«Marcelo escreve uma página negra na História da Justiça»

O afastamento de Joana Marques Vidal

António Costa, amigo de José Sócrates, propôs a Marcelo Rebelo de Sousa, amigo de Ricardo Salgado, o afastamento de Joana Marques Vidal, a única Procuradora Geral que teve a coragem de acusar os todo-poderosos Sócrates e Salgado.

Ao afastar Joana Marques Vidal, sob proposta de Costa, Marcelo escreve uma página negra na História da Justiça em Portugal. — Paulo de Morais

Paulo Morais sobre o afastamento de Joana Marques Vidal.
É claro que Joana Marques Vidal não deve ser reconduzida. Precisamos de um PGR como deve ser, daqueles que aplicam processos disciplinares a quem investigava coisas desagradáveis como o Freeport. — por: @mlopes.
ADENDA:
Marcelo alega que sempre defendeu um único mandato para Procurador-Geral; mas que as políticas anti-corrupção de Joana Marques Vidal devem ser prosseguidas.

Se pretendia, com outra personalidade, continuar as políticas anteriores, deveria ter nomeado, por exemplo, Carlos Alexandre, Amadeu Guerra, Rosário Teixeira, Maria José Morgado... e não uma procuradora que não tem qualquer tradição no combate à corrupção.
(Não me recordo de o ouvir defender essa tese de "mandato único" em lado nenhum).
Paulo de Morais

ADENDA 22-01-2020:
Marcelo Rebelo Sousa foi eleito há quatro anos presidente da República. O ex-candidato à presidência da República, Paulo Morais, fez um balanço negativo dos últimos quatro anos de mandato presidencial de Marcelo e acusou-o de ser "comentador a partir do palácio de Belém".

Em declarações à agência Lusa, Morais considerou que um Presidente da República “não é um comentador desportivo” e que a sua presença “é importante mas há muitos locais em deve estar calado”.

Ao não fazer isto, aditou, “o PR, que deveria ser o supremo magistrado da nação, passa a ser o supremo anestesista da nação, porque anestesia a sociedade e mesmo quando as situações são muito graves o Presidente trata-as como se fossem banais”.

Paulo de Morais considerou que o “maior erro” de Marcelo ao longo dos últimos quatro anos foi “o afastamento da ex-Procuradora Geral”, Joana Marques Vidal.

“Em política o que parece é” e o que pareceu, na opinião de Morais, foi que “desviaram Joana Marques Vidal do cargo, para de alguma maneira manter a impunidade que existe nestes crimes maiores de ‘colarinho branco’ sobre os quais, aliás, Marcelo não se pronuncia”, acrescentou. (fonte Observador)

ADENDA 8-12-2020:
O saneamento de JOANA MARQUES VIDAL de procuradora Geral constituiu um dos episódios mais tristes do mandato de Marcelo Rebelo Sousa. Com este saneamento, Marcelo escreveu uma página negra na História da Justiça em Portugal.

Marcelo afastou a única Procuradora Geral que teve a coragem de acusar os todo-poderosos Sócrates e Salgado - talvez por isso mesmo.

Mas, por outro lado, este afastamento granjeou uma enorme simpatia e popularidade a Joana Vidal, transformando-a numa excelente eventual candidata presidencial independente, se e quando ela entender candidatar-se. Talvez a única que derrotaria Marcelo.
(Paulo de Morais)

1 comentário blogger


  1. coragem de acusar os todo-poderosos Sócrates e Salgado - talvez por isso mesmo.

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.