionamento da justiça parecem-me muito pertinentes. Portugal precisava que um homem como o sr. estivesse, digamos, sete anos à frente do Governo, talvez quatro dos quais com maioria absoluta, para fazer uma reforma séria do sistema judicial. 

É uma pena não termos essa possibilidade. Na minha opinião, os primeiros-ministros deviam ser presos antes, e não depois dos mandatos. Estagiavam durante dois meses numa cadeia, três num hospital e um semestre numa escola. O contacto directo com a realidade dá-nos perspectivas novas, mais informadas, e acirra o ímpeto reformista.

Julgo que é possível estabelecer um paralelo entre o processo de Josef K., a personagem de Kafka, e o de José Sócrates, ou Josef S. - sendo que a sua história é mais complexa: tanto Josef K. como Josef S. se vêem confrontados com decisões judiciais autoritárias e, em certos aspectos, até grotescas, mas Josef K. nunca teve amigos como Alberto Martins e Alberto Costa a tutelar a justiça, nem governou o seu país. 

Era apenas vítima. Ser simultaneamente vítima e carrasco deve ser mais perturbador. Ao contrário do que muitas vezes se diz, Joseph-Ignace Guillotin, o inventor da guilhotina, não foi guilhotinado. Essa ironia foi reservada para si, que é agora acusado por um sistema que ajudou a conceber e conservar.

Veja: Ricardo Araújo Pereira e as escutas a Sócrates

Compreendo quase todas as suas queixas. Na verdade, a ironia que identifiquei acima não é a única do seu caso. Ao que parece, o facto de um amigo lhe ter disponibilizado um apartamento de 225 metros quadrados em Paris fez com que o Ministério Público lhe disponibilizasse um apartamento de 9 metros quadrados em Évora. 

Obrigam-no a aceitar aquilo que o acusam de ter aceitado. É duro. E irónico. Uma pessoa tolera tudo, menos figuras de estilo.

Considero, no entanto, que algumas das suas análises são menos acertadas. Por exemplo, quando diz, sobre a intenção da prisão preventiva: "(...) já não és um cidadão face às instituições; és um 'recluso' que enfrenta as 'autoridades': a tua palavra já não vale o mesmo que a nossa." 

Aqui para nós, se lhe roubaram o valor da palavra não terão levado grande tesouro, uma vez que a sua palavra já não valia o mesmo que a nossa desde aquela promessa dos 150 mil empregos.

Espero que não leve a mal esta franqueza. Estou certo de que voltaremos a falar.

Cumprimentos,
Ricardo

19 comentários

  1. É fácil perceber porque o país está no estado em que está e no estado em que ficou e no estado em que ficará.
    E é fácil dado a tanto comentário de gente idiota em defesa do santo antigo primeiro-ministro (graças a Deus,acho).

    Sim, isso mesmo, gente idiota. Que após tudo aquilo que foi tornado público, sobre esta personagem continuam a submeter opinião de louvar e enaltecer o espírito do mesmo, só pode ser com certeza uma comédia muito mal escrita.

    ou desviam o assunto para outros casos que são obviamente flagrantes em como afundam mais o país, ou falam do passado e de outros. Pois bem neste momento fala-se deste, quer queiram quer não.
    E sim deve ser falado, e quando se fala em condenar quem deixou o país no estado em que ficou, isto sim espero que seja um começo, pois só assim seremos realmente um estado de direito e de leis como está na nossa constituição.

    Portanto amantes de socrates, tiram a cabeça do cu e comecem a acordar para o "clubismo" onde estão enfiados, e tenham atenção aos factos.
    Este foi dos piores primeiros ministros, que alguma vez tivemos, inteligente sem dúvida, mas com selo de bandido claramente estampado na testa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu,identifico-me como o Luis Ribeiro,estou totalmente de acordo,com os srs.João Branco,e Herminius Lusitano,não tenho nem nunca terei medo de retaliações.Acho que já veio tarde a prisão do sr Sócrates,e também acho que deveria ter a companhia de mais comparsas,que continuam à solta neste triste País que é governado por FASCISTAS.E mais não digo para não ferir susceptibilidades,que continuam com os olhos fechados infelizmente.

      Eliminar
  2. Classe política e bancária...

    ResponderEliminar
  3. Quer dizer eu nao vos percebo, o dito senhor nao pode ter 20 milhoes na UBS para comprar rebucados que todos lhe apontam os dedos, e todas as coisas boas que ele fez pelos jovens, esperem, eu vou acabar por me lembrar de alguma coisa...Sabem o que vos digo meus amigos, pelo menos nao vou ver os foguetes por umas barras, mas aquilo para esse dito senhor devem de ser umas ferias...Digam o que disserem o dinheiro comanda o mundo....

    ResponderEliminar
  4. Grande Hernani Gomes! Grande R.A.P..

    ResponderEliminar
  5. jose carvalhido01 janeiro, 2015 23:05

    Lei Bosman na politica já

    ResponderEliminar
  6. A culpa do país estar na merda é do povo. não dos partidos... Quando é que metem isso na cabeça?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que a culpa será sempre do povo, pois é o povo que elege esses ditos praticantes de política de bolso!!

      Eliminar
  7. Espero que ele lá passe um bom par de anos! Ninguém se preocupa com o facto de ele ter cometido os crimes enquanto 1 ministro? Só se preocupa com o segredo de justiça agora..e quando o avisaram que ia ser preso..já não era violação ? Este país é uma cambada de lambe bota e palhaços!

    ResponderEliminar
  8. Vou manter o anonimato porque estou comprometido com o Regime. Como eu estão as centenas de milhar de Homens que participaram na Malfadada Guerra Colonial. A seguir veio o 25 de Abril com tudo o que de Bom e de Mau o acompanhou. Vieram também Homens sérios como o Senhor Capitão Salgueiro Maia e outros ditos homens autênticos vermes corruptos e incapazes que nos Têm desgovernado e se têm governado. Sem fazer Juízos precipitados não acredito que os Senhores Juiz e Procurador tivessem agido de animo leve, não ponderassem os prós e contras e não tenham provas que justifiquem a prisão preventiva. Quanto ao segredo de justiça houve um passarinho que me disse que foi o próprio a avisar a televisão que chegava, à semelhança das cartas que vai escrevendo para as televisões e Jornais. Não vi ninguém a insurgir-se pelos milhares de portugueses presos preventivamente.
    Posto isto acho que os Gatos Fedorentos ficaram menos fedorentos. Por isso peço-lhes que continuem a tomar banho para que estejam limpos,limpinhos para assuntos deste e de outros artistas.
    O meu obrigado como anónimo. Em Portugal todos os cidadãos anónimos estão lixados com F Grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comungo com as suas ideias. Já agora e a talhe de foice, sempre lhe digo que conheci na pele, o lado MAU do 25 de abril. Não estou contra os ideais que determinaram aquela data, mas pelos trafulhas, xulos e anti-patriotas que conspurcaram a revolução.

      Eliminar
  9. QUEM ME DERA LA ESTAR A RESOLVER A VIDA E VOCÊS TODOS A CHAMAREM ME NOMES

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O texto do Gato é genial mas esta tua resposta é muito melhor

      Eliminar
  10. Parabéns pelo texto.
    Quanto a Sócrates, tenho pena pois sou Português, defendi Portugal e o meu país com toda a força, viajei por muitos países e era um orgulho dizer que sou Português, perguntavam qual o país que msis tinhs gostado e respondia, Portugal. Hoje tive que mudar..... de país e de opinião. Portugal têm duas coisas boas, o clima e o aeroporto de Lisboa, tudo o resto estes Srs. Politicos têm destruído. Fui obrigado a sair de Portugal pois, quando decidi mudar de empresa apresentei a minha disponibilidade a algumas empresas em Portugal e apenas recebi propostas tao ridículas como os governos que têm passado por Portugal. Para o estrangeiro nem me necessitava candidatar pois atravez do prefil online recebia propostas decentes.
    Todos os dias morro um pouco como Português ao ver que não era dificil ter um país em condições bastava ser bem governado.

    ResponderEliminar
  11. RIP, Língua Portuguesa...
    RAP, parabéns, mais uma vez.

    ResponderEliminar
  12. Não desejo voltar para traz, mas o pós 25 de Abril abriu muitas portas ao vicio dos políticos. Como caiu a nossa moeda, o nosso nome, as nossas virtudes...?
    Quem começou a gastar dos nossos cofres? Quem recebeu quantias enormes a fundo perdido da CEE, as distribuiu e não cobrou a quem as recebeu? Quem anda a ganhar do bem bom com carros de alta gama, motorista, guarda costas, pago pelo pobre contribuinte que nem dinheiro tem para ter casa e comida para os filhos ou sustentar seus pais que nem reforma suficiente tem para suas necessidades... Todos os políticos que passaram por Belém ou São Bento são culpados... Não é uma questão de Direita ou Esquerda... É uma questão de CIVISMO de PATRIOTISMO, quando andam na rua deveriam ter orgulho de ver um povo feliz por viver, e não o contrário. Deveriam ter vergonha em recorrer das contribuições para sustentarem vícios próprios de amigos e amigos de amigos (BCP, BES, BPP...) MEDIOCRES é o que os nossos POLITICOS são desde sempre uns MEDIOCRES... Os nossos políticos andaram sempre a ridiculizar nos, a fazerem figura de ricos quando sempre fomos uns pobres, a gastar o que não era nosso !!
    Somos um país pequeno, assim como a Hollanda, Suiça, Austria de quem não se fala !!
    Os Ministros Suécos não têm mordomias, mas têm um país próspero, exemplos bons os senhores nossos ministros têm muitos... A começar por eliminar cargos INUTEIS, não é vice primeiro ministro & Co...!!!

    ResponderEliminar
  13. FR : Parabéns Sr. Ricardo Araújo. Conseguiu escrever , de uma forma irónica, o que muitos portugueses pensam ! O grande problema é que há muitas situações em que todos vêm que estas pessoas ( incluindo Salgados / Espirito Santo(s) ; BPN ; BPP ; PPP; etc.etc.etc.,) são culpadas, mas face às leis que temos ( preparadas por quem governa - directa ou indirectamente - e por quem tem dinheiro ) , esta gente acaba sempre impune. Lá dizia César : Não chega sê-lo . É necessário também parece-lo.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns Ricardo pelas crónicas que escreve e debates que fomenta.

    ResponderEliminar
  15. Caro Ricardo,

    cai-me este texto à frente dos olhos, assim como um presente do facebook e descubro que o autor é o Ricardo, sim o Ricardo, esse mesmo que gosta e muito bem de ter um olhar atento em relação à maneira como se fala e se escreve em português, bom português.
    Devo dizer, Ricardo, que estou muito decepcionado consigo porque esperava que tivesse mais conhecimentos para se exprimir em linguagem escrita na qualidade de escritor ou mesmo comentador ou cronista.
    Quantos erros Ricardo, logo na 2ª linha do 1º parágrafo vi um erro, depois é uma sequência de erros até ao final da dita carta, que, para mim não é uma carta que se envie a alguém, é simplesmente um rascunho, perdoe-me a franqueza.
    Quantos anos o Ricardo terá frequentado os bancos das escolas, muitos porventura, mas há uma regra de base que desconhece, que certamente aprendeu mas esqueceu, é que para se endereçar uma carta a alguém não basta sabermos escrever sem erros, é importante não transcrevermos para o papel a mesma linguagem que utilizamos para falar.

    Espero que estas linhas não tenham afectado o seu orgulho e é com o prazer de o reler, que lhe endereço, caro Ricardo, a expressão dos meus melhores cumprimentos.



    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.