Posts do momento

No dia 21 de Agosto 1770, a Austrália o quê?

0 0  ● API
Para os norte-europeus, o responsável oficial pela descoberta da Austrália foi o Capitão James Cook, que reclamou o vasto continente para a coroa do Reino Unido no dia 21 de Agosto 1770 e lhe chamou Nova Gales do Sul. Porém, a viagem do Capitão Cook foi apenas o corolário de várias expedições exploratórias aos mares do Sul em busca do mítico continente do Sul. Nestas viagens, a Austrália teria sido visitada, segundo alguns investigadores, por portugueses (em 1522, por Cristóvão de Mendonça e em 1525 por Gomes de Sequeira), sendo certas as visitas dos neerlandeses a vários pontos da costa australiana a partir do século XVII. (Wikipédia)

Sempre me fez confusão esta chico-espertice dos Ingleses em insistirem neste erro, ano após ano, com a complacência e o deixa andar dos nossos governantes/instituições responsáveis. Parecem cucos que fazem seus, os ninhos dos outros...

A verdade é só uma. Foram os portugueses os primeiros Europeus a chegar à Austrália, cerca de 250 anos antes do Capitão Cook a ter reclamado. E isso está mais que provado (ver aqui), com mapas, nomes de locais com cheirinho português, canhões e artefactos de pesca encontrados, etc.etc. e, se recuarmos um pouco no tempo, verificamos que uns anos antes o navegador António Abreu (a sua efígie está no Padrão dos Descobrimentos, portanto não era nenhum patrão de costa...) teria "supostamente" aportado à Austrália.



Nem fazia sentido que uma vez chegados a Timor, só se de repente fôssemos desprovidos de neurónios dar-nos uma branca ou cegueira colectiva, é que não dávamos com aquele continente que dista de Timor apenas 500 km. Logo nós que navegámos pelas Gronelândias, Terra Nova/Canadá (João Vaz Corte-Real pode ser considerado o primeiro europeu a chegar à Costa Americana, 20 anos antes de Colombo), toda a costa de África, Brasil, que para chegarmos às Índias das especiarias e ultrapassarmos o Cabo das Tormentas, tivemos trabalhos esforçados muito mais do que permitia a força humana, segundo o nosso poeta. Navegámos por "seca e meca", fomos donos de meio mundo desde 1354 (quando arribámos às Canárias) e, depois de todas estas valências, querem-nos fazer acreditar que não vimos a Austrália mesmo à frente dos nossos narizes? Francamente!

Vamos saber o que nos dizem um historiador Australiano e um historiador/filólogo Holandês:

«O primeiro contacto europeu com o continente do Sul teria sido efectuado por navegadores portugueses, embora não haja referências a esta viagem ou viagens nos arquivos históricos de Portugal. (*) A principal evidência para estas visitas não declaradas foi a descoberta de dois canhões portugueses afundados ao largo da baía de Broome na costa noroeste da Austrália. A tipologia dessas peças de artilharia indica serem de fabricação portuguesa, podendo ser datadas entre os anos de 1475 e 1525.

No livro, "Para além do Capricórnio", o historiador australiano Peter Trickett afirma que duas expedições portuguesas realizadas nos mares da Indonésia no primeiro quartel do século XVI teriam atingido o território australiano: a expedição de Cristóvão de Mendonça a partir de Malaca para o sul em busca das "ilhas de ouro"(1522), mas sobretudo a de Gomes de Sequeira (1525) que supostamente teria atingido a Península de York. Para reforçar esta tese evoca-se o estabelecimento pelos portugueses em 1516 (**) de um entreposto comercial em Timor, que fica a cerca de 500 quilómetros da Austrália.

Segundo o historiador e filólogo Carl von Brandenstein, os portugueses teriam naufragado no noroeste da Austrália Ocidental, perto da ilha de Depuch, entre 1511 e 1520, tendo sido os primeiros europeus a tocar a Austrália, de onde não puderam sair. Estes portugueses acabariam por se integrar com a população local, deixando marcas culturais assimiladas pelos aborígenes. A fundamentação das suas teorias encontra-se na análise das línguas das etnias Ngarluma e Karriera (tribos da Austrália Ocidental), que apresentam particularidades que não se detectam nas outras línguas aborígenes, como o uso da voz passiva. Brandenstein apresenta também uma lista de palavras destas línguas que alega terem uma origem portuguesa (exemplos: thartaruga de tartaruga, monta/manta de monte, thatta de tecto)»

(*) - Perdeu-se muita documentação e mapas, aquando do terramoto de 1755. A digitalização ainda vinha longe...não fora esse desastre, a nossa História seria muito mais Gloriosa!

(**) - Há várias datas sobre a nossa chegada a Timor. Sempre pensei que foi em 1511, mas já li que mercadores Portugueses chegaram em 1512 à ilha da parte Leste, habitada pelo Povo Maubere e que a primeira fonte documental europeia conhecida, é uma carta de Rui de Brito Patalim a El-Rei D. Manuel,  datada de 6 de Janeiro de 1514, na qual são mencionados navios que tinham partido para Timor.
Sobre este apaixonante tema, aconselho os leitores a pesquisar porque seguramente vão encontrar leitura, e da boa, para longas horas. Façam como eu, ler a nossa Gloriosa História é como ler as cartas da namorada! (Hermínius Lusitano).

video: Há muito que a descoberta da Austrália por James Cook, levantava dúvidas aos historiadores. O historiador australiano, Peter Trickett, vem agora contrariar o que se ensinou nos últimos 237 anos: Afinal a Austrália foi descoberta pelos portugueses.



Partilhe este artigo

Anterior
Prev Post
Seguinte
Next Post
comentários
0 comentários

0 comentários blogger

Enviar um comentário