Posts do momento

Parabéns NORUEGA

10 10
Seriedade, Dignidade, Reciprocidade e Coragem!
A Noruega proibiu a Arábia Saudita de financiar mesquitas, enquanto não permitirem a construção de igrejas no seu país. O governo da Noruega acabou de dar um passo importante na hora de defender a liberdade da Europa, frente ao totalitarismo ISLÂMICO.




Jonas Gahr Stor, ministro dos Negócios Estrangeiros, decretou que não seriam aceites os donativos milionários da Arábia Saudita, assim como de empresários muçulmanos para financiar a construção de mesquitas na Noruega. Segundo o referido ministro, as comunidades religiosas têm direito a receber ajuda financeira, mas o governo Norueguês, excepcionalmente e por razões óbvias, não aceitará o financiamento islâmico de milhões de Euros.

Jonas Gahr Stor argumenta que: “seria um paradoxo anti-natura aceitar essas fontes de financiamento de um país onde não existe liberdade religiosa. A aceitação desse dinheiro seria um contra-senso”, recordando a proibição que existe nesse país árabe para a construção de igrejas de outras religiões.

Jonas Gahr Stor também anunciou que a “Noruega levará este assunto ao Conselho da Europa”, onde defenderá esta decisão baseada na mais estrita reciprocidade com a Arábia Saudita.
fdesouche.com

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
10 Comentários Blogger
Comentários Facebook

10 comentários blogger

  1. ScyllaCharybdis28 junho, 2014 18:55

    Já era altura de alguém dizer "basta" a esta nojenta cultura islâmica.

    ResponderEliminar
  2. Não é à toa que a Noruega é um país livre e todo país islâmico é uma prisão. Acontecia a mesma coisa com países comunistas.

    ResponderEliminar
  3. Os libertários devem ficar atentos e utilizar da mesma medida contra pessoas totalitárias.

    ResponderEliminar
  4. Houvesem mais politicos assim, com eles no sitío! A liberdade acaba quando se fazem leis para minorias. As leis são para todos...

    ResponderEliminar
  5. Somos permissivos demais
    ..eu sou obrigada a usar a habaya na arabia..e justo q qd vem a outros países se vistam de acordo com a sociedade em questão...o mm se aplica a religião...tem o direito de construir mesquitas tanto como os cristãos de construir igrejas..se não o permitem na arabia, pq havemos nos de permitir p.e na noruega? E como os franceses com o headscarf..
    acho bem a proibição.
    se se tirou a cruz das salas de aula para não se impor religião, pq se ha de permitir q crianças muçulmanas tragam o headscarf como um símbolo e se imponham a outras?

    ResponderEliminar
  6. Parabéns ao governo norueguês por esta iniciativa. Aonde se instala a religião mulçumana, com ela vêm seu arcaísmo por mais que seus mulás queiram desidrata-mas. Uma religião que mata seus próprios pelo simples fato de divergirem se este ou aquele descende de Maomé (xiitas e sunitas) não podem usufruir da liberdade dos países pra implantarem uma religião de sangue.

    ResponderEliminar
  7. Acho perfeitamente correcta a decisão só demonstra que tem independencia economica para não deixar-se vender aqui em Portugal davam uns trocos a uns corruptos e contruiam uma mesquita em cada freguesia.l

    ResponderEliminar
  8. Caros editores do PG, näo acham que estä na altura de lancar o debate neste blog sobre o tema do ëxodo sïrio ??? Bem sei que se trata de tema delicado, onde facilmente surgem acusacöes de xenöfobia das partes que hipöcritamente apoiam a vinda de milhares de refugiados sirios para o nosso pais, mas trata-se de um tema que tem que ser debatido pelos portugueses. Esta noticia da Noruega jä tem alguns anos, näo obstante, estä no em 1 lugar no top dos mais vistos nos ültimos 7 dias. Vamos lä discutir assuntos de importäncia capital (sem medos) para o nosso païs e um pouco mais actuais. concordam???
    Joäo Paulo Gomes
    (emigrante na Noruega)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. todos os países deviam fazer como a Noruega!E acabar com a maldade que é usada em nome do Islão,

      Eliminar
    2. Caro Paulo Gomes, veja aqui:

      http://portugalglorioso.blogspot.pt/2015/09/refugiados-opiniao-de-pedro-barroso.html

      Eliminar