Posts do momento

Lusófona: «Vocês são a vergonha dos universitários»

149 149


Seis de vós foram engolidos pelo mar antes do Natal.
Um mês depois, mantém-se um pacto de silêncio sobre o que aconteceu.
Em vez de contarem o que sabem, dando às famílias dos vossos ex-colegas a única coisa que elas desejam – respostas! – fecham-se em copas. Tudo para defenderem essa palhaçada ridícula a que chamam praxe.

Ignoram que a praxe devia ser um ritual colectivo de integração dos novos alunos e não um ritual de humilhação e de violência física e psicológica. Ignoram que na vossa Universidade não há hierarquias e que são todos iguais, tenham 5 matrículas ou sejam caloiros. Ignoram que aquilo que fazem aos outros ou que deixam que vos façam é indigno de uma sociedade civilizada e de jovens que serão o futuro deste país.

O vosso silêncio representa a segunda morte de 6 colegas. O vosso silêncio vai matando o que restou daquelas 6 famílias. Traidores da memória alheia – é o que vocês são. Confraternizaram com eles, partilharam experiências, receios e expectativas. Foram seus amigos. E agora matam-nos outra vez.

Não querem saber. Simplesmente não querem saber. Vocês são a vergonha dos universitários portugueses. Que a vossa consciência vos deixe dormir no final de cada dia. A minha não deixaria.

Ricardo Ferreira Pinto

Partilhe este artigo

Post Anterior
Prev Post
Próximo Post
Next Post
comentários blogger
comentários facebook
mais comentários

149 comentários blogger

  1. Mas ninguem se poe na posição do q sobreviveu? Ele poder nao querer relembrar o que se passou? Uma coisa é dar respostas aos familiares das vítimas, outra é da.las à comunicação social que apenas quer alimentar polémicas, parem com hipocrisias pq se nao sao familiares das vitimas que direito vos assiste de ficar revoltados com a situação? O pacto de silencio nao é mau neste sentido mas sim em nao encarar a familia das vitimas por ter medo de relembrar, independentemente de quem foi o sobrevivente que tambem foi arrastado pela corrente mas que por acaso teve a sorte de salvar, reflictam um pouco nisso e pode ser que o cu de muita gente deixe de ter inveja da trampa que lhes sai pela boca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas consta que ele alem de nao se ter molhado nem o seu telemovel,regressou a casa e deitou-se pq quando chegou la a policia ele estava a dormir.mas uma coisa e certa ele tem que dar explicaçoes pois eram 6 vidas jovens

      Eliminar
    2. Claro, como um serial-killer profissional ! O pior de tudo é acreditarem nessas historias e acusarem as pessoas !

      Eliminar
    3. Mas estava lá para saber que ele foi um sobrevivente "que tambem foi arrastado pela corrente mas que por acaso teve a sorte de salvar" ?! ou está só acreditar nessas historias da comunicação social ? Não estou a perceber!

      Eliminar
    4. Regressou a casa? Ele telefonou de uma cabine telefónica para pedir ajuda, telefonema esse feito por volta da uma da manhã. Alias, o telemóvel do sobrevivente também ficou em casa. Por mais que lhe custe acho que está na altura de contar o que aconteceu, a história está muito confusa e agora cada um acrescenta um conto. Sei que não deve ser tarefa fácil contar o que aconteceu, mas ele que arranje uma maneira.... pelo jornal, por carta, no facebook, com psicologo, a maneira que mais lhe convier

      Eliminar
    5. "se nao sao familiares das vitimas que direito vos assiste de ficar revoltados com a situação?"

      Wow. Folgo em notar que este comentário em particular não é anónimo, pois é bom que se consiga identificar quem diz barbaridades destas.
      Realmente, se o problema não é nosso, que temos nós que ver com ele, não é. A fome e a guerra também não são problemas nossos, não compreendo porque participamos em campanhas contra estas coisas.

      Eliminar
    6. . . . não sobreviveu ninguém! Aquele a quem chamam "sobrevivente" não o é . . . porque , em momento algum, colocou os pés dentro de água !

      Eliminar
    7. Temos tudo a ver com ele, passo a explicar, primeiro se foi praxe eu como pai fico Preocupado desde já com a segurança da minha filha quando a mandar para a universidade, segundo as pessoas que fazem praxes não são crianças, por consequência são pessoas que deveriam refletir bem os seus actos e as suas consequências, por fim morreram 6 pessoas e eu como português e pagante de impostos quero saber se foi ou não cometido crime, é com muita sinceridade isso de apagão de memória seletivo é treta neste caso.

      Eliminar
    8. Folgo em saber que tanta gente respondeu ao comentário como portugueses preocupados que são e com motivos. Eles nao estavam a fazer nenhuma praxe, eles pertenciam sim, à comitiva de Organização de Praxes, como tal estariam a combinar as próximas praxes ou simplesmente a beira mar coisa que ninguém sabe. Como é de conhecimento geral as praxes são facultativas, além de que quando feitas na praia só vai à água quem quer. A unica coisa que resta é esperar pois mais cedo ou mais tarde vai saber.se a verdade em vez de especulações desnecessarias e pegando numa frase que esta num outro blog com um artigo semelhante "actualmente e infelizmente a nossa sociedade nao abranda perante um acidente para ver se esta tudo bem mas sim para ver se ha mortos" existe infelizmente uma necessidade de encontrar um culpado e chacina.lo independentemente do resto. Esta é a realidade em que estamos infelizmente. Identifiquei.me porque nao vejo qual seja a necessidade de me acobardar passando por anónimo. Errei nalgumas palavras? Atire a primeira pedra quem nunca errou. Qual é a comparação que pode ser feita entre a fome e a guerra com uma situação destas? Sinceramente agora fui eu quem nao percebeu e volto a dizer o mesmo que disse algumas linhas atrás mas de outro modo, não assiste o direito a ninguém de julgar ou ficar indignado por ele nao falar com os media embora como disse no primeiro comentário ele deve uma explicação aos familiares das vítimas, nao a deve aos media, e concordando com o comentário acima, ele que use a forma que mais lhe convir para explicar as familias, o resto logo se saberá com o tempo.

      Eliminar
    9. Boa noite, eu entrei o ano passado na faculdade, adorei ser caloira e adorei ser praxada. Vamos por os pontos nos ii's:
      1º a praxe difere de faculdade pra faculdade, logo não vale apena agora dizer que a praxe é má e é humilhação, tal como eu já disse adorei a praxe e foi assim que conheci pessoas visto que cai de paraquedas na faculdade
      2º sr. airkiler em relação a sua preocupação com a sua filha quando for pra a universidade, uma coisa que é incutida desde sempre nos caloiros, que me foi dito enquanto caloira e que frizo agora enquanto praxante é que a praxe é um direito não um dever, em NENHUMA situação o caloiro é obrigado a participar em qualquer actividade de praxe, so o faz se assim o entender e no momento em que sentir que está a ir contra aquilo que ele quer ou gosta pode sair.
      3º Neste momento penso que não deviria estar em causa se existiu situação de praxe ou não, pois o que interessa é que morreram seis pessoas e sou totalmente de acordo que o "sobrevivente" deva falar, mas nao é connosco nem com os media, é com as familias que perderam os seus familiares

      Por ultimo digo mesmo que tenha sido uma actividade de praxe quem entrou dentro de agua entrou porque quis, eram trajados ou seja sabiam que a praxe nao é uma obrigação e como alguém disse eles não eram crianças logo tinham consciencia do disparate por isso deixem-se de merdas a culpa nao foi do que ficou vivo. Foi de todos por cometerem um disparate e uma loucura destas!!!

      Eliminar
    10. concordo pleinamente!

      Eliminar
    11. Apenas tenho algumas considerações a tecer sobre as explicações de ex-alunos universitários, como é o meu caso, quando dizem que as praxes são facultativas e só participa quem quer.

      É verdade que são facultativas, mas isso é apenas meia verdade, afinal de contas, muitas vezes falamos de miudos e miudas que com tenra idade se vêm longe do seu ambiente controlado, que tentam fazer amizades e integrar-se rápido, e para isso cedem a certas pressões sociais, como neste caso, participar nas praxes. Embora sejam facultativas, existe e sempre existiu pressão por parte dos alunos que acolhem os recém-chegados. E não me digam que não existe porque isso equivale a uma mentira.

      Posto isto, reconheço a utilidade das praxes, eu também fui praxado, não porque fui pressionado mas porque quis(e assisti à segregação de quem não quis ser praxado), pois assim conheci os meus colegas de curso quase todos.

      Regressando ao tema, a morte dos 6 jovens, não acredito que isso se deva a praxes, poderá haver praxes mais "duras", mas duvido que os alunos que planeiam as mesmas(alunos esses que já estiveram do outro lado) tenham tido a inconsciência de arriscar a vida de alguém com uma praxe. Não assisti a nada do género no meu tempo, e, pelos testemunhos aqui presentes, creio que os comentadores também não.

      Por último, o sobrevivente deve explicações às familias e à polícia. A mais ninguém, pois se houver indícios de crime, quem deverá investigar o assunto são as autoridades e não os media(esses que todos os dias manipulam as notícias a bem do volume de vendas e ganho nas publicidades).

      Porque exigem tantas pessoas alheias ao assunto, explicações sobre o mesmo? Tencionam fazer algum linchamento? A informação deverá sair para os media caso, se confirme indicio de crime, de resto, se se tratou de um acidente, quem querem culpar? quem querem linchar?

      Paulo.

      Eliminar
    12. não digas asneiras rapaz, o ser humano que sente fica revoltado ao ver outro ser humano tratado de forma injusta. è uma pena que este mundo esta repleto de pessoas egoistas hipocritas e burras.

      Eliminar
    13. O que eu gosto mesmo é de ver "anónimos" a dizerem "consta". É tão fofoca.

      Eliminar
    14. A culpa vai sempre morrer solteira, agora por favor nao usem a palavra Dux para defenir o sobrevivente, pois ofendem qualquer verdadeiro líder

      Eliminar
    15. cala-te palhaço, se fosse teu filho(a).aí sim choravas baba e ranho. uma maluco destes mata 6 jovens involuntariamente e votapra casa para dormir. Homicidio involuntário,as pessoas têm o direito de saber o que se passa.

      Eliminar
    16. E tu como anonimo que nao tens coragem de te identificar sabes daquilo que falas? Quando os cursos variam de uns para os outros, e quando dux'es de cursos diferentes nao podem praxar caloiros ou veteranos? ( SE andasses na faculdade sabias que um dux de economia nao pode praxar um caloiro ou veterano de biologia por exemplo).

      Eliminar
  2. Mas ninguem se poe na posição do q sobreviveu? Ele poder nao querer relembrar o que se passou? Uma coisa é dar respostas aos familiares das vítimas, outra é da.las à comunicação social que apenas quer alimentar polémicas, parem com hipocrisias pq se nao sao familiares das vitimas que direito vos assiste de ficar revoltados com a situação? O pacto de silencio nao é mau neste sentido mas sim em nao encarar a familia das vitimas por ter medo de relembrar, independentemente de quem foi o sobrevivente que tambem foi arrastado pela corrente mas que por acaso teve a sorte de salvar, reflictam um pouco nisso e pode ser que o cu de muita gente deixe de ter inveja da trampa que lhes sai pela boca.

    ResponderEliminar
  3. Oh meu senhor desculpe lá, mas o que é que pessoas que não assistiram ao que se passou têm culpa deste acontecimento? ou melhor, como é que sabem o que se passou se não tiveram lá? Você deve ter perdido a noção na barriga da sua mãe.... Acha que há um pacto de silêncio?? Tome consciência e pense no papel dos Media na sociedade e o que são capazes de fazer... Vergonha de portugal é esta publicação que só mostra o carácter de pessoas mal formadas.... acha que se alguém soubesse algo já não tinha dito? Cabe a quem sobreviveu contar o que se passou só ele o pode fazer... Eu durmo muito bem, estudo lá, e nem eu nem os meus colegas fazem ideia do que se passou, não existe nenhum pacto, nenhuma defesa à praxe... PERDERAM-SE VIDAS e acredite que não foi você que sofreu com tudo isto, porque eles têm família, amigos, colegas...

    ResponderEliminar
  4. Não entendo de que maneira é que eles têm a culpa de eles terem morrido. Acho que não devem estar todos em pacto de silêncio e que devem dar respostas à família, mas quem não estaria? Metade do país está basicamente a acusá-los de homicídio! Eles não têm direito a respirarem e organizarem as ideias em paz antes de falar? Foi há pouco tempo!
    Acho toda esta situação um nojo, muito sinceramente... Eles também estão a sofrer à sua maneira. Eu percebo que a família queira resposta, mas pessoas como este senhor a dizerem coisas destas não ajudam...
    E quanto à cena das praxes: eu própria não lhes acho piada, mas à praxe só vai quem quer. Foi má decisão ir para a praia naquele dia? Foi, mas são precisas duas pessoas para dançar o tango. Eles estavam meio embriagados junto a um mar que estava mortinho para os comer... Estavam à espera de quê?

    ResponderEliminar
  5. Esta generalização traduz a triste falta de análise e de inteligencia de quem a escreveu. Sou estudante da Lusófona e sim, a minha consciência deixa-me dormir no final de cada dia. Lamento profundamente a morte dos meus colegas, mas verdade seja dita, todos eles deviam saber o risco que estavam a correr.

    ResponderEliminar
  6. Tenho pena que a morte de seis colegas seja um motivo de polémica e especulação de modo a arrastar o nome da Universidade Lusófona de novo para a Lama. Lamento profundamente a morte dos meus colegas e rezo por eles e pelas suas familias. No entanto, creio que este artigo é de muito mau tom, não defendo o colega que sobreviveu, porque creio que deve uma explicação e uma palavra de consolo às familias dos colegas falecidos, mas defendo os restantes alunos e o nome da minha Universidade, como tenho a certeza que os meus colegas fariam.

    ResponderEliminar
  7. Eu só tenho uma questão a colocar, pois tenho lido várias noticias a respeito desta tragédia e sempre a associarem as praxes ao que aconteceu.
    Tanto quanto tem sido noticiado, os 6 alunos estavam trajados. Se estavam trajados, suponho que não fossem caloiros. Não sendo caloiros e não havendo caloiros ali, então certamente não estava a decorrer nenhuma actividade de praxe, logo...pergunto eu, o que é que poderá ter a praxe a ver com esta tragédia???
    Estou a falar com base no que tenho lido, inclusive um artigo escrito pelo pai de uma das vítimas, salvo erro, ao Público.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se sabe mas as comissões de praxe, ou seja, quem faz parte dos organizadores da praxe dos caloiros, também são sujeitos a praxes entre si. Estas mais duras ainda do que as praxes aos caloiros. E são feitas, em algumas academias, semanalmente ou quinzenalmente. Logo, sendo estes jovens parte da comissão de praxes da Lusófona, o mais provável é que estivessem a ser praxados pelo seu dux (entidade máxima na hierarquia das praxes).
      Quem não sabe, não fale.

      Eliminar
    2. Então "quem não sabe, não fale" limite-se a estar calado(a)! Porque se não estava lá também não deve saber o que se passou.

      Eliminar
    3. Fica a saber que doutores (ou seja quem já usa traje) também é praxado, pelo DUX.
      Não são só os caloiros que são praxados, o DUX praxa quem quer e onde quer.
      Não sabemos o que se passou

      Eliminar
    4. isso deve ser nessa faculdade de "cocacola", o DUX tem mais com que preocupar do que praxar alunos que ja nao sao caloiros...
      Tenham paciencia ninguem acredita nessa Historia da praxe, só as mentes fechadas, os média, e alguns pais das vitimas que querem encontrar culpados...

      Eliminar
  8. Alegra-me ver que o povo português do século XXI continua a ser bem alimentado com as notícias que decorrem nos canais nacionais, contentando-se e ficando de barriga cheia porque após um dia de intenso trabalho o que é mesmo bom é ouvir o que os grandes jornalistas dizem na TVI e na SIC sem nunca contestar absolutamente nada do que ouvem ou vêm na televisão. Eu, que fui uma estudante universitária, fui praxada e praxei, tenho 45 anos e até hoje não me lembro de nenhuma das actividades que fiz em praxe me tivessem causado perigo de vida. Hoje com 45 anos vi a minha filha ser praxada e recentemente vi-a praxar e posso dizer, de boca cheia e com orgulho, que ela fez o melhor que sabia, foi integra, cuidadosa, respeitadora e preocupada com os seus caloiros. Mas claro, chacinem-me por dizer isto, porque as praxes são tão más e retrógadas quanto as vossas práticas quotidianas de hipocrisias. Que é muito mau não ir à Missa no Domingo de manhã mas em toda a vida não cometer um acto generoso em prol do bem-estar de outra pessoa é normal. A Universidade Lusófona não tem de ser responsabilizada pela morte de 6 pessoas, bem como o sobrevivente não tem de o ser pois os indícios de crime são nulos. Podemos apenas admitir que todas as pessoas são únicas e tomam decisões próprias. A praxe é uma coisa, aquilo que vocês julgam ser a praxe ou porque nunca passaram por isso, ou porque não quiserem porque foram demasiado pomposos para andar com farinha na cabeça e cantar uma dúzia de músicas parvas, é outra. Com 45 anos tenho muito boas memórias e entre elas estão os meus anos de universidade assim como os da minha filha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não somos ingénuos a ponto de pensar que praxes é apenas andar com farinha na cabeça e cantar uma dúzia de músicas parvas. Algumas sim outras não.

      Eliminar
    2. Querem ver que nasci agora e não sei as pressões que são exercidas nas praxes?
      Será "...andar com farinha na cabeça e cantar uma dúzia de músicas parvas...", só isto?
      Daqui a nada dizem-me que o KKK não existe, entre outros cultos menos próprios e também que essas pessoas não estudam e não exercem pressões, por vezes forçando a humilhação das vitimas de praxes.
      Não digo que seja o caso, acho ridículo quem dramatiza sem saber ainda o que se passou. Mais ridículo é quem tenta tapar os olhos de quem sabe das coisas que se passam no mundo. Talvez por ignorância ou por puro interesse em esconder acções e atitudes.
      Um bem haja a todos vós.

      PS: A bondade existe... Tal como a maldade.

      Eliminar
    3. A senhora sabe tudo, defende as praxes pk não dá a cara, pk se esconde??? Como afirma q não ha crime??? Q entende a senhora de código penal? Acaba de provar q é completamente ignorante..

      Eliminar
  9. Vergonha e peso na consciência deviam ter todos os que estão a especular este assunto. Pois em vez de estarem do lado do sobrevivente para que este ultrapasse esta situação da melhor maneira e se sinta seguro em contar a verdade, estão a fazer com que ele tenha medo de dizer o que quer que for.

    E culpar os estudantes da Lusofona porque? Por não falarem de um assunto que ninguém tem certeza? Para haver ainda mais especulações? Mas será que ninguém pensa?

    A única pessoa que pode explicar o que realmente aconteceu é o sobrevivente. E só espero que com estas acusações todas sem provas não o leve a cometer nenhuma loucura. Porque se isso acontecer bye bye a hipótese de se saber a verdade.

    PENSEM POR FAVOR!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há sobrevivente algum ! . . . não há porque, em momento algum ele colocou um único pé dentro de água. O que vocês chamam de sobrevivente é um criminoso igual a vocês que, por inconsciência, fingem desconhecer o que realmente são . . .

      Eliminar
    2. Mas por que razão é que o "sobrevivente" há-de ter medo do que quer que seja? Pelo que tenho pecebido, o "Dux" deverá ser uma pessoa/estudante acima de qualquer suspeita, devendo o seu "bom exemplo" ser seguido pelos restantes colegas.
      Independentemente da minha opinião sobre as praxes, o que a Lusófona teve foi um enorme azar ao ter sido escolhido para Dux um reles cobardola que, incapaz de dar um exemplo da boa conduta e responsabilidade aos seus colegas; se está a esconder debaixo das saias da sua mãe e dentro das calças do seu pai.

      Eliminar
    3. Fala desta forma pk não está no lugar da família...

      Eliminar
  10. Tenho 29 anos licenciado e quando entrei para a faculdade o mais comico que la encontrei foi alguem vangloriar-se por ter 20 matriculas......Ao que eu respondi que ele devia era ter vergonha de me estar a dizer isso, porque a faculdade é uma passagem da nossa vida e nao um estado de vida...Acho as praxes ridiculas, a mim nunca ninguem ousou fazer porque nem confiança dava aos "MORCEGOS"...estudem e deixem-se de merdas e tentativas forçadas de tentar sacar umas pitas so porque se sentem mais importantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente de acordo

      Eliminar
    2. Completamente otário. Amigos deve ser coisa que não constam na tua vida... Tu se não andaste na praxe não a podes julgar. A praxe êh a melhor coisa na vida de um estudante. E és tão burro que não sabes que a maioria dos "dux" tem muito matrículas mas várias licenciaturas tanben. Sendo que para ser dux bastam dez matrículas e se ele dizer licenciatura, mestrado, doutoramento e pôs graduação na mesma área que seja já tem as dez matrículas. Deixa de ser otário e aprende antes de falar.

      Eliminar
    3. Não sou a pessoa do Post Original mas rapaz quem tem de aprender alguma coisa aqui és tu, e é a escrever minimamente bem. Tive imensas dificuldades a ler esse post.
      De qualquer forma ele está certo na essencia do que diz. Tirando uns quantos mais ingénuos, toda a gente sabe a razão de fazer praxe. Praxar dá te uma enorme sensação de autoridade. Muitos que nunca vão sentir isso na Vida novamente. Exactamente por nunca mais voltarem a sentir isso na Vida aproveitam a oportunidade e muitas vezes fazem o que não deviam.
      Acho graça essa do dux fazer doutoramente e por aí acima. Por norma são umas bestas que nada querem com os estudos.
      Outra coisa tem que ver com as praxes. Muitas vezes elas tornam-se impostas porque não é verdade aquilo do "podes sair quando quiseres" ou melhor é mas a seguir tens consequências que muitos não estão dispostos a correr. Há algumas faculdades nas quais quem não praxa não tem nem quem lhe fale, quanto mais amigos. Por isso o único otário aqui és tu.

      Eliminar
    4. O colega (se é que também é licenciado) também deveria aprender português antes de escrever, não acha?

      Eliminar
    5. Concordo em pleno com o post original.
      Efetivamente o otário cuspiu para o ar...

      Eliminar
  11. vergonha é o obcecado por praxes e por assuntos alheios , q escreveu isto. ate parece q as pessoas a n falarem do assunto estao a afectar a vida do autor desta merdita de texto mal escrito. lol, get a life

    ResponderEliminar
  12. Eu estou de acordo com o escritor. Então ele estive lá sabe o por que de irem para ali, pode explicar se entraram na água ou se simplesmente foram surpreendidos e arrastados pelo mar... ele pode estar a sofrer, acredito que sim, não é por ser da praxe que deixa de ter sentimentos, mas não pode negar uma explicação as 6 famílias que perderam os seus filhos de forma tão estúpida. Relativamente à praxe a minha opinião é contra a forma como se fazem praxes, fui praça do mas nunca praxe por ir contra os meus princípios e valores, mas cada um é livre e tem direito de gostar de coisas que eu pessoalmente discordo... só penso que qualquer acto que leve à morte humilhação ou simples gozo de outro deve ser repensado. Espero que por fim expliquem aos familiares o que realmente aconteceu eles merecem isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.rtp.pt/play/p1330/e141565/grande-entrevista

      Eliminar
    2. Você escreveu em . . . "intaliano" ? (repito em "intaliano"?). Como é que uma MERDA destas que nem escrever sabe, consegue ser estudante do ensino superior?

      Eliminar
  13. oh meu artista , autorzeco desta merda, primeiro, arranja uma vida, q isto de falar de coisas que nao te afectam minimamente e mt giro para desocupados, segundo, as pessoas n falam pq n sabem, o silencio parte de uma pesssoa (o sobrevivente) ,e tu julgas os estudantes todos da lusofona pcausa disso. tu eq das vergonha, pela tua ignorancia.. isto e o mm que eu dizer q as portuguesas tem todas bigode, pq ontem vi a tua mae com o buço por fazer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh parvalhão, ele não é sobrevivente, coisa alguma ! Ele nunca colocou um único pé dentro de água. Quem quer "lavar" a sua postura é um criminoso de igual índole !!!!!!

      Eliminar
    2. Falas tanto sem saber... (referindo-me à resposta, ou seja, ao comentário 35) crime?! crime devia ser escrever um comentário como o teu... por aqui me fico! dispara à vontade em todas as direções, um dia quando acordares percebes que foste manipulado por todos os media, q só atiram bitaites para o ar, uma vez que não sabem de nada, inventam!

      Eliminar
    3. No codigo penal, aquilo tudo passará no capitulo homicidio negligente e inconsciente...eu acho que com um bom advogado, aquilo passará a homicidio negligente e consciente. Aquela acção toda! Não me interessam as parvoices que leio dos que não sabem mesmo nada do que se trata. Vão ser arrastados muitos como cuplices por terem ocultados provas á justiça e retocado a casa alugada ou o siples guardar silencio. O resto são cantigas dos muitos ignorantes aficionados das praxes, touradas e outras tradições tão inteligentes do nosso país. Ganhem juízo e vergoha na cara. Vocês não vão conseguir parar a evolução da sociedade...é pena oporem-se tanto!

      Eliminar
  14. filho a minha consciencia deixa me dormir mt bem a noite, pq ninguem aqui mantem silencio nenhum acerca do que aconteceu sem ser o sobrevivente. o resto dos alunos nada podem fazer. ja a tua eq deve estar pesada por estares a acusar uma universidade inteira com esta mediocridade, e ainda fazeres figura de parvo pcausa disto. ......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai aprender a escrever antes de opinares!

      Eliminar
    2. Mas por que é que continuam a chamar "sobrevivente" ao puto irresponsável que nem sequer pôs os pés na água e que a primeira coisa que fez quando viu a onda a chegar (porque ele seria o único que estaria de frente para o mar) foi fugir sem avisar os seus colegas? Não compreendo!!

      Eliminar
  15. Isto está a tornar-se uma onda "anti-praxe" baseada em falta de informação e uma desocupação gigante... Estão a generalizar a praxe, fazendo dela um bicho de sete cabeças que apenas existe para maltratar as pessoas, quando o espírito da praxe é completamente diferente. Pior que tudo isto, é alargarem os insultos e culpabilizarem o resto dos alunos de uma universidade... É realmente triste haverem pessoas tão inteligentes e sensatas que não dão o seu contributo para coisa alguma e outras, infelizmente em proporções muito maiores) incultas e pobres de espírito que acham que têm que abrir a boca independentemente de saberem ou não do que falam.... O zé povinho, mais uma vez, a fazer-se notar pela sua mediocridade, incultura e labreguice....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dux. Primeiro não falavas porque estavas traumatizado e em choque por perderes os teus colegas. Até acreditei que estivesses. Agora parece que tens amnésia selectiva. É uma amnésia conveniente, Dux. Curiosamente, uma amnésia rara resultante de uma lesão cerebral de uma zona específica do cérebro. Sabias Dux? Se calhar não sabias. Resulta normalmente de um traumatismo crânio-encefálico. Portanto Dux, deves ter levado uma granda mocada na cabeça. Ou então andas a ver se isto passa. Mas isto não é uma simples dor de cabeça, Dux. Isto não vai lá com o tempo nem com uma aspirina. Já passou mais de 1 mês. Continuas calado. Mas os pais dos teus colegas têm todo o tempo do mundo para saber a verdade, Dux. E vão esperar e lutar e espremer e gritar até saberem. Porque tu não tens filhos, Dux. Não sabes do que um pai ou uma mãe é capaz de fazer por um filho. Até onde são capazes de ir. Até quando são capazes de esperar.

      Vocês, Dux... Vocês e os vossos ridículos pactos de silêncio. Vocês e as vossas praxes da treta. Vocês e a mania que são uns mauzões. Que preparam as pessoas para a vida e para a realidade à base da humilhação, da violência e da tirania. Vou te ensinar uma coisa, Dux. Que se calhar já vai tarde. Mas o que prepara as pessoas para a vida é o amor, a fraternidade, a solidariedade e o civismo. O respeito. A dignidade humana e a auto-estima. Isso é que prepara as pessoas para a vida, Dux. Não é a destruí-las, Dux. É ao contrário. É a reforçá-las.

      Transtorna-me saber que 6 colegas teus morreram, Dux. Também te deve transtornar a ti. Acredito. Mas devias ter pensado nisso antes. Tu que és o manda-chuva, e eles também, que possivelmente se deixaram ir na conversa. Tinham idade para saber mais. Meco à noite, no inverno, na maior ondulação dos últimos anos, com alerta vermelho para a costa portuguesa? Achavam mesmo que era sítio para se brincar às praxes, Dux? Ou para preparar as pessoas para a vida? Vocês são navy seals, Dux? Estavam a preparar-se para alguma missão na Síria? Enfim. Agora sê homenzinho, Dux. E fala. Vá. És tão dux para umas coisas e agora encolhes-te como um rato. Sabes o que significa dux, Dux? Significa líder em latim. Foste um líder, Dux, foste? Líderes não humilham colegas. Líderes não "empurram" colegas para a morte. Líderes lideram por exemplo. Dão o peito e a cara pelos colegas. Isso é um líder, Dux.

      Não sei o que isto vai dar, Dux. Não sei até que ponto vai a tua responsabilidade nesta história toda. Mas a forma como a justiça actua neste país pequenino não faz vislumbrar grande justiça. És capaz de te safar de qualquer responsabilidade, qualquer que ela seja. Espero enganar-me. Vamos ver. O que eu sei é que os pais que perderam os filhos precisam de saber o que aconteceu. Precisam mesmo, Dux. É um direito que eles têm. É uma vontade que eles precisam. Negá-los disso, para mim já é um crime, Dux. Um crime contra a humanidade. Uma violação dos direitos humanos fundamentais. Só por isso Dux, já devias ser responsabilizado. É tortura, Dux. E a tortura é crime,

      Autor Desconhecido

      Eliminar
    2. Grande comentario! 500% de acordo

      Eliminar
  16. "Tenho 29 anos licenciado e quando entrei para a faculdade o mais comico que la encontrei foi alguem vangloriar-se por ter 20 matriculas......Ao que eu respondi que ele devia era ter vergonha de me estar a dizer isso, porque a faculdade é uma passagem da nossa vida e nao um estado de vida...Acho as praxes ridiculas, a mim nunca ninguem ousou fazer porque nem confiança dava aos "MORCEGOS"...estudem e deixem-se de merdas e tentativas forçadas de tentar sacar umas pitas so porque se sentem mais importantes." os meus sinceros parabéns desde já, porque é o maior. Este texto tem que ver com tudo menos com a praxe e com o que nela se passa. Ainda bem que nunca pôs um pé na praxe, porque a praxe também de certezinha que nunca quis um pé seu nela. É muito bonito saber respeitar pessoas, crenças e princípios, é algo que se já tivesse sido praxado até provavelmente já tinha aprendido. Quando não se vive não se opina para o ar dessa forma, senão corremos o risco de ficar mal vistos. Entrar no mundo universitário de para-quedas não é facil para ninguém. A praxe é uma família, a praxe abre os braços, acolhe. Os 50 macacos que estão a lamber o chão ao nosso lado afinal são iguais a nós, estão na mesma situação que nós, a viver o mesmo que nós. A praxe abre portas. São 50 nomes para decorar, são 50 possíveis colegas de trabalho, são 50 seres humanos a suar pelo mesmo motivo que nós, a gritar em prol da mesma casa, do mesmo amor. São 50 possíveis amigos que nos vão levar a casa as 5h da manhã se for preciso. Na praxe só está quem quer, quem gosta, quem escolhe. Não fale dela sem ter uma mínima ideia do que se refere.
    Os acidentes acontecem, só uma pessoa pode responder a qualquer pergunta ou dúvida, e essas respostas mais cedo ou mais tarde, irão surgir. Infelizmente hoje em dia, há cada vez mais pessoas a morrerem por negligência pura, seja por causa de álcool, drogas, ou pura brincadeira. Isso está constantemente a acontecer, e provavelmente senõa tivesse acontecido desse modo, teria acontecido de outro qualquer. Não culpem a praxe, porque cada um livre do que entender fazer, e se a opção for ser irresponsável, então independentemente do sítio, do propósito e do motivo, é o que irão ser.

    ResponderEliminar
  17. E já se estava à espera...sempre a querer mandar as praxes a baixo de tal forma que sempre que acontece algo é logo motivo para atacar. Não concordo com o que aconteceu e os meus pêsames às famílias daqueles alunos, mas não me venham com generalizações pois isso é a maior hipocrisia possível. As praxes são, como já foi dito, para integrar os novos alunos, e eu, como caloiro este ano não passei por nenhuma experiência que me faça arrepender de ter participado nas praxes, mas é claro, que como em tudo há os extremos, e é ai que está o problema, não nas praxes. Com isto, o que quero dizer é que se não gostam das praxes nós respeitamos a vossa opinião, da mesma forma que nós gostávamos que respeitassem a nossa, e isto não quer dizer que eu apoie de qualquer forma o que se passou no meco, pois como já disse aquilo não passou de um EXTREMO. Da mesma forma que todos os dias milhares de pessoas andam nas estradas e no entanto há uns quantos que gostam de chegar aos extremos, o que muitas vezes corre mal, e por causa disso vamos deixar de andar de carro é?! Parece-me ser essa a vossa ordem de ideias. As praxes são como TUDO O RESTO, simplesmente tem que se moderar e ter o cuidado de não chegar ao EXTREMO, como foi o caso, infelizmente...

    ResponderEliminar
  18. O que posso dizer...este texto é uma vergonha, estão a generalizar, estão a ofender os estudantes e acaba tb por ofender a memoria dos que partiram, mas como diz o ditado "por causa de um pagam todos".Os anti praxe estão a aproveitar toda esta situação, sem saber o verdadeiro significado de PRAXE. Se estes estudantes não eram caloiros como pode ser praxe? Senhores Anti praxe expliquem lá? Aos que partiram, descansem em paz, ao sobrevivente muita força, sinceramente não queria estar no teu lugar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na Praxe só os caloiros podem ser praxados? Mais ninguém pode praxar ninguém?
      O dux só pode praxar caloiros?

      Eliminar
    2. O DUX praxa quem quer.
      TODOS PODEM SER PRAXADOS PELO DUX, seja caloiros, doutores ou o que for!

      Eliminar
    3. relativamente ao supra estatuto dos DUX, no ano passado houve um que me confundiu com qualquer um, sinceramente ainda hoje não sei com quem, contudo, levou uma tareia de mim e dos meus amigos, que seguramente tão cedo não vai ser arrogante nem chamar de "caloiro" de forma aleatória!

      Eliminar
    4. Eh pah... Desculpem-me a ignorância... Mas o Dux pode praxar licenciados? É que pelo menos um tinha acabado a licenciatura recentemente. :) Se não sabem do que falam, estejam calados.

      Eliminar
    5. Olha, se pode ou não (por acaso pode) nem interessa muito. Vamos falar como pessoas adultas, achas que consegues? Homicidio negligente. Sabiam o que iam fazer, têm idae para saber que acarreta riscos. Não se safa sem ir a julgamento e será seguramente condenado. Com tanta amnesia, mais tarde será decretado que afinal é alzeimer e terá de ser internado numa instituição própria. Ou isso ou a prisão. Eles lá, também têm praxes que preparam para a vida. Uma delas é a de deixar cair o sabonete no duche...

      Eliminar
  19. Abaixo as praxes, se não fosse essa maldita praxe, eles estariam vivos!!!.... Deveria haver uma Lei para limitar algumas praxes que só humilham os caloiros e tratam-nos como animais... tenham mais dignidade para com os caloiros.... não sejam tão preversos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. só o senhor é que acredita nisso.
      O que matou esses alunos, foi o mar. O mar e as drogas que tevem ter enfiados, começaram a ver unicornios brancos e elefantes cor de rosa, e de repente era mesmo o mar.
      Caloiros trajados???? devem estar no gozo conosco!!!

      Eliminar
    2. A culpa não foi definitivamente das praxes e sim pelo facto de eles não terem tido cabecinha suficiente para pensar por eles e terem simplesmente recusado essa dita "praxe". Quem é que se vai por junto a um mar daqueles às tantas da noite e em pleno inverno?!?
      E não me venham com histórias de que não pensaria da mesma maneira de fosse meu irmão ou assim. A verdade é que ficaria bantante triste como é obvio, mas isso não me faria deixar de pensar de que ele podia ter pensado pela cabeça dele e ter dito apenas que não queria fazer isso.

      Eliminar
  20. ~Enfim há gente que não tem nada na cabeça para estar a escrever isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem não tem nada na cabeça é quem se submete a esse tipo de humilhações.

      Eliminar
  21. Todos nos temos o direito de fazer o que deseja-mos da nossa vida , se queremos ser praxados ou nao,
    uma das coisas mais importantes que se ensinaram em praxe e que temos de saber distinguir as coisas.
    Agora se vamos tornar isto em um bicho de 7 cabeças e culpar tudo e todos , fica no juizo de cada um mas devo dizer que especulação e das piores coisas que podem fazer , se no final a verdade for que foi uma estupidez que aconteceu em praxe ai podemos dizer que foi exagerado e que isso nem devia ser algo a passar pela cabeça de alguem ,mas tambem nao vamos julgar toda a praxe pois a praxe nao e igual para toda a gente varia de pessoa para pessoa, de cidade para cidade.
    Acham bem critiar algo que e importante para tantos estudantes, teem de descarregar tudo em algo que secalhar nem teve nada a ver com isto ?
    Tantas vezes brincadeiras estupidas levam a morte de pessoas , isto tambem foi praxe?
    Ou seja praxe para as pessoas que estao de fora = brincadeiras estupidas , que nao levam a lado nenhum , humilhar as pessoas... humm o mais engraçado e que nunca obrigam te a fazer o que tu nao queres... Praxe nao e uma lei , ou seja parece que muitas pessoas pensa e que a praxe pode ir contra os direito da pessoa , se pensar mos assim muito rapidamente.... isso nao seria um crime ?
    Digo as pessoas que comentam sem saber , que se levantem e vao experimentar a verdadeira praxe.
    Pois a praxe e das poucas coisas que esta aberta a qualquer estudante universitario que deseje participar
    De certeza que vai ser diferente do que muitas pessoas pensam e julgam as cegas
    E claro que a praxe tem coisas menos boas , nao ha nada perfeito , desde que exista pessoas nao existe perfeiçao!
    Os meu pesames para os familiares , amigos , estudantes que sofrem com a morte dos meus familiares/amigos, e espero que encontrem a verdade , seja que tenha acontecido em praxe ou so entre amigos.
    So deixo o pedido de nao meterem tudo no mesmo saco e tentarem mandar abaixo uma tradicao que Portugal tem , que e unica no mundo por especulacões , pois nao sabem metade ou nada do que realmente significa para muitos estudantes.

    ResponderEliminar
  22. Se esta rapaziada tivesse respeito pelo sacrifício dos pais e daqueles que pagam os impostos que sustentam estas instituições, algumas paradigmas da fraude no ensino superior, não aconteciam estas tragédias! ESTUDAI!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro, muitos de nós temos respeito por tudo e estudamos bem mais do que muitos aí a falar com tanta superioridade alguma vez julgaram possível. Depois, os impostos pagos servem para encher o rabinho ao governo. Se a minha faculdade dependesse dos impostos, já todos estudávamos era sentadinhos no chão em pleno jardim. As faculdades sobrevivem graças aos quase 1500€ mensais pagos por cada aluno. Quem quiser berrar dos impostos, tem uma assembleia disponível cheia de políticos de bolsos cheios desses mesmos impostos. Em vez de vir aqui com uma pseudo-superioridade criticar todos os alunos, faça alguma coisa para mudar o que está mal. E não se esqueçam que enquanto nós estudamos "com os vossos impostos" para o país ser o maior beneficiado, assim que saímos do curso vamos trabalhar para pagar a reforma aos que aqui falam com tanta inteligência e superioridade.

      Eliminar
  23. Graças a essa suposta integração de caloiros, a que se dá o nome de praxes, é que muitos dos jovens que estão para ingressar na faculdade, têm insónias e imensos receios do que poderá vir a acontecer. Numa universidade pacata que facultei, em terras alentejanas pequenas e com um ambiente muito calmo, também vi colegas meus a ficarem com momentos de tal ansiedade durante as praxes que tiveram de chamar os pais e esses meus colegas abandonaram simplesmente a universidade nesse mesmo ano e um nem sequer concorreu no ano seguinte, pelo pavor das praxes. Quando somos largados no meio de veteranos que dizem para a comunicação social que só fazem praxes que não comprometam isto e aquilo, esquecem-se que os recem ingressados que nunca tiveram naquele ambiente, não se apercebem logo que muitos daqueles veteranos até são porreiros e irão ser amigos no futuro, porque o ambiente de praxe é, para muitos jovens, um ambiente do desconhecido, de humilhação, etc. Eu já fui caloiro e veterano e, embora ache piada a algumas praxes, não concordo com as mesmas, Há sempre excedentes e para uma pessoa ser humilhada não é necessário fazer uma praxe abusiva, todos nós tivemos educações diferentes e a humilhação para uns pode não o ser para outros. Uma boa praxe de integração é o convívio, uma reunião de esclarecimentos que sirvam de explicação aos caloiros, que lhes tirem os medos, as angústias e as lágrimas que, tal como eu tive, da cara de um caloiro que está longe de tudo o que lhe foi familiar durante pelo menos 12 anos. Mas como há por aí muita gente sem educação, pensa que somos todos iguais e quem é anti praxe, é visto para muitos como um coitadinho. Sou contra todos o tipo de praxe. Acham que assim que um aluno se vai matricular, estar à espera dele na porta da universidade para logo o mandar fazer isto ou aquilo não é colocar logo a ansiedade à flor da pele?? Para muitos não, já vêm de ambientes anteriores que não lhes faz confusão nenhuma, mas para muitos é logo motivo de ir para casa e não dormir nessa noite, a tentar adivinhar que no dia seguinte o mandem fazer isto ou aquilo, ainda que para os veteranos não seja abusivo. Fui muitas vezes buscar a minha namorada a desvair-se em lágrimas, porque a estavam a "obrigar" a fazer uma declaração de amor a um veterano, isso não é humilhação??? Já sei que para muitos de vós que têm o ego em alta não, mas para mim e muitas outras pessoas é!!! Fim ás praxes, praxar não é integrar coisa nenhuma. Conviver sem medos e receios, fazer visitas à universidade, jantares para todos ficarem-se a conhecer melhor, tirar os medos e dos receios de estar longe de casa, isso sim é que é integração. Mas falemos de outras coisas.

    Esses alunos que se "fecham em copas" são uns cobardes, para eles é mais importante a merda de um pacto ou um (d)estatudo do que confortar os pais de que perdeu a sua razão de viver. Muitos deles não percebem o que significa a dor de perder um filho porque não devem ter nenhum. hipócritas, tudo devia ser esclarecido e não "abafado". Os pais precisão saber para estarem mais tranquilos. Se fosse comigo, era de espingarda na mão que eu entrava na universidade e só saia de lá quando tivesse respostas. Não me digam que não há ninguém que não tenha ouvido um bate boca sobre esse fim e semana e o que se ia passar. Cambada de insensíveis. Parabéns ao autor do texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A primeira pessoa que disse algo certo. Parabens! Tudo o que escreveu aqui sobre a praxe devia ser entregue a todos os reitores de todas as universidades para acabarem de vez com essa palhacada. Fui caloira o ano passado, a unica a dizer nao a praxe no meu curso e durante muito tempo fui vista como a que tinha algum problema de certeza mas agora tambem ganhei o respeito. É obvio que aquilo que aconteceu esta ligado as praxes. E so espero que a policia comece a interrogar toda a comissao da palhaçada e que faça o sobrevivente falar. Nao venham com "ai coitado viu os colegas morrer" porque nao foi capaz de pensar nas consequencias dos seus actos antes disso. Lamento muito a perda destas seis pessoas, ja cheguei a ter pesadelos com esta historia por tao dolorosa que parece ser. E por isso, me irrita solenemente que as pessoas continuem caladas. Que haja justiça.

      Eliminar
    2. Qual merda de pacto ?! Outro que so diz é merda !! NAO PERCEBEM QUE NINGUEM SABE O QUE SE PASSOU ?!?!? NINGUEM VIU !!!! Voces querem é noticias para poderem falar .. Cães !

      Eliminar
    3. Fpires estou totalmente de acordo com voçe, é que estes ignorantes querem abafar o caso e se andam a proteger uns aos outros, custa-me a crer que ninguém da universidade sabe disto entre os colegas e amigos. Alguém sabe ou muitos sabem, mas ficam caladinhos que nem ratazanas com medo de represálias, medo do que lhes possa acontecer, dar contas a justiça. Que saia uma Lei contra praxes abusivas e que desrespeitem a integridade do ser humano, nem aos animais se fazem tais coisas como tenho visto, parece que estamos na idade da pedra ou pior. Que se faça Justiça.... Não sei como vem para aqui estudantes com boca cheia a se protegerem e a toda a hora a protegerem as praxes, olha que não se vê nenhum a ter pena dos Familiares, só estão jogando pelos seus próprios interesses, só protegem as praxes e praxes e praxes e mais nada para protegerem a porcaria das praxes. VAÕ ESTUDAR!!!... E DEIXEM EM PAZ OS CALOIROS..... LERDOS

      Eliminar
  24. Em primeiro lugar, ningém esteve presente, ninguém sabe quem na realidade teve ou não teve razao. Depois se estao a falar e a tomar juizos de valor sem realmente saberem o que aconteceu para alem de ser patético é ridiculo. Quanto ao autor só gostaria de lhe fazer uma pergunta, se nós somos a vergonha do ensino universitário porque a faculdade continua aberta? Os seus professores continuam a ensinar tanto dentro como fora do nosso estabelecimento? Porque continuam a contractar pessoas licenciadas e mestres oriundas no nosso estabelecimento? Sinceramente antes de se por a inventar e dizer uma quantidade gigantesca de parvoices confirme a realidade pois é isso que os responsaveis estão a fazer, tal como a PJ poderá integrar a investigação caso seja caso para isso. Tenho dito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Senhor Pedro Simões
      Possivelmente não leu esta notícia : Segundo noticiava hoje o JN, depois da denúncia de um familiar das vítimas “confirmada por alunos da universidade”, pode ter havido outro sobrevivente da tragédia em Sesimbra que vitimou seis estudantes em dezembro. Além de João Gouveia, líder da praxe da Universidade Lusófona, um ex-Dux estaria também presente na praia do Moinho, no Meco, no momento do desaparecimento dos jovens.

      /Lusa

      Eliminar
  25. Famílias das vítimas do Meco pedem perícias aos telemóveis
    CM revela últimas imagens dos seis jovens com vida.
    Poucas horas antes da tragédia no Meco, os estudantes da Universidade Lusófona estiveram numa zona isolada, em Alfarim, Sesimbra.
    Eram cerca das 16h00 do dia 14 de Dezembro. Pedro Tito Negrão, uma das seis vítimas mortais, fez um vídeo do momento, a que o CM teve acesso, o qual mostra as últimas imagens dos jovens com vida.
    Este vídeo foi encontrado pelos familiares de Pedro no telemóvel do jovem. Quando tiveram conhecimento desta situação, os pais das restantes vítimas foram também ver os telemóveis dos filhos. Foi assim que os familiares de Joana Barroso encontraram uma mensagem
    comprometedora. "Estou para ver se sobrevivo lol", escreveu a estudante, em resposta a um amigo, sobre o referido fim de semana no Meco.
    Os pais querem agora que a Polícia Judiciária faça perícias aos telemóveis dos filhos e também ao de João Miguel Gouveia, o líder da Comissão de Praxes Académicas e único sobrevivente desta tragédia.
    No vídeo do telemóvel de Pedro Tito Negrão, é visível a presença da Carina Sanchez, Joana Barroso e de Tiago André Campos, todos trajados. Um aluno da universidade, que pediu anonimato, acredita que o grupo de alunos fazia "o reconhecimento do espaço para eventuais actividades de praxe académica".
    Ao Correio da Manhã, Fátima Negrão, mãe de Pedro, confirma ter encontrado o vídeo: "O meu filho fez o filme. O vídeo foi feito no sábado, quando ainda havia sol".
    Pergunto eu:
    Qual teria sido o motivo de todos os “teóricos praxados que viriam a falecer “, deixarem os telemóveis em casa e o único sobrevivente o teórico Dux, ter o telemóvel com ele na altura da tragédia?

    ResponderEliminar
  26. Têm a certeza qe os 6 alunos estavam a ser praxados? Trajados? Fora da zona do Campus? A ser verdade não são adultos o suficiente para terem noção dos riscos?! Frequentei a Universidade de Coimbra, nunca sofri abusos por parte dos praxistas e se algum me dissesse "entra no mar!" eu de certo conseguia encontrar aquela palavra mágica no meu vocabulário: "NÃO"! Mas enfim, as pessoas só vêm o que querem ver....

    ResponderEliminar
  27. As praxes são o exemplo perfeito da mediocridade que reina nas Universidades e que acaba por se reflectir na sociedade actual. Gente acéfala que se submete a ordens parvas, vindas de gente parva.
    Seres sem valores e cujas frustrações são despejadas encima dos mais fracos, estes são fracos por não terem o mínimo de personalidade para se recusarem à humilhação.
    Resumindo e concluindo é a cultura à mediocridade feita por seres medíocres!

    ResponderEliminar
  28. Estava no local do acontecimento para saber que estavam a ser praxados?
    Somos a vergonha dos universitários? Vergonha devia ter você pela sua ignorância e por não respeitar quem assistiu a um acontecimento tão trágico. Hoje eles, reze para amanhã não ser você!

    ResponderEliminar
  29. Só não entendo porque é que a PJ não mete o suposto Dux na cadeia e espera que ele fale! Existem coisas neste país no mínimo estranhas, por vezes acontece uma pequena desgraça e tanto a policia como a comunicação social parecem cães atrás de um suposto culpado. Aqui morrem 6 pessoas e...ai eu não falo porque existe um pacto, ai tenho amnésia selectiva...PALHAÇADA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim... agora vamos andar a pôr toda a gente ma cadeia com base no que lemos jornais. Muita giro... Cada vez estamos pior... Cada um tem a liberdade de expressar o que pensa, mas há limites! Gostava de ver sr. do comentário 62 se a imprensa andasse aí a dzr q tinhas feito isto ou aquilo e q era mentiura, dps seja pq razao for não davas essa mesma resposta à imprensa. entao pronto ia a PJ buscar-te a casa e punha-te na prisão só pq sim... só pq o Correio da Manhã e esses jornalecos de merda diziam td e mais alguma coisa. Irrita muito que alguém não queira mediatismo não irrita? deviam era aprender com esta situação. Por o sobrevivente nao falar com a imprensa nao significa que não fale coma policia. E vai sim falar, ainda este mês, ao ministério publico, ja foi confirmado pelas entidades competentes. Santa ignorância!

      Eliminar
  30. Bom dia,como todo o respeito pela lusofona ,a questao que esta a volta desta e os contornos misteriosos,a praxe e uma coisa agora o facto de so o dux ter telemovel,a suposta pessoa k la tava alem dos 7 ,os pertences k ja tavam arrumados e identificados, e o mais grave o silencio do dux assim como os pais k nem uma palavra disseram aos entes queridos dos que faleceram,o silencio indicia varias coisas pk kem nao tem culpa fala,a comunicaçao social esta a fazer um excelente trabalho pk se nao fossem eles hj ng sabia dos contornos obscuros desta historia. Tenho dito

    ResponderEliminar
  31. Eu acho é que a vida alheia não interessa a ninguém. O que aconteceu, aconteceu e não se pode voltar atrás. Agora é dar apoio a quem precisa e indispensavelmente ao aluno que sobreviveu. O resto é paisagem amigos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E os pais das vitimas nao precisam de apoio????a vida alheia interessa pk e a xave disto tudo.....

      Eliminar
  32. A prisao te espera dux, disso tenho a certeza, es um homem sem H, nao tens duas bolas no meio das pernas pra falar seu merdas
    Assassino

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Veja isto pff

      http://www.rtp.pt/play/p1330/e141565/grande-entrevista

      Eliminar
  33. Mas que história tao ridícula, agora o rapaz está com "amnesia seletiva", mas são parvos ou quê? A única razão porque ele não diz nada é porque muito provavelmente quando disser vai passar o resto da vida na prisão. Foram levados por uma onda gigante? Mas houve ai algum tsunami de que mais ninguém ouviu falar por acaso? Muito provavelmente foi ele que os mandou para a água e como já deviam estar bem enfrascados e nadar com a capa do traje não é propriamente fácil olha… deu merda. Agora se esse idiota não tivesse alguma culpa do que aconteceu e tivesse algum respeito pelos outros que la ficaram a primeira coisa era exatamente contar às famílias o que que tinha acontecido.

    ResponderEliminar
  34. Rituais de iniciação à moda de sociedade secreta (bem diferente de uma praxe) de um grupinho de estudantes que se colocaram por vontade propria naquela situação. correu mal

    ResponderEliminar
  35. Defensor do Ensino Público23 janeiro, 2014 15:11

    Vocês, alunos das privadas, deveriam ser todos irradiados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    2. Sim, porque deves achar que a merdice que pagas de propinas dá para pagar alguma coisa !! Senão fossem os das privadas e os impostos pagos pelos que trabalham e os que trabalham para poder estudar, nem numa faculdade andavas ! Devias era andar agarrado a uma enchada e cavar, otario !!

      Eliminar
  36. Também eu sou aluno da Universidade Lusófona e graças a Deus não tenho nem quero ter nada a ver com esta corja que alimenta estas situações! Infelizmente não sei de nada, mas se soubesse faria questão de que todo o mundo soubesse da realidade sobre o que aconteceu!

    As praxes não são o bicho de 7 cabeças que muita gente quer fazer, mas, infelizmente em muitas ocasiões ultrapassam-se os limites do bom senso. Em demasiadas ocasiões, genericamente falando, as praxes são apenas e só a tipificação da estupidez. Estupidez essa que a qual é dada continuidade ano após ano apenas e só pelo ressabianço do: "Eu sofri e também vou fazer sofrer!". Sou completamente a favor das praxes quando enquadradas no espírito da integração e fraternidade porque esse sim é o verdadeiro intuito da praxe. E não aquilo que se tornou hoje em demasiadas situações.

    O que aconteceu com estes 6 jovens deve ser responsabilizado CRIMINALMENTE!!! Sim, criminalmente! Já não estamos a falar de brincadeiras, de estupidez, de humilhações...trata-se de vidas humanas que tragicamente se perderam!

    Na minha humilde opinião, duas situações estão a fazer com que exista este pretenso "pacto de silêncio":

    1 - Há gente com medo de ir presa.
    2 - Há gente com medo que este seja o ponto de partida para iniciar sérios debates sobre as praxes e que possam fazer com que as mesmas sejam proibidas.

    O único erro que o Sr. Fernando Tavares cometeu ao escrever este texto, foi em generalizar a questão para todos os alunos da Universidade visto que, como disse, não faço ideia do que se passou nem sequer nunca participei em qualquer actividade relacionada com praxes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com o Ricardo Silva, as praxes por vezes passam da integração para a humilhação, não percebo qual é a lógica de não podermos olhar nos olhos dos que nos praxam, se somos iguais a eles. De termos que estar sempre a exercer ao máximo o nosso físico e sempre a levar com frases do género: "vocês não valem nada" "vocês nem são capazes de fazer o que mandamos" "vocês são uma merda, vocês vão idiotas" e etc... chamam a isto integração dos alunos?!?!
      Por vezes há jogos amigáveis, mas são raros e por vezes há outros jogos, mas são estúpidos, como por exemplo um jogo em que tiveram que rebolar pessoas por cima de outras pessoas, uma pessoa que tem 50 kg tem que levar em cima com uma pessoa com quase 90 kg.. onde está a lógica?! sujeita a ferir-se interiormente, óbvio que podemos recusar mas como? se por vezes nem sabemos o que vamos fazer e quando queremos recusar já é tarde de mais ou não o permitem.
      Acredito que muita gente já possa ter sofrido muito em certas praxes.
      Mas apesar de tudo, penso que se as praxes forem feitas de maneira correcta podem ser sim, uma mais valia para todos os estudantes e sim uma integração.
      Em relação ao caso dos alunos também penso que fizeram este tal pacto de silêncio pelas mesmas razões que o Ricardo Silva referiu, penso que várias pessoas se sentem neste momento "com o rabinho entre as pernas" como se costuma dizer..

      Eliminar
    2. Ricardo Silva,
      o autor do texto é o Ricardo Ferreira Pinto.

      Eliminar
  37. Concordo com o Ricardo Silva, as praxes por vezes passam da integração para a humilhação, não percebo qual é a lógica de não podermos olhar nos olhos dos que nos praxam, se somos iguais a eles. De termos que estar sempre a exercer ao máximo o nosso físico e sempre a levar com frases do género: "vocês não valem nada" "vocês nem são capazes de fazer o que mandamos" "vocês são uma merda, vocês vão idiotas" e etc... chamam a isto integração dos alunos?!?!
    Por vezes há jogos amigáveis, mas são raros e por vezes há outros jogos, mas são estúpidos, como por exemplo um jogo em que tiveram que rebolar pessoas por cima de outras pessoas, uma pessoa que tem 50 kg tem que levar em cima com uma pessoa com quase 90 kg.. onde está a lógica?! sujeita a ferir-se interiormente, óbvio que podemos recusar mas como? se por vezes nem sabemos o que vamos fazer e quando queremos recusar já é tarde de mais ou não o permitem.
    Acredito que muita gente já possa ter sofrido muito em certas praxes.
    Mas apesar de tudo, penso que se as praxes forem feitas de maneira correcta podem ser sim, uma mais valia para todos os estudantes e sim uma integração.
    Em relação ao caso dos alunos também penso que fizeram este tal pacto de silêncio pelas mesmas razões que o Ricardo Silva referiu, penso que várias pessoas se sentem neste momento "com o rabinho entre as pernas" como se costuma dizer..

    ResponderEliminar
  38. Não me venham dizer que às praxes só vai quem quer, porque para podermos trajar temos que ser praxados, conheço muita gente que só vai às praxes para poder trajar e sujeita-se a muita coisa para poder trajar. E não querem andar a humilhar os outros como várias pessoas fazem nas praxes ! E não me venham dizer que se pode recusar, porque muitas das vezes dizemos não e no entanto não aceitam a nossa recusa !
    As praxes diferem de Universidade para Universidade e no entanto não deviam GENERALIZAR também as praxes já que não querem que se GENERALIZE muita coisa ! pensem que se calhar para vocês as praxes podem ter sido muito boas, mas para outras pessoas se calhar isso não aconteceu por isso não falem das praxes como se fosse tudo cor de rosa, porque sabem muito bem que em vários sítios isso não acontece !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. are you retarded??

      Se eu te disser para enfiares um pepino no cu tu enfias? Só podes trajar se fores praxado? O quê, eles não te deixam vestir traje é? Gente como tu é a razão porque as praxes chegaram ao descalabro a que chegaram, gente sem qualquer sentido de integridade que faz tudo porque pensa que vai ser aceite por isso.

      Eu também não concordo nada com o que oiço que se faz por ai, mas isso apenas acontece porque gente como TU deixam que lhes façam tudo e mais alguma coisa, é claro que vai sempre haver os idiotas que vão tentar abusar porque na tristeza que é a vida deles eles só se sentem bem a rebaixar o próximo, mas daí a tu achares que vais ser prejudicado ou discriminado por não fazeres o que eles dizem então lamento mas isso é apenas falta de inteligência e integridade tua.

      Eu fui praxado e até achei piada, fiz aquilo com que concordei, não fiz aquilo que achei abusivo e já terminei o curso com muito sucesso e muitos amigos sem nunca sequer comprar aquela porcaria daquele traje, que por si só já é um grito de desespero para tentar ser aceite, pois é ridiculamente caro, de fraca qualidade, e já para não dizer que pareces um empregado de mesa. E olha que mesmo sem traje e a rejeitar algumas das praxes, fui a todas as festas académicas a que consegui, não fui discriminado por ninguém, e ainda praxei (como deve de ser) os que chegaram depois de mim.

      Por isso a moral da história é: parem de chorar com essa porcaria de as praxes são más e coiso e tal, e que agora esses morreram por causa das praxes, porque a partir do momento que deixarem de existir idiotas que façam tudo o que lhes dizem, deixam logo de existir praxes abusivas.

      Eliminar
    2. Se enfias pepinos no cú nas praxes e gostas isso já é problema teu, mas que em certas actividades tens que participar, lá isso tens.. mesmo que peças para não o fazeres, eu ja vi isso a acontecer, uma rapariga não quis fazer uma determinada actividade porque não se sentia bem a fazê-la e no entanto humilharam-na, a dizerem que "não era capaz", e "aí tadinha não se sente bem" sempre a gozarem. tinha que fingir um orgasmo junto a uma arvore que lindooo !!!

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  39. estúpidos de merda ... as praxes servem apenas como pretexto para andarem bêbados e como desculpa para não estudarem.... como se para apanhar uma touca com a malta fosse preciso andar a fazer essas merdas.... as praxes revelam a infantilidade que existe nas nossas faculdades, em vez de se tornarem e sentirem homens e mulheres andam a brincar as palhaçadas de tudo e mais alguma coisa. não sei porque mas praxes e mais praxes e comissão de praxes e mesa da assembleia de praxes e o raio que os parta mais a criancices so existem em Portugal. Nos outros países europeus... apenas apanham se bezanas com a malta e esta fixe.
    O mais engraçado e que depois exigem respeito dos professores e que os tratem como homens e mulheres... como então??? se se comportam como miúdos.. so pensam em brincadeira de crianças.... quando se tem crianças a tomar conta de crianças por vezes corre mal.... neste caso ... tragedia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tirei um mestrado e fui às praxes, não estou desempregado e ganho bem acima da média ... Andei bêbado e estudei bastante !

      E se para ti apanhar bezanas é ir sair e pronto, então põe-te a andar para os paises europeus ! Não precisamos de parasitas precários como tu ; )

      Otário !!! .|.

      Eliminar
    2. Meu filho.... continua a brincar e a achar divertido brincadeiras de garotice..... palermices e mais palermices e morrem pessoas mas continua se com a palermice.... não podemos generalizar... mas a merda há em todas as faculdades....isso faz me lembrar as claques de futebol, são todos uns animais... uns menos que outros... mas são todos.....mas ao fim ao cabo a ganhar a cima da media.... foram as praxes e as brincadeiras de garoto que te deram isso... se calhar já estou fora desse pais.... se calhar não ganho acima da media.... ganho bastante mais acima da media... ou não.... uma coisa e certa não precisei dessas brincadeiras de garoto a que chamam de praxes ou praxe ou .... palermices de miúdos...

      otarios como tu fazem dessa merda uma coisa importantíssima... Garoto !!!

      Eliminar
  40. todas as praxes sao uma merda;e quem as comanda sao uns fracos e serao no futuro ;falhados




    as pessoas que comandam as praxes sao uns fracos ;eserao no futuro ;uns falhados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vê-se mesmo que deves andar na faculdade 'A escola da vida' !

      Podes emigrar que nao fazes cá falta !

      Eliminar
  41. A todos estes ANONIMOS que criticam o tão famoso pacto de silêncio, eu gostaria de saber se o acidente que matou o Sá Carneiro, foi de facto prepositado ? E se foi, quem o fez.

    É que eu não estava lá e não vi, quanto a vocês não sei ! Mas quem é desse tempo ou tem memória disso, também podia quebrar o pacto de silêncio.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  42. Parabéns! O senhor já conseguiu ganhar a exposição que queria com uma notícia trágica, comentando de forma desinformada e sensacionalista. Desejo-lhe a si uma noite tranquila e que a sua consciência o livre de culpas.

    ResponderEliminar
  43. Bem eu não sou ninguém para criticar , a vida bem ensinou muitas e muitas vezes a olhar para um espelho antes de criticar alguém. Se é que me entendem.
    Agora , como aluno , filho , e principalmente ser humano , honestamente eu não consigo sequer imaginar a dor daquelas famílias.
    Vocês bem sabem esta velha máxima , dizem que um filho desaparecido sempre vai doer mais a um pai, do que um filho que é dado como morto ou que aparece morto, porque todos sabemos que a esperança nos dá vontade e é um elemento essencial nestas alturas, mas ao mesmo tempo sabemos que só nos mata mais um pouco.
    Agora expliquem me o que é viver , com um filho que desapareceu no mar com mais 5 amigos , que ao fim de dias aparece morto , e que agora simplesmente ninguém se digna a dar lhe uma verdade do que aconteceu. Eu não vou ofender ninguém nem criticar ninguém, mas como refere neste texto eu também o refiro '' Que a vossa consciência vos deixe dormir no final de cada dia''

    ResponderEliminar
  44. MAIS UM A ESCREVER PARA GARANTIR 5 MINUTOS DE FAMA E ATENÇÃO ! ESTÁS COM FALTA DE PROTAGONISMO? VAI CORRER PARA O MEIO DA RUA NU, COM UM PAU NO TRASEIRO! TU E TODOS FALAM DO QUE NÃO SABEM, A PORCARIA DOS JORNAIS É QUE ANDAM A CRIAR ESTAS POLÉMICAS! E O NOSSO POVO COMO É BURRO ACREDITA EM TUDO, CONSEGUEM ACREDITAR EM DUAS COISAS COMPLETAMENTE DIFERENTES E DIZEREM QUE É VERDADE MESMO HAVENDO CONTRADIÇÃO! PROVAVELMENTE NUNCA ESTIVESTE NO ENSINO SUPERIOR, E TAS A TENTAR MANCHAR O NOME DE TODOS OS ESTUDANTES DE UMA UNIVERSIDADE E APONTAR O DEDO AOS RESTANTES ESPALHADOS PELO PAÍS FORA. ESPERAS QUE HAJA CONCLUSÕES E AÍ COMENTAS, QUE BONECO! TU E TODOS QUE ESTÃO A TENTAR GANHAR MINUTOS DE ATENÇÃO, METEM ME NOJO! DEIXEM A POLÍCIA INVESTIGAR E PAREM DE MEDIATIZAR ESTE CASO. PAZ À ALMA DOS QUE PARTIRAM E MUITA FORÇA PARA AS FAMÍLIAS QUE SOFREM COM A PERDA E AINDA MAIS GRAÇAS À MEDIATIZAÇÃO DO CASO POR PARTE DE PESSOAS COMO TU!

    ResponderEliminar
  45. Isto é melhor que os malucos do riso, que ridículo xD

    ResponderEliminar
  46. Pessoas, antes de falarem do que nao sabem...
    vão primeiro aprender sobre a PRAXE porque "as praxes" não existe.

    ResponderEliminar
  47. Toda esta rivalidade é escusada! Estamos a falar da morte de 6 jovens estudantes, que pelo que vejo orgulhavam o seu traje, e qualquer estudante que se orgulhe do traje que veste devia estar de luto pelos seus "colegas". Nao é a universidade, o político ou a faculdade que faz a diferença, deixem se de ser mesquinhos, sao vidas, famílias .... e não uma mera rivalidade entre instituições!!!! Respeitem a dor que não é vossa!

    ResponderEliminar
  48. "dura praxis sed praxis", em portugues, a praxe é dura mas é praxe.

    Fui praxado, sou praxante, e tal como esta no texto, se isto foi em contexto de praxe, quem a organizou e comandou é a vergonha dos estudantes academicos que vivem a praxe. E so um aparte, nunca perdi nenhum ano por causa praxe e nem faço questao de perder para ser "o maior da minha <>" por viver a praxe e querer ficar para sempre nela.

    na praxe, so quem passa por ela é que sabe o que se vive, e tem a perfeita noção que isto nao é da praxe, nao quando a vida de pessoas é posta em risco.

    foi dito tambem que aguem viu um grupo de trajados a passar na rua, um com uma colher, sendo esses supostos trajados estas 6 pessoas que partiram, daí ligar isto a praxe, mas deixo uma pergunta:

    Onde está o traje? onde estão as capas que provavelmente na seriam levadas para o mar mas deixadas na areia? qual era a roupa que estes 6 estudantes tinham vestido quando foram encontrados?

    quem praxe deve ter a noçao daquilo que faz. e eu nem em risco de apanharem uma constipaçao ponho os meus caloiros, quanto mais por em risco de vida.

    se estes estudantes iam trajados, nao eram caloiros, se nao eram caloiros ja sabiam bem quando por um ponto final em relaçao ao que lhes é pedido.

    quanto a esta situaçao, cada vez se tenta por mais uma mancha negra sobre o que é a praxe, querendo descredibilizar aquilo que tem dado ferramentas e atitude aos jovens de agora a enfrentar e resolver os seus problemas, porque cada vez mais pelo facilitismo e a vontade dos pais "darem aquilo que nao tiveram e mas alguma coisa" tem deixado os jovens a viver num falso conto de fadas onde tudo é rosas e no primeiro "nao" que ouvem ja estao com uma depressao ou a cortar os pulsos (sim, sei do que estou a falar, tenho visto muito disto nos meus locais de estagios, crianças de 16 anos ameaçar matar-se porque os pais nao lhe dao um tablet, se com 16 sao assim, se nao levarem uns abanoes, que adultos teremos)


    como estavam trajados, e havia uma colher, isto, dizem, foi praxe, mas eu nao chamo isto praxe, chamo estupidez de quem esteva à frente, e burrice de quem se assujeitou a ir na conversa dessa pessoa, tento o infeliz final que teve


    Com isto, as minhas sinceras condolencias à familia,
    ao sobrevivente, que conte a verdade,
    aos "superiores" que tentam calar quem quer falar, que tenham vergonha do que estão a fazer pois so se tornam cumplices deste homicidio por negligencia

    e por ultimo, que a praxe nao fique mais manchada que aquilo que tem sido por casos "isolados" no seio de certas academias por pessoas sem noçao do que fazem, que praticam coisas que de longe se podem chamar praxe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Senhor Anónimo das 03:13
      Li com atenção o seu Post. Conclui também que o anónimo terá o cuidado de ter em conta a segurança dos seus praxados o que só lhe fica bem.
      A praxe não está em causa, quando é inócua na humilhação e na segurança e risco de vida do praxado.
      Não se compreende que se veja um Dux no Rossio com 1/2 duzia de caloiros com uma corda ao pescoço a ser guiados pelo tal MESTRE como sendo canídeos...! Isto não é nada a não ser uma humilhação abjecta e inexplicável criada por mentes muito tortuosas e até perigosas

      Eu fui praxado na minha vida militar em 1968, vejam bem, aos anos que isto foi.

      Exerci serviço militar na Força Aérea Portuguesa e a primeira coisa que o grupo de escolhidos ( 24 ) para o curso que nos foi atribuído de acordo com o nosso pedido individual foi....

      Àh... Querem vir para os aviões....Então rapaziada, braços abertos ao nível dos ombros! Agora correr na parada .... até levantarem vôo! Naturalmente que o cansaço, nos foi reduzindo e julgo ter tido a noite mais retemperadora que alguma vez tive! Foi a PRAXE!
      No dia seguinte eu restantes companheiros, mal podíamos caminhar mas foi a nossa PRAXE!

      O anónimo faz referência aos jovens irem trajados. Parece que já foi explicado que, os falecidos estariam a «" tirar um curso de praxes"» para poderem praxar os futuros caloiros.
      Permita-me discordar sobre o que os aprendizes de DUXs terem ou não terem estado vestidos e trajados com capa e batina. Ao fim de tanto tempo no mar difícil será saber como estariam vestidos no entanto recordo que no dia seguinte à desgraça um jornal escreveu : Se eles não estivessem com a CAPA possivelmente alguns poderiam ter sobrevivido. Imagine o anónimo ir de costas para a rebentação «embuçado na capa»! O que lhe acontece com uma onda mais violenta?Exactamente, torna-se num simples embrulho, por muito que saiba nadar perde qualquer tipo de movimento de sobrevivência e só o peso da capa encharcada no mar, leva-o ao fundo...!
      Eu sem querer fazer juízo de valor, nesta matéria julgo que a tragédia aconteceu exactamente por isto que acabo de alvitrar repito ALVITRAR!
      Nada mais, simplesmente lamentar a perda destes jovens.
      ft

      Eliminar
  49. quem morreu não estava em nome da praxe. quem é da praxe não se revê em situações como aquela. foi demasiado perigosa, dezembro, janeiro e fevereiro é epoca de exames não temos tempo para brincadeiras.
    um grupo teve uma chamada praxe diferente, mas sem nexo nenhum com base no que conheço e procurei sobre praxe. ninguém num dia de temporal vai para a beira do mar.

    os outros colegas da faculdade não falarem é muito bem, porque não sabem ao certo o que aconteceu. não estavam lá.
    quem lá estava podia já ter falado, mas está em estado de choque. é normal que esteja e que a memoria tenha construído outra realidade para o defender, porque ver seis amigos morrer é muito traumatizante.

    e deixem de falar da praxe quando alguém que não aprendeu o que é a Praxe faz algo que não devia.

    ResponderEliminar
  50. O que é certo, é que mesmo estando afectado de alguma maneira, devia falar! Não quer falar à comunicação social, muito bem, que fale às famílias! Porque eu aposto que se perguntarem à família dele toda ela irá dizer que se estivesse na situação da família que perdeu os seus filhos também gostariam que o sobrevivente falasse! Mas enfim, ele não fala, demonstra o quão cobarde é.

    ResponderEliminar
  51. Boa oportunidade para estarem calados...quem escreve isto nao sabe o que diz. A praxe e sobre caloiros e nao sobre veteranos....quem la esteve teve mais de 18 anos e foi de livre e espontanea vontade. As tragedias acontecem infelizmemte e isto nada tem a ver com praxe. Escalhar custa mais ao unico que sobreviveu do que a todos os outros que para aqui opinao sem saberem do que falam.

    ResponderEliminar
  52. quem é que foi o palhaço que publicou está merda, vela se entendes de uma vez por todas que a unica pessoa que pode falar é o sobrevivente desta tragédia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó palhaço (perdão, srº palhaço) deves pensar que estás a falar com algum otário!! Tá bem abelha!

      Eliminar
  53. Moradores de Aiana de Cima, onde o grupo tinha casa alugada, viram estudantes a serem humilhados e chamaram a atenção. "Isto é uma praxe. Não se meta", foi a resposta
    "Isto é uma praxe. Uma experiência de vida. Não se meta." Terá sido desta forma que os alunos da Lusófona, que integravam o grupo estudantes que foram arrastados por uma onda na praia do Meco, se dirigiram aos moradores de Aiana de Cima que os abordaram na tarde de sábado, horas antes da tragédia, indignados com os contornos de humilhação a que se estavam a sujeitar.
    O relato é feito ao DN por Cidália Almeida, uma das vizinhas de um terreno baldio na rua das Flores, a cerca de 300 metros na casa que tinham arrendado para o fim-de-semana. "Aquilo intrigou-nos tanto, porque ninguém percebia o que estavam ali a fazer sete jovens, com trajes académicos, mas a rastejar pela terra e com pedras presas nos tornozelos."

    DN.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A rastejarem com pedras presas ao tornozelo ! que lindo, mas eles são escravos ou estudantes?!
      Sujeitaram-se ok, mas onde está o bom senso do tal Dux ?!
      Praxe é integração não humilhação, se as querem fazer que as façam, mas de maneira a que não ponha em risco a integridade física da outra pessoa, não só física mas também psicológica !
      Tenho quase a certeza que muitas raparigas já foram violadas devido a uma praxe, ou rapazes já foram agredidos ! Para os defensores da praxe, pensem, a vossa pode ter sido boa, mas para muitos não foi e pensem como seria se tivessem no lugar deles.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  54. Tantas opiniões...ouvem-se tantas versões desta tragédia...até mesmo os meios de comunicação social não sabem falar noutra coisa, se for preciso contam a história toda ao contrário porque lhes dá jeito...enfim...não há que culpabilizar ninguém...afinal de contas já eram todos crescidinhos e sabiam bem o que faziam...lamentável é o que se passou, pobres dos pais e mães que confiavam nos seus filhos e achavam que estavam tranquilos da vida.... e neste momento estão despedaçados!

    ResponderEliminar
  55. é imperativo divulgar o rosto dos culpados envolvidos para que sejam bem conhecidos e não esquecidos pela sua responsabilidade no caso e que fique bem notado que os próximos praticantes de praxes venham também a ser "famosos" pela estupidez que defendem e cometem.
    Publiquem as fotos e façam nos bem conhecidos pelo seu protagonismo.

    ResponderEliminar
  56. é bom que esse menino explique o que se passou e passa com essas praxes,pois eu sou pai e passo uma vida de sacrificio para dar o melhor para a minha filha e quero saber o que se passa nessas faculdades para me precaver nao quero receber uma noticia como os pais daqueles jovens...eu acabava ja com as praxes e so noticias tristes humilhacao violacoes mortes etc...as praxes sao como a droga so se mete quem quer mas a verdade é que os mais influenciaveis e que entram nela por isso se os traficantes sao presos estes meninos com mais de 10 anos de faculdade tb tem que ser responsabilizados pelos seus atos...

    ResponderEliminar
  57. Aqueles que dizem que a praxe é uma coisa muito divertida recordam-me as vítimas com Síndrome de Estocolmo. Desde quando é que a humilhação é uma coisa divertida? Felizmente, sempre fui capaz de me recusar a fazer certas coisas que considerava ultrajantes e degradantes, mas existem muitos estudantes que, pelas mais variadas razões (medo, ingenuidade, falta de inteligência, etc...), não conseguem dizer não. Todos os anos há situações graves, e quando digo graves não me refiro apenas a mortes: há praxes que dão origem a traumas profundos, outras que resultam em abusos sexuais, há situações em que os caloiros são forçados a beber até caírem para o lado. 90% das praxes violam direitos legais. Só neste país é que se pode continuar a tolerar a existência desta medievalidade.A praxe é uma cultura de direita destinada a transformar jovens alunos universitários em cidadãos submissos através de práticas de humilhação, o governo devia proibir as praxes... Que saia uma Lei para que estas praxes humilhantes acabem de vez..... Ou é preciso que mais alguém morra ou fico doente psicologicamente? Não me venham dizer que é uma tradição, agora os estudantes se fecham em copas e se protegem uns aos outros. Esta juventude é uma lástima... está podre e degradada, não digo todos, mas sim aqueles que querem proteger este sistema de praxes humilhantes e degradantes nos dias de hoje..... isto nem na idade da pedra, O governo que ande com isto para a frente, se faça justiça e que venham a praça publica os responsáveis por tudo isto. As Famílias das vitimas tem esse direito de saber como correu tudo isto... Paz as suas almas e as minhas condolências aos familiares das vitimas...

    ResponderEliminar
  58. Abaixo as praxes, este não é o ultimo caso grave no nosso país.
    Andamos no a pagar para estes fdp andarem a gozar com os filhos dos outros, q mtos deles não querem serem praxados, mas dado q ficam marginalizados, acabam por alinhar... Cambada de hipócritas, vaidosos e vagões...

    ResponderEliminar
  59. Caso se confirme q houve crime, a comissão de praxes deverá ser corresponda em... E quiçá reitoria!...
    Ha q criar um grupo trabalho afim de avaliar tidas as faculdades e respectivas comissões...
    Pelo q sei, as comissões de praxes são alunos com 8 e 9 matrículas,
    São os proxenetas dos dinheiros públicos...

    ResponderEliminar
  60. Abaixo as praxes, este não é o ultimo caso grave no nosso país.
    Andamos no a pagar para estes fdp andarem a gozar com os filhos dos outros, q mtos deles não querem serem praxados, mas dado q ficam marginalizados, acabam por alinhar... Cambada de hipócritas, vaidosos e vagões...

    ResponderEliminar
  61. está tudo muito bonito, mas com um título sensacionalista como esse....crucificar um universo de mais de 15 mil alunos pela idiotice de meia dúzia parece-me um bocado exagerado.

    ResponderEliminar
  62. Isto é tudo muito bonito, mas nós não passamos de uns bonecos nas mãos dos jornalistas. Sempre que ligo a televisão estão a falar sobre a morte daqueles miúdos que morreram e acham que eles falam por preocupação? Não, expõe o caso para ganharem dinheiro, porque nós também adoramos o drama.
    Muito simples, muitos deles já tinham ido a imensos fins de semana como aqueles. Acham mesmo que se corressem perigo de vida voltariam??? Acham mesmo que pessoas que fazem parte da comissão de praxes não sabiam no que se estavam a "meter"?
    Não só sabiam, como viviam para aquilo ao máximo.
    Que é tudo muito estranho? É tudo muito estranho, mas a polícia anda a investigar. A polícia tem provas e ao contrário do que as pessoas pensam a polícia não é assim tão inutil como dizem. O problema? O problema é que com estes abutres que são os media ninguém quer falar porque sabe que vai ser logo exposto ao mundo inteiro, existem pessoas a inventar que viram coisas só porque adoram dramas o que também não ajuda às investigações. É grave terem morrido tantos estudantes? É muito grave, mas já viram a gravidade que é um miúdo ser acusado de algo que não fez? Estragar a vida do único sobrevivente só porque foi sobrevivente? Chega de mandar comentários a dizer que acham que foi isto ou aquilo, que o sobrevivente foi culpado quando ninguém sabe de nada ainda! Quando ninguém sabe de nada e em vez de ajudarem a policia, só desajudam. Querem que se saiba o que aconteceu? Deixem a família do sobrevivente em paz (QUE A FAMÍLIA DELE NÃO TEM CULPA DE NADA), deixem-no em paz, parem de falar do que não sabem, DEIXEM A POLICIA FAZER O SEU TRABALHO QUE POR MUITO INCOMPETENTES QUE SEJAM, SÃO MAIS COMPETENTES QUE VOCÊS QUE NÃO ESTAVAM LÁ, NEM SABEM NADA SOBRE INVESTIGAÇÃO.
    Desculpem ser assim, mas revolta-me as pessoas virem agora querer acabar com as praxes, quando também já morreu muita gente por causa do futebol, e com o futebol ninguém acaba, revolta-me virem falar da mãe do sobrevivente quando ela não tem culpa de nada mesmo que o filho dela seja culpado e revolta-me estarem a ser tão abutres com o miúdo que sobreviveu, porque se ele estiver mesmo traumatizado já pensaram no mal que lhe estão a fazer? AH e tal mas as familas dos mortos precisam de descanso, pois meus amigos vocês esquecem-se é que se uma pessoa estiver mesmo perturbada pode nem conseguir falar do assunto, não porque não queira, mas porque não consegue. Quando descobrirem que ele é culpado logo mandam as vossas bocas todas, agora enquanto não há provas, ele é inocente e deixem-no ao menos respirar antes que em vez de 6 mortes passemos a ter 7.

    ResponderEliminar
  63. Factos: 1- seis jovens, cada um responsavel pela comissão de praxes dos seus cursos morreram.
    2 -O dux não morreu...era alguém que por ser Dux, não morre...
    3 - para o ano há menos 7 jovens a praxar
    4- na prisão, há uma praxe que prepara para a vida entre as grades:deixar cair o sabonete no duche.
    5- que grande palhaçada esta coisa toda

    ResponderEliminar
  64. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  65. Tanta estupidez e linchamento que por aqui vai! Sem saber o que aconteceu e ja se fala de homicidio. Grande parte dos que aqui escrevem nem sabem o significado de PRAXE e falam como se fossem experts na materia. O Ze Povinho esta em delirio com esta tragica noticia e mostra aqui toda a chico-esperteza tipica de pessoas pobres de espirito. RIDICULO!!!

    ResponderEliminar
  66. No fim de ter visto o que se pode fazer para iluminar o espirito, tanto nas praxes academicas como aparentemente (e não sei porque é que se continua a negar o mais obvio) o que aconteceu no Meco, o "Zé povinho" aquele que é "pobre de espirito" e está cheio de "Chico-espertezas em delirio", repito, no fim de ter visto até onde os iluminados-intelectuais-ricos-de-espirito conseguem chegar, prefiro mesmo é fazer parte dos não iluminados e pobres de espirito. Quando isto se tirar a limpo, estou-me nas tintas para o que vai acontecer ao coitado do ingénuo Dux... quero é saber se esta seita, estes fanaticos que pós puberdade ainda pelo cordão umbilical, tão ligados á praxe estão, se ainda não têm os cornos no lugar para eliminar práticas ancestrais de tortura. Será que foi ali que eles e elas perderam a virgindade e assim, associam as praxes á derradeira e libertadora acção do que é um orgasmo? Deve ser porque, para continuar a defender as praxes, só pode...

    ResponderEliminar
  67. Acho giro este anonimo que defende que o sobrevivente voltou para casa e estava a dormir aquando da chegada da polícia. Podemos saber muito pouca coisa, mas das poucas certezas que temos é que o sétimo elemento deu entrada no hospital com quadro de pré-afogamento. E isto, meus senhores, se é o hospital que diz, é irrefutavel a meu ver. Portanto a teoria qual é? meteu-se na água, saíu, foi dormir e depois é que se começou a sentir mal?? Incrivel onde isto já vai!! O rapaz vê a morte à frente dos olhos (tenham la paciencia, mas se há os referidos registos do hospital, ele ESTEVE na agua tambem), safa-se nem ele saberá como, vê os colegas padecerem-lhe à frente dos olhos e ainda é crucificado. Bonito!

    ResponderEliminar
  68. Ele não é crucificado... ele não morreu mas, até pode lá ter estado perto disso. Deve ser para ele a desgraça da vida dele e não se vai recompor tão rápido do que lhe aconteceu naquela noite, nem psiquicamente nem legalmente. Por muito coitado que esse pobre diabo seja neste momento, aquele ritual vai ter consequencias. Os que morreram já não vão sofrer mais consequancias nenhumas e ele, que sobreviveu, esse não se safa. Aquilo não foi praxe mas, estará ligado certamente a algum ritual de jura ou de sei lá o quê...enfim, um ritual da seita académica que eles achavam que teria de ser levado a cabo. No mundo dos adultos, há consequencias.

    ResponderEliminar
  69. Isto é para todos os entupidos das ideias que continuam a afirmar contra todas as evidencias que as praxes são para quem quer!! A casmurrice dá lugar á estupidez e essa, bem essa fez a vossa mãe dar á luz! Uma pequena notícia para vocês voltarem a dizer que não foi nada disso e que são só os jornalistas, esses vagabundos, a inventar só para dizerem mal das praxes... cambada de cegos...cegos de tão estupidos e cegos, que se tornam perigosos! Aqui mais um, o JN que certamente, não fará na vossa opinião, jornalismo sério...
    "O caso foi denunciado às autoridades policiais e ambas as alunas - "caloiras" do curso de Psicologia - tiveram de receber tratamento hospitalar pelo simples facto de se terem recusado a participar nas atividades da praxe.

    De igual forma, foram vistas por médicos do Instituto de Medicina Legal de forma. As jovens pretendem proceder judicialmente contra o "doutor" responsável pelas agressões. "

    ResponderEliminar
  70. Bom dia, se fosse a minha irmã a ter morrido, esse cobarde infeliz tb já tinha ido tomar banhinho no Meco. Ele ,a mãe, o pai e a irmã.
    O resto é conversa de merda... mais a porca que gostou de ser praxada. Pq é que não contas o que fazem ás caloiras e restantes hierarquias nas vivendas á noite???? drogas, álcool e sexo. Obrigam as miúdas a fazerem todas estas coisas e a defensora das praxes aí a cima deve saber disto.

    ResponderEliminar
  71. Ana Figueiredo, depois de ter "conduzido" amigos e colegas para a morte através de jogos estúpidos (homicídio involuntário) como é um cobarde abeira-se da água e inspira uma vez pelo nariz água salgada, que depois no hospital confirmam que tinha restos nos pulmões...

    ResponderEliminar
  72. Só uns pormenores que para mim são essenciais.
    Como é que estes 7 senhores podem ser responsáveis da COPA e fazerem algo tão idiota como aproximar-se sequer daquele mar naquela altura do ano? Não sei se percebem mas a tamanha ingenuidade/burrice inerente e demonstrada pelos seu actos só comprova que de facto, quem está à frente das praxes na esmagadora maioria dos casos são pessoas, que como estas, infelizmente nem no ensino superior deviam andar.
    Neste momento creio que a única coisa de que o sobrevivente pode ser acusado é de não falar com as famílias dos falecidos. O que mais uma vez mostra a imaturidade deste dux, lider daquela academia. Mais uma prova da falência de personalidade dos envolvidos/referidos.

    ResponderEliminar

  73. Praxe, praxe, praxe
    Sim, sim, sim
    Praxe, praxe, praxe
    Não, não, não

    Convence-te ao infralhão
    Que a PRAXE é mesmo assim
    Se dizes sim eles querem não
    Se dizes não eles querem sim.

    Praxe, praxe, praxe
    Sim, sim, sim
    Praxe, praxe, praxe
    Não, não, não

    Tem sempre um badameco
    Que te empurra pra gandaia
    Um dux mestre doutorzeco
    Que te faz morrer na praia

    Praxe, praxe, praxe
    Sim, sim, sim
    Praxe, praxe, praxe
    Não, não, não

    É da mama o menino de oiro
    A estudar em vez de aprender
    Será toda a vida caloiro
    E praxado até morrer

    Praxe, praxe, praxe
    Sim, sim, sim
    Praxe, praxe, praxe
    Não, não, não

    ResponderEliminar
  74. Qual é, praxe é praxe, quem tem o dito cujo no lugar é que dá a cara e o corpo, agora todos alunos da Lusófona pagam pela tragédia?

    ResponderEliminar